back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar O APP
rightIcon
A Noiva em Fuga e o Magnata Misterioso

A Noiva em Fuga e o Magnata Misterioso

Irita Sarkar

5.0
Comentário(s)
1.2M
Leituras
186
Capítulo

Celia Kane veio de uma família rica, mas perdeu sua mãe quando criança. Desde então, ela levou uma vida difícil. Pior ainda, seu pai e sua madrasta a forçaram a se casar com Tyson Shaw como substituta de sua meia-irmã. Não querendo aceitar seu destino, Celia fugiu no dia do casamento e teve um caso com um estranho. No dia seguinte, Celia saiu secretamente, e mais tarde, seu pai a encontrou. Tendo falhado em escapar de seu destino, ela ainda foi forçada a se tornar a substituta. Para sua surpresa, seu marido a tratava muito bem depois do casamento, e aos poucos ela descobriu que ele tinha muitos segredos. Celia descobriria que o homem com quem ela teve um caso era na verdade seu marido? Tyson saberia que Celia era apenas uma substituta de sua meia-irmã? Quando Celia iria descobrir que seu marido comum era na verdade um magnata misterioso?

Capítulo 1
A noiva substituta

Celia Kane abriu os olhos, sentindo-se atordoada. Ao olhar seus arredores, uma fraqueza seguida por tontura a atingiu. Assim que abaixou os olhos, ela se deu conta de que usava um vestido de noiva. Aquilo era, no mínimo, bizarro.

No segundo seguinte, vários seguranças se reuniram ao redor dela, prestes a forçá-la a entrar em uma limousine.

"O que é isso?! O que vocês estão fazendo? Me soltem!", Celia gritou, ela estava em pânico. Nada daquilo fazia sentido, ela se perguntava o que estava acontecendo.

A mulher soltou um suspiro, tentando colocar seus pensamentos em ordem. Afinal, ela só havia voltado para pegar os pertences da mãe e, atendendo a um pedido de seu pai, ela resolveu ficar para o almoço. Isso era tudo o que ela conseguia se lembrar. O que estava acontecendo naquele momento com certeza não fazia parte de seus planos.

Mas seus gritos foram em vão, os seguranças a seguraram com mais força, forçando-a para dentro do carro.

"A ordem do senhor Kane foi muito clara. Entre no carro agora mesmo", gritou um dos seguranças, seu tom de voz era alto e aterrorizante.

Celia mal conseguia acreditar no que acabara de ouvir. Como aquilo poderia ser ideia de seu próprio pai?

Chocada e confusa, ela lutou para lembrar-se do que havia acontecido.

Duas horas atrás, seu pai, Adrien Kane, disse-lhe que acidentalmente encontrou os pertences de sua mãe, Jenifer Mitchell, no sótão. Então ele propôs que ela fosse à casa dele para buscar os pertences da mãe dela.

Celia havia saído de casa aos dezessete anos. Desde então, ela nunca mais entrou na casa de seu pai. E se não fosse pelos pertences de sua mãe, ela nunca mais teria voltado.

Assim que ela chegou lá, Adrien insistiu para que ela almoçasse com ele. Na verdade, Celia não pôde deixar de se sentir desconfiada diante do pedido do pai, visto que ele nunca havia se importado com esse tipo de coisa antes. Por isso, ela se limitou a tomar apenas um gole de suco. Mas ela não esperava que isso fosse o suficiente para fazê-la desmaiar. E, agora que ela acordara, a situação estava fora de controle.

Celia estava fraca devido à droga. Mas graças aos anos de prática de karatê, ela estava em boa forma. Caso ela quisesse se salvar, ela precisava agir rápido.

"Não, eu não vou entrar no carro", ela disse enquanto pressionava os ombros contra a porta do carro, tentando resistir. Em seguida, ela reuniu forças para confrontar os seguranças: "O que diabos está acontecendo? Se isso é ordem do Adrien, quero ouvi-la diretamente dele."

Assim que ela terminou a frase, uma voz grave soou atrás dela. Era Adrien.

"Celia, se eu pudesse escolher, não escolheria fazer isso. Apenas obedeça. Entre no carro e case-se."

Celia ergueu a cabeça e seus olhos encontraram os de Adrien, que estava parado ali. Ao lado dele estavam sua madrasta, Mabel Brooks, e sua meia-irmã, Cerissa Kane.

Mesmo sendo seu pai, aquele homem sempre foi distante e frio com ela. Mas agora, ele parecia envergonhado, pois não se atreveu a encará-la nos olhos.

"Chega de rodeios! Nós a criamos, ela nos deve muito. Agora que nossa empresa está passando por uma crise, é hora de ela nos retribuir."

Mabel deu um passo à frente, medindo Celia com os olhos. "E não se atreva a dizer que sou uma madrasta ruim. Na verdade, você deveria estar me agradecendo de joelhos agora. Afinal, você vai entrar para a família Shaw. Você viverá uma vida luxuosa e cheia de regalias, assim como a maioria das pessoas deseja. Todos na cidade terão inveja de você. Sua mãe está te ob

servando do céu. Ela deve estar feliz em ver a filha se casando agora."

Os olhos de Celia se encheram de raiva quando ela ouviu aquela mulher mencionar sua mãe.

"Uma destruidora desprezível de família como você não tem o direito de decidir sobre meu casamento."

"Meça suas palavras!", o rosto de Mabel ficou vermelho de raiva. Mas um sorriso zombeteiro apareceu em seu rosto antes de ela dizer: "Sim, sou uma destruidora e não tenho controle sobre você. Mas a questão é que o Grupo Kane está em perigo. Nossa família está passando por uma crise. A família Shaw está disposta a nos apoiar desde que você se case com um membro da família deles."

Dizendo isso, a mulher se aproximou e agarrou Celia pelos cabelos. "Você é a filha mais velha do seu pai, então é sua obrigação salvar o Grupo Kane, mesmo que isso signifique sacrificar seu casamento e felicidade.

Além disso, como um casamento com um dos membros da família Shaw pode ser considerado um sacrifício? A família Shaw é a mais rica de Hosworth. Muitas mulheres se matariam para fazerem parte dessa família."

Celia a encarou e disse com sarcasmo: "É mesmo? Então por que você não deixa sua filha se arriscar?"

"Celia, você entendeu mal."

Cerissa lançou-lhe um olhar preocupado antes de dizer hipocritamente: "A mamãe queria que eu me casasse com um membro da família Shaw. Mas quando o papai descobriu que eu me casaria com o Tyson Shaw, ele discordou. Todo mundo sabe que o Tyson sofreu um acidente de carro que o deixou com o rosto desfigurado. Ele está muito fraco agora, prestes a morrer a qualquer momento. Como posso me casar com um homem assim? Você conhece o papai mais do que ninguém. Ele não suporta me ver sofrer, então ele teve essa ideia."

Cerissa decidiu se fazer de vítima. Entre soluços, ela continuou: "Celia, por favor, não culpe o papai. Se existe um culpado aqui, sou eu."

Neste momento, o coração de Celia foi consumido pela tristeza. Oprimida pela raiva e decepção, ela voltou sua atenção para Adrien.

Tanto ela, quanto Cerissa, eram filhas dele. Mas estava claro que ele só se importava com Cerissa. Que ótimo pai aquele homem era.

Ainda assim, Adrien não ousou erguer a cabeça para encarar Celia. Mabel aproveitou a oportunidade e ordenou aos seguranças que empurrassem Celia para dentro do carro. Celia se debateu, mas seu esforço foi em vão. Ela não podia medir forças com aqueles seguranças.

Antes que o carro partisse, Cerissa inclinou-se para olhar Celia através da janela. As lagrimas eram visíveis nos olhos dela, mas, mesmo assim, um sorriso vitorioso brotou em seus lábios.

"Celia, eu quase me esqueci de te dizer uma coisa", seu tom de voz era quase inaudível, apenas as duas eram capazes de ouvir as palavras dela.

"O papai colocou uma droga no seu suco para deixá-la inconsciente. Mas, para mim, não parecia o suficiente. Então resolvi adicionar um pouco de afrodisíaco."

Ao finalizar a frase, o sorriso no rosto de Cerissa se alargou, tornando-se maligno. "Hoje é o seu grande dia. Como sua querida irmã, eu lhe darei um grande presente mais tarde."

Celia sentiu seu sangue ferver, ela tentou desesperadamente sair do carro. Sua vontade era de estapear o rosto descarado de Cerissa.

"Não precisa me agradecer. Apenas aproveite a noite."

Sem tirar o sorriso do rosto, Cerissa sinalizou para que o motorista desse partida no carro.

O motorista obedeceu à ordem. No carro, Celia ainda estava sendo contida pelos seguranças. À medida que os minutos se passavam, o ódio crescia dentro dela.

Baixar livro