back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Amor após o divórcio

Amor após o divórcio

KATHERINE PAYNE

4.9
Comentário(s)
410.1K
Leituras
111
Capítulo

Adeline sempre foi humilde durante os três anos de casamento com Brendan. No entanto, o que ela recebeu em troca não foi amor ou carinho, mas indiferença e desdém sem fim. Pior ainda, quando a mulher que Brendan amava reapareceu de repente, ele se afastou ainda mais de Adeline. Finalmente, Adeline não aguentou mais e pediu o divórcio. Afinal, por que ela deveria ficar com um homem tão frio e distante? Certamente o próximo seria melhor. Quando Brendan viu sua ex-mulher indo embora com a bagagem, uma ideia lhe ocorreu e ele fez uma aposta com seus amigos. "Ela definitivamente vai se arrepender e rastejar de volta para mim em breve." Ao ouvir essa aposta, Adeline zombou: "Nos seus sonhos !" Alguns dias depois, Brendan encontrou em um bar sua ex-mulher comemorando seu divórcio. Mais tarde, ele notou que ela parecia ter um novo pretendente. Brendan entrou em pânico. A mulher que se apegou a ele por três anos já não se importava mais com ele. O que ele iria fazer?

Capítulo 1
Sexo sem amor

A noite estava escura, e lá fora, trovões retumbavam e relâmpagos riscavam o céu. Estava chovendo durante o dia todo.

Adeline Dawson estava deitada na cama sem conseguir dormir. Ela estava enrolada num cobertor, mas apesar disso, seu corpo ainda não conseguia parar de se tremer. Ela tinha medo de noites com tempestades desde criança, porque sentia como se incontáveis mãos invisíveis fossem levá-la para um abismo infinito.

Adeline mordeu o lábio. Mesmo seu corpo inteiro estando coberto de suor agora, ela não se atrevia a mover um músculo ou fazer qualquer tipo de som.

Creak.

De repente, a porta do quarto se abriu lentamente. Então, Adeline ouviu o som de sapatos se aproximando, batendo contra o piso de madeira.

O coração de Adeline disparou, e ela prendeu a respiração por tanto tempo que começou a sentir falta de ar. Seus pensamentos se encheram de cenas horríveis que a fizeram estremecer de medo. Afinal de contas, ela estava sozinha nesta grande casa. Para garantir a privacidade dos patrões, todos os empregados ficavam numa outra casa atrás da residência principal.

Subitamente, Adeline percebeu alguém puxando o cobertor dela, o que a fez tremer ainda mais de pavor.

"Não..." Sua voz saiu da boca num grito de pânico, mas isso não impediu o intruso de arrancar o cobertor sem piedade. Com a vista embaçada por causa de suas lágrimas, Adeline viu na sua frente um homem bonito numa camisa branca. Ele era Brendan Clemons, seu marido.

"Mas, o que você está fazendo aqui?" Na presença de Brendan, Adeline fez seus medos diminuírem gradualmente. Seu coração, que batia numa velocidade alucinante, voltou lentamente a bater em seu ritmo normal.

"Por quê? Você estava esperando outra pessoa no meu lugar?" Soltando o cobertor, Brendan bufou e começou a desabotoar a sua camisa. Com seus dedos esguios, ele desabotoou os botões um por um, revelando seu peito forte e viril.

Adeline imediatamente corou com a cena e se virou.

"Você está tímida?" Brendan deu uma boa olhada para sua esposa que estava deitada em posição fetal na cama. Ela estava usando uma camisola de seda e parecia muito nervosa, evitando encontrar o olhar de seu marido. Uma das alças de sua camisola havia caído de seu ombro, e a forma como ela havia deitado levantou a bainha de sua camisola até a coxa. Sob as luzes fracas, sua pele sedosa parecia ainda mais sedutora.

Brendan começou a se sentir excitado ao vê-la daquele jeito sensual na cama.

Adeline e Brendan estavam casados há três anos e faziam sexo regularmente. Vendo a expressão de excitação no rosto de Brendan, Adeline imediatamente soube o que viria a seguir.

"Você não vai deitar na cama desse jeito, vá tomar um banho." Adeline pulou imediatamente da cama. Ela pegou o pijama de Brendan do guarda-roupa, entregou a ele e apontou o dedo para o banheiro.

Pouco tempo depois, ela ouviu o som do chuveiro. Pensando no que aconteceria depois que Brendan terminasse de tomar banho, Adeline sentiu uma súbita ansiedade.

Durante os últimos três anos, ela vinha desempenhando exemplarmente o papel de senhora Clemons. Mas quando a noite chegava e ela e Brendan ficavam sozinhos no quarto, ele a torturava na cama. Ele era como um animal insaciável que não parava de penetrá-la até que ela estivesse completamente exausta.

Enquanto Adeline estava com a mente em seus devaneios, a porta do banheiro se abriu e Brendan saiu. Ele não estava usando o pijama que ela havia lhe entregado. Em vez disso, Brendan estava apenas usando uma toalha enrolada em volta da cintura. A água de seu cabelo escorria para o abdômen até ser absorvida pela toalha.

Brendan arrancou a toalha e a jogou no chão. De repente, ele a agarrou e a virou de costas na cama. Sem estar preparada, Adeline percebeu Brendan deslizando sua calcinha para o lado e a penetrando, inevitavelmente ela soltou um grito de dor.

Brendan subiu em cima dela e começou a bombear. O ar quente que ele exalava fazia cócegas nos lóbulos das orelhas e no pescoço dela. Então, ele se moveu para beijar, lamber e chupar seus seios fartos. Ela não pôde deixar de gemer de excitação e suas pernas tremeram com o prazer que sentiu.

Brendan estava tão quente e duro dentro dela, e suas estocadas eram curtas e rápidas. Adeline tinha que admitir que seu marido era realmente habilidoso fazendo sexo. Depois de três anos juntos, ele já sabia exatamente quais eram os pontos mais sensíveis no corpo de sua esposa. Nesse instante, ele encontrou um desses pontos e focou nele, deixando-a louca de prazer.

A sensação de êxtase fez Adeline se contorcer na cama, e ela podia sentir uma onda de calor invadindo todo o seu corpo. Ela era viciada nas sensações que seu marido provocava em seu corpo. Enquanto Brendan entrava e saía de dentro dela, Adeline arqueou as costas e então ergueu os quadris para que as estocadas pudessem ser mais profundas. Eles estavam em perfeita harmonia naquele momento. Ela precisava sentir ele gozando dentro dela.

Brendan deu alguns tapas nas nádegas dela enquanto ele grunhia de satisfação.

"Eu quero ouvir você gemer, querida. Vamos. Faça o que estou te pedindo." A voz profunda e sedutora de Brendan enfeitiçou Adeline que não conseguiu resistir ao seu pedido. Ela finalmente abriu os lábios e deixou sua satisfação se transformar em gemidos suaves e desenfreados de prazer. Ao ouvir sua esposa gemer, Brendan ficou ainda mais excitado. Ele quase não conseguiu conter seu gozo.

Depois de um sexo ardente na cama, ele a pegou e a levantou da cama. Eles também transaram no banheiro e na varanda. Ele a fez gozar de novo e de novo, de uma maneira insaciável como se nunca se cansasse. Finalmente, ele havia se saciado e ela estava exausta, adormecendo em seus braços.

Depois de algumas horas, Adeline abriu os olhos. Ouvindo Brendan respirando com firmeza, ela sabia que ele estava dormindo profundamente. Ela tirou a mão dele de sua cintura, saiu da cama e foi caminhado na ponta dos pés até a janela. Então se sentou na cadeira e olhou fixamente para o céu noturno.

Três anos haviam se passado. Em todo esse tempo, Brendan nunca havia a chamado de "querida" a não ser que estivessem fazendo sexo.

Adeline se virou e fixou seus olhos no belo rosto adormecido de Brendan. Exceto quando eles estavam tendo relações sexuais, os olhos de seu marido eram sempre frios e sem emoção quando ele olhava para ela.

Baixar livro