icon 0
icon Loja
rightIcon
icon Histórico
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Entre Sonhos e Riquezas

Entre Sonhos e Riquezas

Jonathanzatella

5.0
Comentário(s)
614
Leituras
14
Capítulo

Pedro, um jovem órfão de coração puro, leva uma vida simples estudando no segundo ano do ensino médio. Porém, seu destino muda radicalmente quando ele descobre que é o único herdeiro de uma enorme fortuna. De repente, Pedro se torna um bilionário. Enquanto lida com a nova realidade de sua riqueza, ele continua frequentando sua escola, onde sempre foi alvo de chacota por outros estudantes. Mas agora, com sua nova posição social, Pedro precisa enfrentar novos desafios, pois sua riqueza desperta tanto a curiosidade quanto a inveja dos colegas. Apesar das dificuldades, Pedro conta com o apoio incondicional de seu melhor amigo, João, que o ajuda a se adaptar a essa nova vida e lidar com os obstáculos que surgem em seu caminho. Além disso, ele encontra conforto e amizade em Ana, uma garota inteligente e gentil que também estuda na mesma escola. Ao longo dessa jornada, Pedro descobrirá que o verdadeiro valor da amizade vai além de qualquer fortuna. Enquanto enfrenta os desafios do segundo ano do ensino médio e equilibra sua nova vida de riqueza, ele aprenderá lições valiosas sobre humildade, lealdade e obediência. "Entre Sonhos e Riquezas" é uma história inspirada sobre como a verdadeira riqueza está nas relações humanas e na busca por uma vida significativa, independentemente das circunstâncias que a vida nos apresenta.

Capítulo 1 O Novo Lar

Pedro era um jovem órfão que vivia em um orfanato desde que seus pais faleceram em um trágico acidente de avião. O acidente, envolvido em mistério, deixou Pedro sem respostas sobre o que realmente aconteceu naquele fatídico dia.

Apesar da tragédia que marcou sua infância, Pedro era um rapaz resiliente e determinado. Ele sempre buscava refúgio nos estudos, onde encontrava conforto e uma maneira de escapar da dura realidade em que vivia. Com o tempo, Pedro se tornou um aluno dedicado e inteligente, embora sempre enfrentasse dificuldades em sua jornada.

No segundo ano do ensino médio, Pedro ainda lidou com as dores de sua perda, mas encontrou apoio em seu melhor amigo, João. João era um amigo leal e divertido, sempre ao lado de Pedro em todos os momentos. Juntos, eles enfrentaram os desafios diários da escola e tentaram superar as adversidades que a vida lhes impunha.

No ensino fundamental, Pedro era um garoto tímido e introvertido. Ele sempre se sentia deslocado e tinha dificuldade em fazer amigos. Até que um dia, durante o intervalo das aulas, algo inesperado aconteceu.

Enquanto Pedro observava as outras crianças brincando e interagindo, ele notou um garoto correndo pelo pátio com uma bola de futebol. Esse garoto era João, um menino extrovertido, cheio de energia e com um sorriso cativante. Pedro sentiu-se intrigado e curioso ao vê-lo se divertindo com tanta animação.

Movido por uma mistura de coragem e curiosidade, Pedro decidiu se aproximar de João. Ele se aproximou do grupo de crianças que estava jogando futebol e, com um pouco de timidez, perguntou se poderia participar da brincadeira. João, sempre receptivo e amigável, aceitou Pedro de braços aberto.

A partir desse dia, uma linda amizade começou a florescer entre Pedro e João. Eles se tornaram inseparáveis, compartilhando risadas, conversas e momentos inesquecíveis juntos. Pedro finalmente encontrou alguém em quem confiar e com quem se sentir à vontade.

João era o oposto de Pedro em muitos aspectos, mas isso só fortalece a amizade deles.

Enquanto Pedro era mais tranquilo e reflexivo, João era extrovertido e cheio de energia. Eles se complementavam perfeitamente, apoiando um ao outro em todas as situações.

Ao longo dos anos, Pedro e João enfrentaram juntos os desafios e as alegrias do ensino fundamental. Eles estudavam juntos, participavam de atividades extracurriculares e se apoiavam mutuamente em momentos difíceis. A amizade entre Pedro e João crescia cada vez mais forte, superando obstáculos e provando-se verdadeira ate os dias de Hoje.

A Semana da Prova do segundo semestre.

Pedro e Ana se encontraram no corredor da escola, após a aula, para discutir a próxima prova do segundo semestre. Eles decidiram sentar em um banco próximo para conversar sobre os estudos e se prepararem juntos.

Pedro: Ei, Ana! Como estão os preparativos para a prova do segundo semestre?

Ana: Oi Pedro, Estou um pouco preocupada, confesso. Parece que o conteúdo dessa prova é mais complexo do que eu esperava. E você, como está se sentindo?

Pedro: Eu entendo como se sente. Também estou um pouco apreensivo, mas estou me dedicando aos estudos. Tenho que revisar os materiais e fazer exercícios extras para fixar o conteúdo. Acho que é importante nos organizarmos e criarmos um plano de estudos para não ficarmos sobrecarregados.

Ana: Concordo totalmente. Um planejamento adequado é essencial para enfrentarmos essa prova. Talvez pudéssemos formar um pequeno grupo de estudo com o João e alguns colegas. Dessa forma, compartilhar nossas dúvidas e ajudar uns aos outros.

Pedro: Ótima ideia! Acredito que o João também esteja preocupado com a prova. Compartilhar nossos conhecimentos e trabalhar em equipe pode fazer toda a diferença. Além disso, podemos criar um cronograma de estudos com metas realistas e dividir o trabalho, assim não ficaremos sobrecarregados.

Enquanto Pedro e Ana mantinham sua conversa sobre os estudos, João aparecia no corredor acompanhado de sua namorada, Fernanda. Eles se aproximaram do banco onde Pedro e Ana estavam sentados e cumprimentaram a dupla animadamente.

João: E aí galera! O que vocês estão discutindo com tanta seriedade?

Pedro: Então, João.

Estamos nos preparando para a prova do segundo semestre.

É um desafio e tanto, mas estamos trabalhando juntos para obter bons resultados.

Ana: João, a gente estava até falando sobre formar um grupo de estudo para nos ajudarmos mutuamente. O que você acha?

João: Ótima ideia! Acredito que podemos contribuir muito uns com os outros.

Ah, pessoal, essa é a Fernanda, minha namorada ela acabou de se transferida para cá.

Ela também pode estudar conosco, ela tem muito conhecimento para compartilhar.

Fernanda: Oii Pessoal!

É um prazer conhecê-los. João me falou sobre vocês e estou animado para nos unirmos e enfrentarmos essa prova juntos.

Acredito que podemos nos apoiar e trocar ideias valiosas.

Pedro: Fico feliz em conhecer você, Fernanda!

Com mais uma mente brilhante no grupo, tenho certeza de que nossos estudos serão ainda mais produtivos.

Vamos aproveitar ao máximo essa oportunidade de colaboração.

João não sabia que você estava namorando!?

João: Então Começamos ontem, ia te contar ontem a noite mais fiquei sem internet em casa.

Pedro: Assim, então, fico feliz por você amigo.

Ana: Sim! Parabéns pra vocês!

Fernanda: Obrigado gente !

Enquanto Pedro, Ana, João e Fernanda conversavam sobre o grupo de estudos, Thiago, um aluno conhecido por seu comportamento irritante e provocador, se aproximou do grupo. Ele tinha uma queda por Ana e frequentemente tentava chamar sua atenção, embora às vezes suas atitudes fossem observadas.

Thiago: Eai seus bocós!

O que vocês estão planejando tão secretamente aqui?

Alguma conspiração contra o tédio da escola?

Ana: Ah, oi Thiago... Estamos discutindo sobre o grupo de estudos para nos prepararmos para a prova do segundo semestre.

Thiago: Hmm, um grupo de estudos, hein? Que Coisa chata não?

Acho que posso considerar uma ideia!

Pedro: Thiago, se você realmente quer se juntar ao grupo, terá que mostrar um compromisso genuíno em estudar e colaborar.

Não podemos ter distrações ou comportamentos inadequados que prejudiquem nosso progresso.

João: É verdade, Thiago. Se você quer participar, é importante agir de forma responsável e respeitosa. Estamos aqui para nos ajudar mutuamente e alcançar bons resultados acadêmicos.

Apesar dos pedidos e das tentativas de inclusão, Thiago manteve seu comportamento problemático e expressou abertamente sua falta de interesse em participar do grupo de estudos de forma comprometida. Ele fez comentários desrespeitosos e deixou claro que prefere se divertir e aproveitar sua vida social.

Thiago: Olha, galera, eu até poderia estudar com vocês, mas honestamente, prefiro sair, beber e me divertir. Acho que não sou o tipo de pessoa que se encaixa em grupos de estudos chatos. Desculpa, Ana, mas acho que estudar junto não é a minha praia.

Ana: Tudo bem, Thiago. Cada um tem suas emoções. Mas para alcançarmos nossos objetivos acadêmicos, é importante priorizar nossos estudos e nos dedicar a eles. Se você decidir participar do grupo de estudos, será bem-vindo. Caso contrário, respeitamos sua escolha.

Pedro: Ana está certa, não é que não gostamos de sair, adoramos nos divertir, mas não sabemos como vai ser depois que terminamos o Ensino Médio.

E meus motivos são bem maiores pra poder estudar e conseguir uma vida melhor do que agora.

Enquanto conversavam entre Pedro, Ana, João, Fernanda e Thiago, um grupo de três pessoas se aproximou. Entre eles estava Ricardo, filho do diretor da escola, conhecido por seu comportamento arrogante e por fazer bullying com Pedro devido à sua situação familiar.

Ricardo: Olha só quem está aqui! Pedro, o órfãozinho pobre. Ainda não entendi como você consegue estudar nessa escola, já que não tem ninguém para pagar sua mensalidade.

Pedro: (mantendo a compostura) Ricardo, por favor, vamos manter as coisas civilizadas aqui. Não vejo motivo para você agir dessa forma.

Ricardo: (rir sarcástico) Ah, Pedro, você sempre tão sensível. A verdade dói, não é mesmo? Mas não se preocupe, vou fazer questão de lembrá-lo todos os dias sobre sua condição lamentável.

Os outros dois membros do grupo de Ricardo, seguindo o exemplo dele, esperaram a rir e o zombar de Pedro, intensificando a situação.

Ana: Ricardo, isso não é engraçado e não é uma atitude digna de alguém. Todos merecem respeito, independentemente de sua origem ou situação familiar. Não vejo razão para você agir dessa maneira.

João: Concordo com a Ana. Fazer bullying não é uma atitude admirável, Ricardo. Acredito que cada um de nós deveria tratar os outros com respeito e empatia.

Ricardo: (rindo) Vocês são tão patéticos. Acham mesmo que pode me confrontar? Eu sou intocável aqui. Pedro, você é um fracassado e sempre será. Não importa o que digam, você sempre será o órfão pobre da escola.

Nesse momento, um professor se aproximou da discussão e interveio, percebendo a situação de bullying e a atitude de Ricardo.

Professor Albert: Ricardo, pare imediatamente com esse comportamento.

O bullying não será tolerado nesta escola. Pedro, Ana e os demais, podem ficar tranquilos. Vou conversar com o diretor sobre essa situação e tomaremos as medidas necessárias.

O professor conseguiu acalmar a situação e garantiu que as providências seriam tomadas para lidar com o comportamento inadequado de Ricardo. O grupo de Ricardo foi obrigado a se afastar, enquanto Pedro e seus amigos puderam continuar sua conversa em um ambiente mais seguro e respeitoso.

O Pai de Ricardo deu só uma bronca e retirando sua mesada como castigo.

Ao final do dia, Pedro se despede de seus amigos e segue para casa, ansioso para encontrar sua nova família. Elena e Saulo, um casal de aproximadamente 40 anos de idade, o adotaram após enfrentarem vários desafios no processo de adoção, devido à longa fila de espera. Eles fizeram grandes satisfações para trazer Pedro para suas vidas, e agora estavam prontos para recebê-lo com amor e dedicação.

Ao chegar em casa, Pedro é recebido com carinho por Elena e Saulo, que o abraçam e apresentam aos seus dois filhos biológicos, Sarah, de 15 anos, e Caio, de 7 anos.

A casa estava cheia de alegria e expectativa, pois todos estavam ansiosos para começar essa nova jornada como uma família unida.

Elena, com sinceridade, compartilha com Pedro que, apesar de a família não ser rica e seu pai ser proprietário de uma pequena loja de ferramentas, eles têm o suficiente para manter a casa e pagar as contas. Ela explica que todos na família obedeceram de alguma forma para garantir o sustento e esperar que Pedro também possa ajudar, entendendo que ele foi recomendado pela Sra. Gal, uma vizinha que trabalha com adoção.

Elena: Pedro, queremos que você saiba que, embora nossa família não seja rica, nós participamos cuidar do básico. Seu pai é dono de uma pequena loja de ferramentas, e todos nós nos esforçamos para ajudar a manter a casa e pagar as contas. Queremos que você se sinta parte dessa equipe e nos ajude da maneira que puder.

Pedro: Compreendo, Elena. Eu estou disposto a ajudar no que for necessário. Sei que a família é importante e que todos devem colaborar para o bem-estar de todos. Vou fazer o meu melhor para contribuir e ser um filho que traz alegria e ajuda à família.

Elena sorri, emocionada pela atitude positiva e compreensão de Pedro.

Ela abraça o jovem e reforça que o amor e o apoio mútuo são os valores mais importantes em sua família.

Elena: Pedro, é maravilhoso ver sua disposição em ajudar e ser parte ativa da nossa família. Independentemente das dificuldades financeiras, o que mais importa é o amor e o apoio que compartilhamos. Estamos aqui para você, assim como você está aqui para nós. Juntos, podemos superar qualquer obstáculo e construir uma vida feliz.

Pedro se sente aliviado e grato por ter encontrado uma família que valoriza o amor e o esforço mútuo, independentemente de sua situação financeira. Ele sabe que, juntos, eles enfrentarão os desafios e criarão um ambiente familiar acolhedor e acima de tudo, repleto de amor e cuidado.

Pedro:" E pensar que daqui 1 ano eu teria que me virar sozinho, ia ser expulso do orfanato, isso tudo é graças da Sra. Gal que sempre me ajudou com os estudos pagam minha escola e procurando uma família para mim, a 6 anos atrás fui transferido pra esse orfanato onde conheci Sra. Gal juro que alguma forma ajudarei ela um dia, espero que ela fique bem."

Sarah, a filha mais velha, tem uma personalidade mais reservada e rebelde em relação aos seus sentimentos. Embora respeite seus pais, ela passou a sair de casa às escondidas para encontrar suas amigas recentemente. Ao cumprir Pedro, ela expressa felicidade por ter um novo irmão, mas deixa claro que não deseja que ele entre em seu quarto.

Sarah: Pedro. Fico feliz por você estar aqui e ser nosso novo irmão. Mas, só para deixar claro, meu quarto é o meu espaço pessoal e prefiro que você não entre nele, tudo bem?

Pedro: Claro, Sara.

Eu respeito sua privacidade e entendo a importância do seu espaço pessoal.

Pode contar comigo para seus ouvidos.

Sarah, embora estabeleça essa fronteira em relação ao seu quarto, continuando demonstrando respeito pelos pais e pelo novo membro da família.

Embora possa ter suas escapadas e momentos de rebeldia, é evidente que ela valoriza o amor e o apoio que seus pais proporcionaram.

Caio, o filho mais novo, é uma criança brincalhona e cheia de energia. Ele tem o sonho de se tornar um lutador de MMA e adora assistir a filmes de luta com seu pai. No entanto, sua mãe não é muito fã dessa ideia e não gosta que ele se envolva nesse tipo de atividade. Por outro lado, seu pai ignora as preocupações da mãe e decide levar Caio para as aulas de jiu-jitsu.

Caio: Pai, eu quero ser um lutador de MMA quando crescer! Adoro assistir filmes de luta com você.

Saulo : Eu sei, Caio. Você é cheio de energia e tem paixão por isso.

Acho que seria bom você aprender algumas técnicas e disciplina.

Vou Continuar te levar para aulas de jiu-jitsu, mas vamos deixar claro que respeitaremos as opiniões da sua mãe.

Sem brigas e nunca usar isso pra machucar alguém.

Apesar das divergências de opiniões entre os pais de Caio, eles demonstraram a intenção de encontrar um equilíbrio entre os desejos da criança e as preocupações da mãe. É importante ter em mente a segurança e o bem-estar de Caio, enquanto também se incentiva sua paixão pelas artes marciais.

Com as aulas de jiu-jitsu, Caio terá a oportunidade de aprender técnicas de autodefesa.

Pedro e Caio se cumprimentam animadamente, demonstrando uma conexão imediata entre os dois. Eles começam a brincar e se divertir, aproveitando o momento de descontração.

Pedro: Olá Como você está?

É bom conhecer você e fazer parte dessa família.

Caio: Oi Estou ótimo!

Já sabia que iríamos nos dar bem. Vamos brincar de lutinha?

Elena, a mãe adotiva de Pedro, e mãe biológica de Sarah e Caio, é uma mulher gentil e de fácil convivência.

Ela pode ser um pouco rigorosa quando se trata de estudos e comportamento das crianças, buscando sempre incentivá-las a se esforçarem e se dedicarem em suas atividades.

Ela trabalhava em uma linha de produção de roupas, mas quando engravidou de Caio, decidiu deixar o emprego para se dedicar integralmente à sua vida como dona de casa.

Elena valoriza muito sua família e busca criar um ambiente acolhedor e amoroso em casa.

Ela é uma pessoa religiosa e frequenta a igreja regularmente, encontrando conforto e inspiração em sua fé.

Além disso, ela tem uma paixão pela culinária e adora cozinhar, preparando refeições deliciosas para toda a família desfrutar juntos.

Embora possa ter algumas exigências em relação ao estudo e comportamento dos filhos, Elena tem um coração bondoso e sempre se colocar a disposição em ajudar.

Mas nem tudo sempre foi flores na família.

Saulo é um pai empreendedor que passou por algumas experiências difíceis em sua jornada empresarial.

Ele teve várias tentativas frustradas e sentiu uma traição por parte de um antigo colega de escola, que roubou sua empresa de tecnologia e deixou sem o controle e o fruto de seu trabalho árduo.

Como resultado, Saulo ficou apenas com uma pequena porcentagem da empresa e decidiu vende-la para investir na abertura de sua loja de ferramentas.

Apesar das adversidades e do desapontamento de ter perdido sua empresa, Saulo é um homem comprometido com seu trabalho e nunca desistiu.

Ele continua empreendendo, agora com sua loja de ferramentas, buscando dar uma vida digna para sua família.

Embora ainda sinta tristeza pela perda da empresa na qual tanto se esforçou, ele se dedica ao seu negócio atual e se esforça para oferecer um futuro estável para sua esposa e filhos.

Saulo é um exemplo de perseverança e inteligência.

Ele aprendeu valiosas lições com suas experiências passadas e continua acreditando em seu potencial como empreendedor. Sua vontade de dar o melhor para sua família o motiva a seguir em frente, construindo uma nova trajetória e mantendo vivo o sonho de oferecer uma vida próspera e digna a todos que ama.

Pedro fica feliz em conhecer sua família e corre para ligar pra João e contar como foi conhecer seu novo lar.

João diz que ficou muito feliz e diz que tem que comemorar no final de semana.

Continuar lendo

Você deve gostar

Outros livros de Jonathanzatella

Ver Mais
Capítulo
Ler agora
Baixar livro