back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Viciado em Você
5.0
Comentário(s)
42.6M
Leituras
720
Capítulo

Três anos atrás, a família Moore se opôs a Charles Moore se casar com sua amada namorada e escolheu Scarlett Riley como sua noiva. No entanto, Charles não gostava dela, na verdade, ele a odiava. Pouco depois do casamento, Scarlett recebeu uma oferta da universidade dos seus sonhos e decidiu ir para lá sem hesitação. Três anos depois, a amada mulher de Charles adoeceu terrivelmente. A fim de cumprir seu último desejo, ele chamou Scarlett de volta e lhe apresentou um acordo de divórcio. Scarlett ficou profundamente magoada com a decisão abrupta de Charles, mas optou por deixá-lo ir assinando o acordo. Estranhamente, Charles parecia estar atrasando deliberadamente o processo de divórcio, o que deixou Scarlett confusa. Agora Scarlett estava presa pela indecisão de Charles, ela seria capaz de se libertar dele?

Capítulo 1
De volta para o divórcio

PONTO DE VISTA DE SCARLETT

Verifiquei a hora de novo e suspirei, afinal, já fazia uma hora e meia desde que desci do avião e durante aquele tempo, perdi a conta das vezes que olhei para o relógio. Porém, não conseguia achar meu marido, Charles, em lugar nenhum. Ele deveria ter ido me buscar no aeroporto, mas pensei que ele provavelmente estava com a namorada. Então, balancei minha cabeça e sorri amargamente ao pensar naquilo, sendo assim, me levantei e me arrastei juntamente com minha mala para fora do aeroporto.

Eu estava casada com ele há três anos, mas logo após o casamento, recebi notícias da universidade dos meus sonhos no exterior, dizendo que fui aceita em um dos programas, então fui embora para estudar lá. Sendo assim, Charles e não nos víamos há três anos, mas enquanto eu estava fora, ele passava todo o tempo com a mulher que ele realmente amava.

Agora, como eu tinha finalmente terminado meus estudos, voltei para casa com a intenção de terminar nosso casamento nominal, pois decidi que já era hora de parar de esperar por coisas que nunca aconteceriam.

A caminho de casa em um táxi, enviei uma mensagem para Charles, que dizia: "Nós precisamos conversar."

Em pouco tempo, eu já estava dentro de nossa casa vazia, então, deixei minhas malas de lado e fui para a sala, onde me sentei no sofá e esperei. A casa estava com uma aparência e cheiro como se estivesse abandonada há anos, mas a foto de casamento ainda estava pendurada na parede. Aquilo me deu uma mistura de sentimentos, na qual me ofendeu e me entristeceu ao mesmo tempo.

Então olhei para meu celular, mas Charles ainda não havia respondido, imaginei que talvez ele não estivesse em casa naquela noite, mas apenas fiquei sentada lá por um longo tempo, mergulhada nos meus próprios pensamentos. De repente, ouvi um carro parar do lado de fora de casa. Naquele instante, me levantei do sofá, sentindo meu coração disparar, o que fez me perguntar se ainda esperava alguma coisa do meu marido, mesmo sabendo que ele tinha um coração de pedra. Talvez eu esperasse, talvez não. No entanto, no último momento, cerrei os dentes e apertei as mãos que estavam trêmulas, então, tentei me lembrar o motivo pelo qual havia ido até lá que era para acabar com tudo aquilo.

Assim que a maçaneta girou e a porta se abriu, Charles acendeu as luzes, fazendo com que a sombra dele fosse projetada no corredor e logo depois, ele entrou, vestindo um terno preto carvão e uma camisa branca imaculada. A julgar pela expressão que estava estampada em seu rosto, ele estava exausto, mas isso não ofuscou seu rosto anguloso e as maçãs do rosto proeminentes. Tudo ainda estava igual, ele ainda exalava aquela aura gelada que eu conseguia sentir há poucos metros de distância.

Enquanto ele se aproximava, meu coração bateu mais rápido e minha respiração parecia que estava saindo em rajadas curtas. Eu não podia acreditar que tinha esquecido o quanto ele era bonito, ele era como um deus que não pertencia ao mundo mortal, além disso, ele tinha o tipo de charme que apenas fazia com que as pessoas se rendessem por ele.

O tempo fez com que ele se transformasse em um homem de aparência mais madura e atraente. Assim que senti que minhas bochechas estavam queimando, desviei o olhar.

Naquele momento, ele caminhava até o sofá e se sentava. Em seguida, me sentei na frente dele.

Então, ele olhou para mim com seus olhos frios e afiados. Naquele momento, a primeira coisa que passou na minha mente, foi abaixar a cabeça e evitar olhar diretamente para ele, mas forcei meu queixo para cima. E quando o fiz, vi meu reflexo nos olhos escuros dele.

"Você voltou!" Ele falou em um tom de voz monótono de costume, o que me teria feito eriçar se eu já não o conhecesse.

"Sim." Respondi, mantendo minha voz tão indiferente quanto a dele.

"Meu advogado acabou de te enviar um e-mail." Enquanto Charles falava, ele afrouxava a gravata, fazendo com que seu peito musculoso aparecesse através da sua camisa.

"Está bem, deixe-me dar uma olhada." Engoli em seco e tentei educar minhas feições para aparentarem neutralidade.

Então, peguei meu celular e abri o e-mail. Naquele instante, vi o assunto do último e-mail na minha caixa de entrada que estava praticamente gritando para mim. Era o acordo de divórcio. Embora eu estivesse esperando por isso, naquele momento, ainda me senti como se alguém tivesse enfiado uma faca no meu peito. A dor foi rápida e surpreendente e a única razão pela qual eu estava grata por isso foi que imediatamente me cegou de enxergar o charme de Charles por um segundo.

"Tudo bem, vou assinar." Guardei meu celular e olhei para meu futuro ex-marido, pois sabia que em breve, ele não me pertenceria mais. Tive uma boa jornada fingindo ser a esposa dele, mas isso tinha que acabar e o momento havia chegado. Já era hora de expulsar o senhor Charles da minha vida. "Você não quer ler o acordo primeiro?" Ele questionou.

Ao passo que respondi: "Não há necessidade, tenho certeza que o senhor Charles vai tratar bem sua ex-esposa." Logo depois, forcei um sorriso e aquela palavra ecoou na minha mente. Eu ia passar a ser a ex-esposa dele em breve, mas não tinha certeza se estava bem com um termo tão indiferente como aquele. "Você vai ficar com essa casa na rua Garden e o apartamento no centro..."

"Quando?" Eu o interrompi.

"O quê?" Ele questionou, franzindo a testa e olhando para mim como se estivesse me sondando.

"Quando nós vamos assinar os papéis?" Perguntei suavemente.

"Vou marcar um horário com meu advogado." Charles respondeu, abaixando ligeiramente o queixo.

"Muito bem, vou esperar pela sua ligação então."

Depois de um momento de silêncio, ele olhou para mim novamente.

"Rita não está bem de saúde, só quero cumprir o último desejo dela", ele explicou.

Cerrei meu punho enquanto engolia o nó que estava preso na minha garganta. Cumprir o último desejo dela? Mas que grande homem! Só que ele realmente tinha que fazer isso às minhas custas? Bem, eu supunha que não tinha o direito de me sentir machucada naquele momento, afinal, eu era apenas a esposa de mentirinha dele. Uma substituta!

"Entendi." Eu disse, balançando a cabeça, embora no fundo, eu estivesse cheia de coisas que queria falar na cara dele.

"Se você precisar de mais alguma coisa, vou pedir ao meu advogado para colocar no acordo."

"Não, estou bem, o que quer que tenha lá, vai ser o suficiente." Mais uma vez, eu disse isso e curvei meus lábios em um sorriso fraco.

"Venha ver Rita amanhã." Charles disse e em seguida, se levantou e começou a andar na minha frente.

Ele disse aquela última frase com firmeza, o que indicou que ele não estava me pedindo para ir ver a namorada dele, ele estava ordenando que eu o fizesse. O que ele achava que eu era? E por qual motivo eu deveria ir conhecer aquela mulher? Será que ele só queria esfregar sal na minha ferida?

"E por qual motivo eu faria isso?" Perguntei para ele com uma expressão séria.

"Não quero que ela se sinta culpada pelo nosso divórcio, diga para ela que você está apaixonada por outra pessoa. Assegure a ela que nossa decisão de terminar o casamento não tem nada a ver com ela." Ele parou na minha frente e olhou nos meus olhos mais uma vez logo depois de falar isso.

"Tá bem."

Eu queria recusar, mas, por alguma razão, sempre achava difícil dizer não para ele. Tudo o que ele tinha que fazer era me olhar nos olhos e pedir, e eu cederia sem lutar.

"Obrigado, passo para te buscar amanhã."

"Não precisa se incomodar, só me mande uma mensagem com o endereço e estarei lá."

Charles deu uma última olhada para mim e depois foi embora.

Então, observei ele se afastando enquanto as lágrimas brotavam dos meus olhos. Nós escondemos nosso casamento durante aqueles últimos três anos, ninguém sabia disso, exceto nossa família e amigos íntimos. Há alguns meses, a mídia noticiou o noivado de Charles com Rita, sendo que diversas fotos dela experimentando vestidos de noiva também foram publicadas e circularam por toda a internet. Que combinação perfeita!

Passei algumas longas noites olhando para aquelas fotos e cada vez que eu o fazia, meus olhos automaticamente eram atraídos pela imagem de Charles, pois naquela época, eu pensava que não deveria perder a esperança em nós. Eu acreditava que enquanto permanecesse casada com ele, ainda havia uma chance de que ele pudesse se apaixonar por mim e então nosso relacionamento se tornaria real. Eu o amava, e isso era o suficiente para mim.

Só fui perceber tarde demais que também precisava que ele me amasse de volta, queria que ele me amasse tanto quanto eu o amava.

Passei os últimos três anos esperando por ele, tentei dar o meu melhor para mostrar para ele todo o meu carinho e preocupação, apesar da distância entre nós, mas não recebi nada em troca, então, um dia acordei e permiti que a verdade me esmagasse.

Naquele dia, a pegajosa e carente Scarlett teve uma morte dolorosa e do seu cadáver surgiu uma nova pessoa, uma Scarlett vestida com uma armadura tão grossa que nenhuma espada ou lança poderia perfurá-la.

Subi para meu quarto carregando minhas malas e guardei minhas roupas, uma por uma. Então, tomei um banho e vesti uma camisola. O quarto estava aparentando ser o mesmo, como se ninguém tivesse tocado nele desde a última vez em que eu estava lá. Não havia nenhuma bagunça fora do lugar nem mesmo uma ruga nos lençóis, era óbvio que Charles não tinha usado o quarto naqueles últimos três anos pois ele provavelmente estava morando em outro lugar com Rita.

Ao pensar naquilo, estremeci um pouco, então, fui para a varanda respirar um pouco de ar fresco, mas para minha surpresa, vi o carro de Charles ainda estacionado na garagem. Naquele instante, me perguntei por qual motivo ele ainda estava lá? Ele não deveria ter voltado correndo para sua amada Rita?

Enquanto eu olhava fixamente para o carro dele, meu celular tocou. Era Tiana, minha melhor amiga, então, atendi a ligação dela imediatamente.

"Oi, Tiana!"

"Cadela! Bem-vinda de volta!"

"Obrigada."

"Ainda estou viajando a trabalho, desculpa por não poder ter ido te buscar no aeroporto hoje."

"Está tudo bem, o trabalho vem em primeiro lugar."

"Você voltou de verdade ou vai embora de novo na primeira oportunidade que você tiver?"

"Acho que vou ficar por agora."

"Ótimo! Venha trabalhar na nossa rádio então, quero dizer, você é perfeita para esse trabalho, você se formou em mídia, sua voz é agradável de ouvir e você é linda. Tenho certeza que as pessoas vão te amar, você vai se encaixar direitinho! O que você acha?"

"Está bem."

"Você falou com Charles?" A voz de Tiana ficou baixa de repente, como se ela quisesse sentir alguma coisa na minha resposta.

"Sim." Quando eu disse isso, olhei para o carro dele que ainda estava na garagem.

"Ele te contou sobre a namoradinha dele?"

"Sim."

"Que idiota sem vergonha! Como ele ousa sequer mencionar ela para você?"

"Está tudo bem, Tiana! Ele me pediu para ir ver Rita amanhã e eu disse que iria."

"O quê? Você realmente concordou em ir conhecer aquela vadia que roubou seu marido? Você está doida, Scarlett? Aquela mulher seduziu Charles e o persuadiu a se separar de você, sinceramente não sei por qual motivo ela está desperdiçando a energia dela, afinal, a família de Charles não aprovou ela para se tornar a esposa dele há três anos, o que a faz pensar que de alguma forma eles mudariam de ideia agora?" Tiana estava praticamente rugindo do outro lado da linha quando ela disse aquilo.

"Tudo já está dito e feito, agora, tudo o que quero é deixar o passado para trás." Eu disse, sorrindo levemente.

"Passado? Scarlett, você ainda o ama, né?"

Não respondi aquela pergunta, pois era óbvio que eu ainda o amava, afinal, nunca tinha deixado de amá-lo.

"Scarlett!" O grito dela me trouxe de volta à realidade.

"Estou cansada, Tiana! Te ligo amanhã, está bem? A gente se vê em breve."

Desliguei a ligação antes que Tiana pudesse falar qualquer outra coisa e respirei fundo. O carro dele ainda estava lá e não parecia que ele estava planejando ir embora tão cedo, mas por qual motivo eu sequer me importava com isso?

De repente, a exaustão finalmente começou a pesar sobre mim, então, voltei para o quarto e me deitei na cama. Fiquei deitada de costas, olhando para o teto e esperando o sono chegar, mas alguns momentos depois, ouvi alguém batendo na porta.

Esfregando o sono dos meus olhos, deslizei para fora da cama e abri a porta, no entanto, quem estava do lado de fora, era Charles.

Baixar livro