back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Dever pecaminoso

Dever pecaminoso

Érica Moura

4.6
Comentário(s)
3.4M
Leituras
557
Capítulo

A madrasta a tratava com injustiça, a meia-irmã queria tudo o que ela tinha, e até o pai tentava vendê-la a um velho lecher apenas em troca por um contrato. Tudo isso não derrubou Sophia. Mas quando ela pegou o namorado e sua meia-irmã a traindo, ela não conseguiu engolir a raiva desta vez. No entanto, sua meia-irmã não se cansou desse jogo. Ela mostrou sua intimidade com o ex de Sophia de propósito. Então ele veio e puxou Sophia para seus braços, virando a mesa. Ele queria que todos aprendessem o fato de que ninguém poderia pagar a conseqüência causando um pequeno dano à sua mulher. Essa era a maneira mandona que ele a amava.

Capítulo 1
O primeiro encontro

Na suíte presidencial do Resch Hotel.

"Ai", uma dor aguda fez Sofia Jian gemer, mas logo em seguida, conseguiu aclarar sua mente. Ela cerrou os dentes e agarrou os lençóis.

Enquanto se esforçava para suportar a dor, Sofia abriu suas pesadas pálpebras e um homem extremamente atraente apareceu diante de seus olhos!

Era o chefe do maior grupo financeiro dali, o homem mais poderoso da Cidade S: Victor Xiao!

'O que está acontecendo? Onde estou? Por que estou me relacionando com este homem?' Buscando em sua memória, Sofia lembrou-se de que havia ido à festa de noivado de Jasper Lin e Alice Ye. Alice era filha da famosa família Ye. Depois que Sofia tomou uma taça de vinho com Wade Kang, ele disse algo que a incomodou e eles começaram a brigar, mas ele acabou se sentindo constrangido e depois disso... 'Depois disso...

Maldito seja! Não consigo me lembrar do que aconteceu depois!!'

"Uhmm!" Subitamente, Victor se inclinou e beijou sua boca macia, mas ela, que se sentia fortemente indignada, com os olhos apertados, mordeu com força os lábios dele.

O gosto metálico de sangue rapidamente dispersou-se em sua língua, espalhando-se por toda sua boca.

Victor se esquivou no mesmo instante, estupefato.

Havia inúmeras mulheres que tentaram seduzi-lo e chamar sua atenção, mas ele nunca despendeu mais do que uma fração de segundo com elas. Ele não se impressionava facilmente. Como essa mulher pôde fazê-lo enlouquecer?!

'Esta mulher me faz... sentir algo tão diferente...me faz sentir... muito bem! Sim, é isso: me faz sentir muito bem!' Ele pensou, esboçando um sorriso diabólico.

"Afaste-se de mim! Fique longe de mim!", ela gritou, receosa e irritada. 'Amo Peter há tanto tempo e ainda não me entreguei a ele! Como posso perder minha virgindade com esse estranho!', ela ponderou, começando a entrar em pânico.

Com todas as suas forças ela se debateu, tentando escapar do abraço apertado de Victor, mas ele era forte demais para ela. Resolutamente, ele a imobilizou firmemente na cama. Sofia esbravejou cheia de frustração e seu belo rosto ficou vermelho de raiva e vergonha.

"Me afastar de você? É isso que quer?", ele perguntou, friamente, fazendo-a estremecer de medo e angústia.

"Se você parar agora, eu...eu... Ou então, podemos fingir que nada aconteceu!", No momento em que Sofia disse isso, se arrependeu instantaneamente. Evidentemente, para ambos, Victor era o único culpado da situação. Sendo assim, por que ela deveria sentir medo?

"E se eu não fizer isso?", Victor sussurrou, inclinando-se devagar para mais perto dela, a tal ponto que seu hálito quente alcançou seu rosto.

"Então eu...vou.. Ei!! Eu vou... eu vou te denunciar!", Sofia gaguejou, fazendo o possível para convencê-lo da ameaça. No entanto, Victor percebeu o quão nervosa ela estava.

Um sorriso cruel e desdenhoso logo se desenhou em seus lábios. "Meu nome é Victor", disse ele carinhosamente em seu ouvido. "Lembre-se. Neste momento você é minha."

Com um movimento rápido, sem dar-lhe tempo de resposta, Victor entrou nela, possuindo-a completamente.

Estava anoitecendo, e os sons íntimos de ambos encheram a luxuosa suíte presidencial.

O corpo de Sofia estava exausto depois de passar toda a noite com Victor!

De forma que ela ainda não havia recuperado sua energia ao amanhecer. Estava exaurida e dormiu até o meio-dia.

Ao acordar, um pouco atordoada, ela se viu sozinha na grande suíte.

Ela abriu vagarosamente os olhos e pôde sentir o quanto seu corpo doía. Ela então se sentou e massageou as têmporas. Sua cabeça também doía muito. Passado algum tempo, os acontecimentos retornaram à sua mente, e ela pôde recordar tudo o que havia acontecido na noite anterior. "Victor... seu filho da puta!", ela berrou, irritada consigo mesma, batendo em um travesseiro.

Ela só começou a se sentir melhor depois de um tempo dando vazão à sua fúria. Inspirando profundamente, deu um salto e se levantou para colocar a roupa. Para sua surpresa, encontrou um vestido recém-comprado disposto com cuidado na beira da cama. E logo, no chão, a seus pés, viu o vestido que havia vestido na noite anterior... totalmente em pedaços!

Ela cerrou os dentes, tomada de muitos sentimentos. 'Bem, não é de se admirar que tenha me comprado roupas novas. Ele arruinou completamente o meu vestido ontem à noite! Que homem bruto!'

Como Sophia não tinha mais nada para vestir, acabou colocando as roupas que Victor havia deixado para ela. Ela então começou a pensar que, obviamente, não poderia voltar para casa depois de ter brigado com Wade Kang. 'Puxa, papai deve estar preocupado comigo', refletiu.

Quando ela estava prestes a ir ao banheiro para se arrumar, seu telefone tocou.

Era seu pai. Assim que ouviu a voz da filha, perguntou:

"Onde você está?", de maneira direta, sem rodeios. Casper Jian disse pausadamente, tentando esconder sua ira.

A ira de seu pai não era novidade para ela. Na verdade, parecia que seu pai nunca havia sido gentil com ela.

Sofia franziu a testa, instintivamente, mas manteve o tom calmo e modulado. "Estarei aí imediatamente. Vou lhe contar tudo assim que chegar em casa."

Depois de se arrumar, ela pegou a bolsa e saiu pela porta. No entanto, ao abri-la, ela ficou surpresa ao ver dois garçons do lado de fora. Um empurrava um carrinho de comida, enquanto o outro equilibrava uma bandeja de prata nas pontas dos dedos enluvados. "Senhorita Sofia, o senhor Victor lhe preparou isto para você", disse um dos garçons com um sorriso.

Olhando para a comida suntuosa e extravagante que tinha enchido o carrinho, ela zombou e disse: "O senhor Victor é muito gentil, mas também muito arrogante!"

"O senhor Victor nos pediu que lhe entregássemos este cartão de visita", disse o outro garçom enquanto tirava um pequeno cartão do bolso.

"De jeito nenhum!", ela exclamou, cruzando os braços sobre o peito.

"Receio que não possamos deixá-la ir se não aceitar. Por favor, fique com o cartão, senhorita. Não há necessidade de tornar isso mais difícil."

"Você está me ameaçando?", ela perguntou, franzindo incrédula as sobrancelhas.

Os dois garçons permaneceram em silêncio junto à porta, como se não tivessem intenção de se mover um centímetro até que ela pegasse o cartão.

Ela então soltou um suspiro exasperado e agarrou o cartão de visita, deslizando-o descuidadamente em sua bolsa. "Agora saiam do meu caminho."

Na casa da família Jian...

Como Sofia não havia voltado para casa na noite passada, Casper Jian e Stella Ruan ficaram muito felizes e cheios de esperança. Eles pensaram que talvez, finalmente, Wade e Sofia houvessem chegado a um acordo positivo sobre o noivado, e que dessa forma, Wade Kang já pertenceria à família.

No entanto, no início da manhã, eles receberam um telefonema do assistente de Wade. E souberam então que sua filha havia causado muitos problemas! 'Sofia brigou com Wade? Eu não consigo entender essa garota! Ela deve ter envergonhado o homem na frente de muitas pessoas importantes!', Casper pensou.

'Foi tudo em vão!' Fazia muito tempo que ele planejava usar sua filha para conseguir um contrato assinado por Wade. Sofia era um tipo de "mercadoria" para ele, mas agora, parecia que ela não iria cooperar de maneira alguma.

Sofia voltou para casa com os ombros curvados para a frente e sentindo-se extremamente deprimida.

"Sofia! Onde diabos você esteve? Como ousou brigar com Wade?", seu pai a repreendeu, deixando suas orelhas vermelhas de raiva.

'Oh não. Ele já soube o que aconteceu...', ela pensou, em pânico.

Prontamente, a inquietação que sentia se transformou em desprezo. "Eu fiz o que você me disse e fui à festa de noivado da família Lin", disse ela friamente enquanto endireitava os ombros.

Foi quando começou a perceber o que seu pai estava tentando fazer. No dia anterior, Casper lhe havia dito que, se conseguisse o contrato com Wade, ele lhe permitiria namorar Peter Sun. A princípio, ela pensou que era porque seu pai estava sendo gentil e queria lhe dar a oportunidade de ficar com Peter, mas ficou evidente que não era esse o caso.

'Como pude ser tão ingênua! Ele estava praticamente tentando vender meu corpo em troca daquele contrato idiota!', Disse a si mesma com desdém.

Seu coração estava pesado de tristeza e decepção.

"Seu pai está perguntando por que você ofendeu Wade na noite passada e por que você não voltou para casa. E também, de onde veio esse vestido que você está usando? Custa dezenas de milhares de dólares! Como você poderia pagar algo assim?", Stella entrou na conversa. Sempre foi um pouco difícil para Sofia decidir se considerava Stella sua mãe ou sua madrasta. Ela era a única mulher com quem Casper havia se casado, mas não era sua mãe biológica.

Ela olhou as roupas da filha de cima a baixo, com os olhos cheios de dúvida e surpresa. Embora, publicamente, ela fosse a filha respeitada do chefe do Grupo JH, ela não tinha muito dinheiro e nunca pedia ao pai.

'Essas roupas são muito caras! Ela não tem condições de pagar isso!', ponderava Stella.

Sofia olhou para ela. Ela era inegavelmente uma mulher inteligente e elegante, mas Sofia não a apreciava muito.

"Wade me humilhou. Eu apenas tentei me proteger. Isso é errado? Ontem à noite, eu estava bêbada e de mau humor, então dormi fora", ela mentiu. Enquanto isso, ela pensava no incidente da noite passada: era impossível para ela admitir que um estranho havia roubado sua inocência.

Os eventos foram tão irreais que pareciam fruto de um pesadelo que chegava ao fim. Nunca em sua vida ela havia pensado que iria se associar com pessoas como Victor. Ela sempre imaginou que se casaria com seu namorado Peter e viveria feliz para sempre, mas, considerando os últimos acontecimentos, parecia improvável que algo desse certo.

"Você não sabe fazer nada correto! Tenho tanta vergonha de você ser minha filha! Você é um lixo inútil!", bradou Casper, furioso.

Embora ele geralmente tratasse mal a filha, essa foi a primeira vez que proferiu palavras tão dolorosas. Essas palavras foram a gota de água que faltava. Sofia mudou de expressão e olhou para o pai com frieza. "Bem, é tarde demais, não é? Talvez você não devesse ter engravidado minha mãe se soubesse que esse dia chegaria!"

"Como você ousa me responder assim? Eu vou te ensinar uma lição!", disse seu pai, e com as narinas dilatadas, ele ergueu a mão com a intenção de agredi-la. Mesmo percebendo, ela não vacilou ou se afastou, unicamente fitava-o com os olhos cheios de ódio.

Ela não conseguia entender como alguém poderia amar um homem assim!

Precisamente quando a mão de Casper estava prestes a cair em seu rosto, Stella o deteve. "Deixe para lá!", ela o consolou. "Bater nela não faria nenhum bem. Agora não faz sentido."

Sofia olhou para ela com uma sobrancelha levantada. 'Essa mulher é tão falsa! Sempre fingindo ser tão gentil e doce... Bem, não vou ser enganada! Eu sei que ela é uma pessoa superficial e sovina. Ela só está me protegendo agora para seu próprio benefício. Seja ele qual for. Eu já aguentei isso o suficiente.'

"Estou cansada. Vou para a cama", disse ela, e subiu as escadas diretamente.

Vendo isso, seu pai ficou ainda mais furioso. "Se você não conseguir que Wade assine o contrato, não pode ficar com Peter!", ele gritou atrás dela.

Ela fez uma pausa e suas mãos se crisparam ao lado do corpo. "Posso tomar minhas próprias decisões", disse ela sem olhar para trás.

"Você não sabe do que sou capaz."

A ameaça de seu pai a deixou um pouco inquieta, mas dirigiu-se calada para seu quarto.

Baixar livro