back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar O APP
rightIcon
4.9
Comentário(s)
9.8M
Leituras
290
Capítulo

Um grande casamento não acontece quando o “casal perfeito” fica junto. Acontece quando um casal imperfeito se reúne e aprende a desfrutar das diferenças um do outro. Seis indivíduos com personalidades diferentes. Três casais imperfeitos que foram pedidos para ficar juntos... Vamos descobrir suas histórias. Eles vão se apaixonar um pelo outro ou acabarão por abandonar o casamento? ~~~~~~°~~~~~~~°~~~~~~~°~~~~~~~ Frio, rude, arrogante e narcisista. Era assim que Sophia Yzabelle descrevia o homem com quem se casou, Daniel Kelley. Devido ao seu passado traumático e à procura de justiça, ela concordou em casar com ele, apesar de sua personalidade rude. Eles odiavam-se desde o início, mas não tiveram escolha a não ser se casar, pois ambos precisavam do acordo para seus próprios benefícios. A questão era quanto tempo eles poderiam se enfrentar? Eles eventualmente admitiriam seus sentimentos ou continuariam a ser teimosos um com o outro? * * * Apesar de ter tudo o que ela precisava na vida, isso não impedia Madielyn Davis de completar sua lista de sonhos. Portanto, ela se candidatou para um trabalho como assistente pessoal do diretor executivo. Mal sabia ela que seu chefe rude e bonito, Gabriel Wilsons, lhe ofereceria um negócio mudando sua vida, que era ser sua esposa por um ano. Uhm... Casar com alguém que não te ama de volta seria difícil, mas que tal se casar com alguém por um acordo e a razão - ele só queria ter sua ex-namorada de volta, não seria mais doloroso? Sim, sendo assim, ela ainda concordou em se casar com ele porque acreditava que poderia mudar sua ideia de vingança que ele estava planejando para sua ex-namorada. Mas algo aconteceu durante o processo quando ela acabou se apaixonando por ele. Gabriel seria capaz de retribuir o amor de Madi ou preferiria a pessoa que amou primeiro? * * * Quando completou 18 anos, uma jovem de espírito livre, Arrianna Angela, assinou o contrato mais estúpido de sua vida. E isso era casar com o melhor amigo do seu irmão, o primeiro amor dela, Alexander Jonathan Smith. Mas aqui estava a reviravolta... Ele era rico, bonito, mas um dos mulherengos reconhecidos na cidade. Mas o que eles não sabiam era que não só o contrato assinado podia ser considerado estúpido, mas também ela, que ainda se viu profundamente apaixonada por ele, mesmo que ele a tenha deixado sozinha em seu casamento por quatro anos. E agora que ele voltou, ela ainda podia acreditar no homem que a fez sentir indigno por muito tempo, ou como nos últimos anos que tinha esperado, ela ainda aceitaria e continuaria a amá-lo apesar de tudo o que aconteceu?

Capítulo 1
Primeiro encontro

Ponto de vista de Sophia:

Um suspiro longo e profundo escapou dos meus lábios, porque não sei quantas vezes olhei meu relógio de pulso. Eu estou sentada dentro da cafeteria por cerca de quarenta e cinco minutos, mas eu ainda não consigo ver nem mesmo vislumbre da pessoa que me mandou mensagem ontem. Senhor Daniel Kelley, o CEO da Kelley International Corporation, vai ser meu 'suposto' noivo e marido daqui a três semanas.

Ele disse que quer nos conhecermos e me ver pessoalmente antes de anunciar nossa festa de noivado na próxima semana. Eu concordei, por isso, cancelei minha primeira consulta prática somente para poder conhecê-lo.

Talvez você esteja confuso sobre a festa de noivado. Como duas pessoas podem desposar sem conhecer uma à outra, ou mesmo sem se verem? Bem, isso é apenas um casamento no papel, assim, ser íntimo um do outro não é necessário. Nós só precisamos estar no casamento por um ano e, depois disso, vamos nos separar.

"Dez minutos. E não, cinco minutos. Mais cinco minutos e se ele não aparecer ainda, vou ir embora e ele também não vai me conhecer antes da festa de noivado", murmurei baixinho enquanto percorria meus olhos dentro de cafetaria.

E, para não ficar à toa enquanto espero por mais uns minutos, coloquei meus fones de ouvido e escutei minhas novas músicas de dança baixadas do meu celular, enquanto eu continuo criando novos passos de dança na minha cabeça.

Eu já estava satisfeita com a música e curtindo a batida quanto notei que havia alguém parado na minha frente. Tirei meu fone e olhei para ver um homem alto e bonito vestido com um terno escuro.

A primeira coisa que eu percebi foi seus olhos, eles eram frios e você não conseguiria ver uma única emoção neles. É como se eu estivesse olhando para um homem sem emoções.

"Sophia."

Minha respiração engasgou com o som da voz dele, tão fria, porém, tão sexy. E, o modo como ele mencionou meu nome, me deu arrepios na espinha.

"Sim. Você é senhor Kelley?"

Perguntei, e me ajeitei no assento, enquanto olhava direto para os olhos dele. Ele não me respondeu, ao invés disso, puxou a cadeira ao lado do meu assento e sentou-se confortavelmente sem tirar os olhos de mim. É meio estranho e horripilante, mas eu prendo a respiração e luto contra o desejo de não desviar o olhar.

"Senhor Kelley, certo?"

Eu perguntei de novo, mas, assim como a primeira tentativa, eu ainda não recebi resposta.

Eu estava prestes a perguntar se ele era um homem surdo quando, finalmente, ele abriu a boca.

"Diga-me, Sophia. Quanto dinheiro minha mãe te ofereceu para você aceitar esse acordo?"

Fiquei surpreendida com a pergunta dele. Não esperava que ele me perguntasse isso. Isso era o que eles chamavam de falar sem rodeios. Direitamente. Ir direto ao ponto, sem nem mesmo falar 'Oi', 'Olá', ou qualquer coisa.

"O quê? Pode repetir?"

Pedi a ele para explicar o que eu ouvi.

"Vamos, Sophia. Só quero saber quanto dinheiro minha mãe te ofereceu por esse acordo?"

Eu engoli em seco pela forma como ele estava me olhando, como se eu fosse algum tipo de sujeira.

"Como você a conheceu e como pediu a ela que escolhesse você para representar esse ato?"

Eu ri sarcasticamente assim que ele terminou sua pergunta.

"Com licença, senhor Kelley? Mas, para sua informação, sua mãe não me ofereceu nenhum centavo da conta bancária de sua família!"

"Então, o que você quer dizer com isso? Você aceitou esse acordo sem nada em troca? Ah, vamos! Senhorita Sophia. Eu sou um empresário e você não pode me enganar assim como fez com minha mãe!"

Cerrei os punhos e tentei acalmar meus nervos. Como esse homem ousa me insultar com o seu dinheiro? Porém, ao invés de gritar e lhe dar um olhar mortal, eu dei um sorriso. Um sorriso que eu tenho certeza de que o deixaria nervoso.

"É essa a razão pela qual você queria me encontrar, senhor Daniel Kelley? Só para me insultar e jogar na minha cara que tudo que eu queria era seu dinheiro."

"Por quê... não é o motivo pelo qual você concordou com isso? Então, me fala quanto você precisa?"

"E depois? Você vai me falar para voltar e cancelar o acordo?" Eu ri outra vez enquanto sacudia minha cabeça. "Escute aqui, Daniel Kelley! Nem todas as coisas desse mundo têm preço e podem ser compradas com seus cartões cintilantes, ou por seu precioso dinheiro dentro de suas calças!"

Aproximei meu rosto do dele e pude ver o quão surpreso ele ficou com minha reação.

"De uma vez por todas, sua mãe não me ofereceu nem um único centavo. Na verdade, ela pediu um pouco de minha ajuda. Para ajudar seu filho ma is velho e representar sua esposa por um ano. E sim, eu tenho uma razão para me casar com você, mas é muito mais do que dinheiro. Assim, só me diga diretamente se você não quer se casar comigo, e não me faça insultos ou julgamentos! Se você quiser, você pode falar com sua mãe, porque não fui eu quem insisti nesse casamento!"

Eu me levantei e peguei minha bolsa da mesa, no entanto, me lembrei de uma coisa e precisava contar a ele.

"Tsk. Tsk. Tsk. Daniel Kelley. Sim, você é bonito, tem ombros largos, é sexy e um marido perfeito com sua aparência...", sua boca se entreabriu e seus olhos se arregalaram um pouco. "Porém, sabe de uma coisa que eu percebi? O quão bonito você se pareceu é o oposto de sua atitude! Está fedendo! Você precisa tomar banho mais do que três vezes por dia durante todo o ano!"

Eu percebi como ele ficou espantado com minha última palavra, mas eu não o esperei responder. Eu o deixei boquiaberto e caminhei para a entrada da cafeteria. Eu não me importo o que ele vai pensar de mim depois disso. Se ele não quiser que eu me torne sua esposa con

tratual, tudo bem. Eu não preciso de seus insultos. Eu já sofri muitos insultos e julgamentos antes, não quero isso de novo.

Quando eu cheguei ao meu carro, soltei um forte suspiro e uma prece silenciosa quando a chuva começou a cair do lado de fora. Choveu a cântaros e agora estava embaçando meu para-brisas. Liguei o motor, como não tinha outra escolha senão dirigir nessa chuva forte. Se eu simplesmente soubesse que isso seria o resultado de quase uma hora de espera, não teria esperado por ele. Não, não deveria ter concordado em conhecê-lo.

O que eu falei era verdade, sim, eu aceitei o acordo, mas não por dinheiro, porém, pela última vez, pelo sobrenome da família dele. Precisava fazer isso, porque eu não tive outra escolha quando sua mãe me ofereceu o contrato.

Flashback:

Eu estava no estacionamento do shopping indo para meu carro quando notei uma figura me seguindo atrás. Eu me virei para trás só para ficar em pé. Eu não posso acreditar que estou vendo o último homem que eu queria ver, ou deveria dizer, o homem que eu nunca quis ver outra vez. O homem que quase acabou com minha vida no passado. Joseph De Luca.

"Guarda chi c'è? Finalmente ti ho trovato, Amore Mio." (Veja quem está aqui? Finalmente, encontrei você, meu amor), ele falou, sorrindo maliciosamente.

"Não me chame de seu amor, idiota!" Eu gritei com ele enquanto calafrios se arrastavam por todo meu corpo.

"Esuberante", ele riu. "Non sei ancora cambiato. Come stai, Amore Mio?" (Agressiva. Você continua a mesma. Como você está, meu amor?)

"Ho detto di non chiamarmi amore, cazzo! Bastardo!" (Eu te falei para não me chamar de 'amor'! Desgraçado!)

Ele sorriu e deu um passo em minha direção, e eu comecei a dar um passo para trás. Meu coração está batendo forte dentro do meu peito.

"Dai, non ti manco?" (Vamos lá, você não sente a minha falta?)

"Non mi mancherà mai la tua fottuta facia in tutta la mia vita!" (Eu nunca vou sentir falta do seu rosto nojento em toda a minha vida!)

E, eu fugi em direção ao meu carro. Estava prestes a abrir a porta quando senti uma mão sobre a minha. E a coisa seguinte que eu me lembro, foi que bati no meu carro com os lábios dele no meu pescoço.

"Deixe-me ir! Você é um maldito filho da puta! Não ouse tocar em mim!" Tentei empurrá-lo, mas ele era muito forte, então, eu apenas gritei com toda força de meus pulmões. "Socorro! Alguém me ajude!" Eu juntei todas as minhas forças e o empurrei, dando um tapa forte nele.

Ele colocou a mão onde eu acertei o tapa e sorriu para mim... depois, se transformou numa risada demoníaca.

Estou recuperando o ar e vendo ele rir de mim. Não posso acreditar que posso vê-lo novamente depois de muito tempo, e em todos os lugares possíveis, aqui na Califórnia. A Itália é tão longe daqui, por que o destino trouxe esse idiota aqui?

"Quem poderia ter pensado que depois desses anos, nós nos veríamos outra vez, meu amor? Por que você foi embora da Itália? Eu estive procurando por você em todo lugar. Você não sabe disso? Ainda se lembra disso?"

Ele apontou para uma grande cicatriz no seu pescoço. Seu rosto ficou sério, o que aumentou a ansiedade que se rastejava dentro de mim.

"É por essa maldita razão que eu estive procurando você! Eu quase procurei a Europa toda para te encontrar! Mas por que você não me contou que está se escondendo aqui na Califórnia?"

"Você é um filho da puta! Se você está pensando que pode escapar pelo que fez comigo há seis anos, está enganado!"

"Ohh... mia Cara Ysabelle, ma non hai prove delle tue accuse!" (Ahh, minha querida Ysabelle, mas você não tem provas de suas acusações.)

"Sim, mas eu juro por Deus, Joseph! Quanto eu tiver uma forte evidência contra você, você vai ficar velho e morrer dentro da prisão!"

"Ohh... tsk, tsk tsk. Isso já faz seis anos, meu amor. Você não está se sentindo cansada? Por que você não me dá o presente que você se recusou a me dar antes?"

"Foda-se!" Eu estremeci com o pensamento de me entregar a ele. "Eu vou me casar, então, vai se foder!"

Ele cerrou os olhos em mim, porém, antes que pudesse falar, nós escutamos a voz de alguém vindo de trás e três homens com uniformes brancos, vieram até nós.

"O que está acontecendo aqui? Sophia, está tudo bem?" Senhora Kelley caminhou até nós.

Joseph olhou para os três homens na frente dele e voltou seu olhar para mim.

"Non abbiamo ancora finito, Amore Mio! Quando ci rivedremo, mi assicurerò di prenderti e renderti completamente Mio!" Ele falou com um olhar penetrante antes de ir embora.

"Hum!" Fechei meus olhos e soltei a respiração pesada que estava segurando.

"Está tudo bem, Sophia?", ela bateu no meu ombro levemente e olhei para ela com olhos lacrimejantes.

"Estou bem, senhora Kelley. Obrigada por me ajudar."

"Mas eu não fiz nada?"

"Não, senhora. Você me ajudou com aquele homem. E muito obrigada por isso."

"Sophia, se você não se importar, poderia perguntar quem é aquele homem que estava aqui? E, o que ele disse para você antes de sair?"

"Ele falou que nós ainda não terminamos. E, quando ele me vir de novo, ele vai se encarregar de me pegar e me fazer completamente dele."

"Meu Deus! Por que ele falou isso, ele foi seu namorado antes ou é atual? Mas você falou que está solteira?"

"Sim, senhora. Eu estou solteira e ele não é meu ex-namorado nem meu atual namorado, e isso nunca vai acontecer. Eu prefiro morrer a ficar com ele." Olhei para os olhos dela para ver qual seria a reação dela, se eu contasse a verdade para ela. "Ele tentou me estuprar seis anos atrás."

"Meu Deus do céu!" Os olhos dela se arregalaram em choque, e eu só dei um sorriso triste para ela.

Baixar livro