Login to Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon Histórico
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Um Amor Renovado
5.0
Comentário(s)
1.8M
Leituras
272
Capítulo

Dois anos depois de seu casamento, Ximena perdeu a consciência em uma poça de sangue durante um parto difícil, esquecendo-se de que seu ex-marido iria se casar com outra pessoa naquele dia. "Vamos nos divorciar, mas o bebê fica comigo." Essas palavras ecoavam na mente dela. Ela sabia que ele não estava lá para ajudá-la, mas para tirar sua criança. Ximena preferiria morrer a ver seu filho chamar outra mulher de mãe. Mais tarde, ela perdeu sua vida na mesa cirúrgica com dois bebês na barriga. Mas esse não foi o fim para ela... Anos depois, ela encontrou Ramon, que mudou muito, novamente. Ele queria mantê-la para si mesmo, embora ela já fosse mãe de dois filhos. E quando descobriu que ela ia se casar de novo, ele invadiu o local como um louco. "Ramon, eu morri uma vez antes, então não me importo de morrer de novo. Mas desta vez, quero que morramos juntos", ela gritou, olhando para ele com angústia nos olhos. Ximena achava que ele não a amava e estava feliz por ter saído da vida dele. Mas o que ela não sabia era que a notícia da sua morte inesperada tinha partido o coração dele. Por muito tempo, ele chorou sozinho de dor e agonia. Ele sempre desejou poder voltar no tempo ou ver seu lindo rosto mais uma vez. Tudo isso foi demais para Ximena, cuja vida se enchia de reviravoltas. Ela não sabia se deveria voltar ao lado do ex-marido ou seguir em frente com sua vida. Qual ela escolheria?

Protagonista

: Ximena Griffin e Ramon Mitchell

Capítulo 1 Deixada para morrer

Ximena Griffin não sabia quantas vezes havia ligado para Ramon Mitchell na última hora, mas nenhuma de suas tentativas foi frutífera. Ela tinha acabado de dar à luz o bebê deles, então como ele poderia estar agindo com tanta insensibilidade?

Ao sentir sua visão ficar embaçada, ela amassou o cobertor branco do hospital em suas mãos e mordeu o lábio inferior com tanta força e irritação que seus dentes se mancharam de sangue.

Ela podia ouvir vagamente alguém do lado de fora, exigindo que o médico mantivesse o bebê vivo. Nesse momento, ela se lembrou de que hoje Ramon se casaria com outra mulher. Ximena sabia que ele só queria ficar com o bebê, sem manter nenhuma ligação com ela. A criança já tinha até um nome e uma nova mãe para substituí-la. Que absurdo!

Lutando para conter as lágrimas e sentindo uma dor insuportável por todo o corpo, Ximena segurou o bebê nos braços com força.

De repente, a porta da sala de parto se abriu e um monte de gente invadiu o local, incluindo Melanie Griffin.

Ximena empalideceu e segurou o bebê com mais força enquanto encarava as pessoas à sua frente com raiva.

Melanie olhou para ela com desdém e disse incisivamente: "O entregue para mim, Ximena. É isso o que você deve à minha irmã. Se alguma coisa acontecer com o bebê, Ramon vai matar você."

"Mas não fiz nada para ofender Lyla!", retrucou Ximena com firmeza.

Imperturbável, Melanie zombou dizendo: "Isso não importa mais, mas se Ramon acredita que a culpa é sua, então ela é! Agora, o entregue para mim porque ele vai ajudar Lyla a entrar para a família Mitchell e a se tornar a esposa de Ramon. Isso vai ser uma grande felicidade para minha família. Quanto a você, seu destino é apodrecer na prisão por causa do que fez com ela!"

"Não tenho nada a ver com o que aconteceu com ela! Você não pode simplesmente levar meu bebê!"

Ximena se recusava a entregar a criança. Além disso, ela era inocente! Por que Ramon acreditou nessa bobagem e estava fazendo com que ela fosse punida? Isso era muito injusto! Ela carregou o bebê no ventre por nove meses e o amava de todo o coração. Ela nunca deixaria que ninguém o levasse para longe dela.

Com as mãos trêmulas, Ximena pegou o celular para ligar para Ramon. Assim como tinha acontecido, ela tentou repetidas vezes, mas sem sucesso. Por fim, o celular dele foi desligado.

Melanie zombou: "Você realmente acha que ele vai atender? Pare de sonhar porque não passa de uma ferramenta para ele. Agora que já deu à luz o bebê, você não serve para mais nada. Ele se divorciou de você porque você o fazia se sentir muito enojado, preferindo até se casar com Lyla enquanto ela ainda está em estado vegetativo a ter que ficar com você. Abra os olhos, Ximena! Ramon nunca amou você."

Ximena sentiu como se seu coração se despedaçasse quando ouviu as palavras de Melanie. Não dava para acreditar que Ramon pudesse ser tão cruel. O casamento de dois anos não significou nada para ele. Ela foi meramente um trampolim para que Lyla conseguisse se casar com um membro da família Mitchell!

De repente, uma dor aguda se espalhou pela parte inferior do abdômen de Ximena, ela gemeu de horror e choque, pois parecia que todo o seu corpo estava sendo dilacerado. O sangue escorreu por suas coxas e caiu no chão branco. Em seguida, ela começou a ter dificuldade para respirar e sentiu como se fosse desmaiar.

A enfermeira engasgou e gritou em pânico: "Ela está tendo uma hemorragia!"

Melanie observou Ximena cair lentamente no chão enquanto perguntava: "Por que vocês estão parados? Peguem o bebê! Sejam rápidos ou vão se arrepender!"

Em instantes, pegaram a criança dos braços da mãe e a levaram embora. Ximena desmaiou e caiu no chão, com o sangue se acumulando ao seu redor. Ninguém do grupo de pessoas que invadiu a sala de parto parecia se importar com isso.

Ao saber do estado da paciente, a equipe cirúrgica do hospital emitiu um termo de consentimento para operá-la às pressas, mas ninguém se dispôs a assiná-lo. Afinal de contas, todos sabiam que Ramon não amava Ximena. Tanto ela quanto o bebê não passavam de peões para ajudar Lyla Griffin, a amada mulher de Ramon, a se casar com ele.

Ninguém se importava com o bem-estar de Ximena porque Ramon havia terminado o relacionamento deles. Aliás, a morte dela seria um resultado muito melhor para essas pessoas.

Pouco depois de Ximena ter sido levada para a sala de emergência, o médico saiu e relatou com desânimo que os sinais vitais dela haviam parado. Melanie não se espantou e saiu imediatamente com o bebê.

As luzes fortes do local acentuavam a vermelhidão do sangue de Ximena no chão. O formulário de consentimento ignorado estava ali perto, manchado de sangue.

Assim que Melanie e as outras pessoas saíram, um auxiliar saiu correndo da sala de emergência e relatou ao médico: "Temos um problema, doutor! A paciente... tem mais dois bebês em seu ventre..."

Quatro anos depois daquele dia fatídico, um adorável garotinho estava sentado em silêncio em seu quarto na residência da família Griffin. O menino tinha um olhar profundo e uma expressão fria, fazendo com que ele parecesse mais maduro do que sua idade. Tudo parecia perfeito, exceto a leve marca de um tapa em sua bochecha.

De repente, alguém abriu a porta do quarto. Era Melanie, usando um vestido vermelho de alta costura e sapatos de salto agulha. A maquiagem extravagante dela não escondeu a irritação que ela sentiu ao ver que o menino ainda não estava pronto para o evento. "Os convidados já estão aqui, Neil. Coloque suas roupas agora mesmo e venha comigo."

"Não vou sair daqui", respondeu Neil Mitchell friamente.

Melanie fez uma careta e caminhou até o garoto com passos pesados de fúria. "Falei para você se vestir!"

"Não quero!" Neil a encarou com sua bochecha ainda inchada.

Ela fumegou de raiva. Então, seus olhos brilhantes avistaram o castelo de Lego que Neil havia construído e, sem hesitar, ela se aproximou para derrubá-lo com um estrondo.

Neil assistiu ao conjunto de Lego se espatifar no chão com incredulidade. Lágrimas brotaram instantaneamente de seus olhos, mas ele logo as limpou enquanto gritava: "Tia Melanie! Passei a noite inteira construindo esse castelo! Por que você o derrubou?"

Melanie ficou ainda mais irritada por ter sido chamada de tia. Isso era um lembrete constante de que ela havia conseguido tudo o que tinha só por causa de Neil. Nesse momento, ela disse, olhando para o menino com frieza: "Isso é o que você ganha por ser teimoso. Agora, se vista logo e desça comigo."

"Eu odeio você!", exclamou o menino antes de pegar as roupas formais no chão e as jogar na direção de Melanie.

Melanie imediatamente agarrou o pulso dele e o encarou nos olhos. "Preste atenção, Neil. Se não fosse por mim, você teria sido abandonado em um orfanato. Não me importo com seu ódio, mas você vai ter que aguentar até o final da festa e esperar todos os convidados irem embora. Caso contrário, é para lá que você vai!"

O menino já tinha quatro anos, mas essa foi a primeira vez que Ramon organizou uma grande festa de aniversário para ele. Para Melanie, isso era uma oportunidade preciosa de se aproximar de Ramon depois de tanto tempo. Ela nunca iria deixar esse garoto teimoso arruinar seu futuro.

"Se não quer descer, fique aqui dentro para sempre!" Melanie saiu do quarto furiosa e trancou a porta por fora.

O medo imediatamente contorceu o rosto de Neil. A última vez que ele foi preso, ficou com muito medo porque era um lugar escuro e assustador, onde só os ratos lhe faziam companhia. Foi uma situação tão traumatizante que ele desenvolveu uma fobia de ficar sozinho no escuro.

Então, o pobre menino correu em direção à porta e bateu nela com as mãozinhas, chorando e implorando: "Tia Melanie, me desculpe! Por favor, abra a porta porque não quero ficar sozinho! Estou assustado! Prometo me comportar! Tia, por favor!"

Continuar lendo

Você deve gostar

Capítulo
Ler agora
Baixar livro