icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
A Filha do Traidor

A Filha do Traidor

Autor: Nadia.
icon
Capítulo 1
Um
Palavras: 2229    |    Lançado em: 08/10/2021

PONTO

DE VISTA DE OLIVIA:

Amanheci com os raios de sol refletindo sobre meus olhos. Dei uma olhada no relógio e vi que já tinha 5 minutos de atraso.

"Ai não." Me vesti rapidamente.

Penteei rápido o cabelo e fiz uma trança de qualquer jeito e escovei meus dentes.

Era arriscado demais optar pelo rabo de cavalo. Porque da última vez que o fizera, a puta da matilha que pensava que eu era a pessoa mais feia, ainda com inveja de mim, cortou alguns centímetros do meu cabelo.

Vesti uma camisa cinza, leggings pretas e apressei-me para chegar à cozinha, desci rapidamente as escadas rezando a todos os deuses na minha mente para me salvarem de enfrentar a ira de qualquer um.

Mas assim que cheguei à cozinha, os meus olhos encontraram-se com aqueles castanhos escuros. As minhas orações definitivamente não funcionaram.

Lá estava Lucas, o mais velho dos trigêmeos, com os punhos cerrados e a olhar para mim com um olhar de morte que imediatamente me fez arrepiar a espinha.

Eu percebi que em um piscar de olhos, eu enfrentaria muitos problemas e palavras desagradáveis.

Eu inalei profundamente e reuni toda a minha coragem mas, entretanto, prendi a respiração antes de me curvar na frente dele.

"Desculpe, Alfa, cheguei atrasada porque..." Ele não me deixou terminar.

"Porque você estava transando com um homem até tarde da noite, não é mesmo? Você é um pedaço de merda." Ele bateu com o punho no balcão fazendo-me vacilar. O som alto ecoou por toda a sala por um bom tempo.

Embora os trigêmeos sempre usassem palavras ofensivas comigo nos últimos dois anos, suas palavras haviam ultrapassado todos os limites do bom senso. Eles continuavam questionando meu caráter e lançando palavras insultuosas contra mim.

Eu não conseguia parar as lágrimas que ameaçavam cair dos meus olhos.

Lucas veio dando passos perigosos em minha direção e agarrou meu rosto nas mãos de forma grosseira.

"Eu não queria ver as suas lágrimas de crocodilo, Filha do Traidor. Só pare com estas lágrimas falsas e comece a trabalhar." Ele disse com repugnância em sua voz e me empurrou para o lado.

Lucas deixou a cozinha sem nem mesmo olhar na minha direção.

Pressionei minhas costas na parede e desabei no choro. Eu estava soluçando, mas tinha medo de fazê-lo mais alto, pois se algum membro mau da matilha perceber isto, certamente começarão a me insultar. Eu abracei fortemente meus joelhos mas não consegui parar meus soluços.

Por que minha vida precisava se tornar isto!? Por quê!?

Eu sabia bem que não era meu pai, o traidor. Meu pai amava sua matilha. Ele adorava o tio Brian (Alfa) e a tia Lucy (Luna).

O corpo machucado e sem vida da tia Lucy ainda me assombra durante a noite. A mulher que eu amava mais do que a minha própria mãe.

Logo após minha mãe morrer enquanto a salvava dos abrigos, ela começou a me tratar como sua própria filha. Eu a amei profundamente.

O tio de Brian também tinha todo meu amor. Não pude visitá-lo por conta dos trigêmeos. E se passaram seis anos, desde a última vez que o vi. Desde aquela macabra noite ele está paralisado.

Perdi o meu pai. Eu perdi a tia Lucy. E perdi também os trigêmeos que costumavam me amar e tomar conta de mim. Aqueles olhos que costumavam ter amor e adoração por mim. Agora eu só podia ver o ódio ardente neles que quebra uma parte de mim todas as vezes.

Dói ver o ódio em seus olhos, a maneira como me observam me apavorava, como se eu fosse um monstro. Eu odiava amar tanto eles, mas eu sabia que sempre me desprezariam, eles me odiariam por algo que meu pai nunca fez.

Eu tinha visto meu pai queimar vivo na minha frente, vendo-o morrer diante dos meus olhos e se transformar em meras cinzas.

Eu pensei que eles iriam confiar em mim, mas não. Eles acreditavam no Gamma, assim como todo mundo.

Flashback:

Eu passei a noite inteira chorando enquanto segurava as cinzas do meu pai em minhas mãos.

Quando vi os trigêmeos chegando de sua viagem, corri em direção a eles com todas as forças que restavam dentro de mim. Eles sorriam.

Compreendi, pela felicidade que transparecia em seus rostos, que ninguém ainda lhes havia contado a notícia que abalaria suas entranhas.

Eu vi Alex (o trigêmeo do meio) no início e corri para ele sem pensar duas vezes, e o abracei com força.

Os soluços começaram a sair da minha boca com veemência.

"O que foi Olivia? Por que você está chorando?"

A voz preocupada de Alex alcançou minha audição rapidamente.

"Por que há tanto sangue em seu vestido e corpo!? Alguém te machucou?" Lucas perguntou consternado enquanto verificava se eu tinha algum ferimento ou não.

"Tia... O tio..." Eu chorei alto.

"O que aconteceu com a mamãe e o papai? Olivia?" Perguntou Benjamin (o mais jovem dos trigêmeos), sua voz escondia seu medo.

"Vamos procurar Oliver, pessoal." Lucas (o mais velho) sugeriu apressadamente.

"Pai..." Eu mostrei a eles as cinzas que tinham seus rastros na minha mão: vestígios do meu pai. Seus olhos se arregalaram de choque.

Meus soluços irromperam, lágrimas destruindo o que restava das forças dentro de mim, meu coração que parecia entorpecido, batia forte de angústia. Caí de joelhos. Os trigêmeos pareciam estar sem palavras e hesitando sobre o que dizer.

"Olivia, conte-nos o que aconteceu." Lucas pediu gentilmente. Suas mãos tremiam.

"Eu te conto tudo o que aconteceu." A voz mais maligna ressoou por trás.

Minha cabeça virou e vi aqueles olhos verdes malignos nojentos de Gamma.

Ele se aproximou de nós e vi lágrimas escorrendo pelo seu rosto. Todo o seu ato falso parecia extremamente real, o suficiente para enganar qualquer um.

"O pai dela matou nossa Luna brutalmente." Ele gritou enquanto apontava para mim, me olhando com os olhos cheios de raiva.

Lucas, Benjamin e Alex pareciam brancos como papel ao ouvir as palavras que saíam da boca do Gamma.

"Oliver nunca poderia fazer isto." Benjamin balançou a cabeça enquanto negava em alta voz.

"Nós o encontramos com a mesma adaga com a qual a garganta de sua mãe foi cortada e o encontramos ao lado do cadáver dela. Você precisa de mais provas?" Gamma rosnou em fúria.

Alex perdeu o equilíbrio e apoiou-se no carro. Eu vi as lágrimas brotando nos olhos de todo os três.

"E, além disto, encontramos o mesmo veneno em seu bolso que foi injetado no corpo de seu pai. E agora ele está paralisado, nem mesmo pode voltar ao normal." O Gamma enfatizou bem a última palavra.

"Não! Isto tudo é uma armadilha. Acredite em mim, papai nunca poderia fazer isto. Todos vocês conhecem o papai muito bem." Eu gaguejei e me levantei. Meus joelhos fracos estavam prontos para desistir a qualquer segundo.

"Cale a boca, Filha do Traidor. Você ainda escolheu o lado dele. Não admira que você seja igual ao seu pai." Gamma cuspiu. A fúria em seus olhos era quase real.

"Não se atreva a dizer nada sobre meu pai. Ele nunca poderia fazer algo assim." Eu gritei de volta e de repente o puxão forte em meu cabelo me fez estremecer. Ele agarrou meu cabelo com força em sua mão. Eu gritei alto em dor.

"Agora você vai pagar pelos atos do seu pai, sua pirralha. Vou tornar sua vida terrível como o inferno." Ele riu macabramente, agarrando meu cabelo com mais força. Era como se minha cabeça estivesse sendo arrancada.

Gritei de dor e lutei para me controlar, mas o homem me dominou com muita facilidade.

"Lucas, você sabe que pai nunca poderia fazer algo assim, certo? Me ajude!" Eu olhei para Lucas, mas ele desviou o olhar.

Meu coração foi partido em vários pedaços quando a compreensão do que acabou de acontecer me atingiu.

Eles confiavam mais no Gamma, como todo mundo.

"Jogue-a na masmorra." O Gamma me jogou na frente dos guardas e meus joelhos ficaram machucados por causa do chão áspero, o sangue saiu do ferimento sem esforço.

Chorei de dor e olhei para os trigêmeos com os olhos marejados. Nenhum deles se preocupou em me ajudar, deixando-me sozinha.

O guarda me arrastou e me jogou nas masmorras perigosas e escuras, onde apenas os criminosos letais eram mantidos.

Eu nem tive permissão para ir ao funeral da Luna. Não tive a chance de vê-la pela última vez.

E no dia seguinte, Gamma me arrastou e me obrigou a fazer todos os trabalhos dos empregados, mas isto foi apenas o começo desta minha vida miserável.

Fim do flashback.

Desde aquele dia, minha vida virou um inferno. Eu fiz a maior parte do trabalho dos empregados, servi as namoradas dos trigêmeos, recebi vários tapas e chutes do Gamma, e assim por diante.

Eu não conseguia parar de chorar, pois a realidade estava me batendo forte a cada respiração, eu cobri minha boca para que ninguém pudesse me ouvir. Eu era patética. A situação me deixou patética.

Então eu ouvi vários passos, rapidamente enxuguei minhas lágrimas e me levantei fortalecendo minha postura.

Não perdi tempo e comecei a trabalhar. Eu preparei o café da manhã para todos o mais rápido possível.

Eu vi que os membros da matillha começaram a chegar. Alguns sorriram para mim e outros me olharam com nojo, mas alguns não mostraram nenhuma expressão. Era uma experiência normal.

Então eu os vi chegando: os trigêmeos. Os três estavam com as namoradas coladas em seus braços.

Benjamin olhou para mim e eu desviei o olhar instantaneamente.

Honestamente, doeu quando os vi com outras garotas. Mas eu nunca tinha deixado meus sentimentos crescerem mais por eles, pois um dia eu encontraria meu companheiro e ele me salvaria de toda esta bagunça. Eu acreditava que ele me ajudaria a revelar o verdadeiro culpado. Além disso, os trigêmeos também encontrariam suas companheiras, e não era sábio para mim deixar meus sentimentos crescerem por estas pessoas que não estão destinadas a ficar comigo.

Preparei o café da manhã e comecei a servir a todos presentes. Alguns membros da matilha me agradeceram com sorrisos calorosos e alguns me ignoraram como sempre.

"Dê-me um sanduíche, lixo." A voz de Benjamin chegou aos meus ouvidos junto com a risada de sua namorada.

Era apenas o começo e eu sabia disto. Sem dizer nada, eu dei a ele um sanduíche e me mudei para outros membros.

"Onde está meu suco de laranja?" A namorada de Lucas perguntou.

"Desculpe, senhorita. Eu não sabia que você precisaria de suco. Por favor, me diga e eu farei isto para você bem rápido." Falei educadamente tentando manter minha voz baixa e não ser mais insultada.

"Como você ousa!?" Ela bateu com o punho na mesa e levantou-se da cadeira.

Eu olhei para a garota perplexa. Eu não disse nada ofensivo assim.

Ela caminhou em minha direção, seus saltos estalaram todo o caminho, e então a garota agarrou meu rosto duramente cravando as unhas em minhas bochechas.

Se eu quisesse, poderia jogá-la do lado de fora da janela sem usar toda a minha força, mas não queria carregar as correntes de novo. Porque da última vez, quando fiz isto com a namorada de Alex, tive que ficar sem comida por dois dias e eles me amarraram com correntes de prata.

Eu vi que alguns dos membros da matilha estavam olhando para mim com pena.

"Sua vadia ridícula. Você nem consegue trabalhar direito e agora está dizendo que não sabia o que eu queria." Ela cravou mais suas unhas afiadas e estava ficando muito dolorido, não que eu não tivesse tolerância, mas suas unhas estavam doloridas demais para aguentar.

"Essa aí precisa aprender uma lição, Alice." A namorada de Alex riu com um brilho maligno fluindo profundamente em seus olhos.

"Você tem razão." A namorada de Lucas sorriu e pegou uma xícara de café quente, em seguida, jogou em mim sem qualquer aviso.

Cobri meu rosto por instinto, mas ainda assim, atingiu meu queixo, pescoço e alguma parte do meu rosto.

Eu ouvi suspiros ecoarem pela sala.

Assim que o café atingiu meu rosto, minha pele começou a queimar.

Eu gritei ao sentir a queimação insuportável se espalhando por toda parte.

Não aguentei a dor, então tentei correr para a cozinha para espirrar um pouco de água fria no rosto e encontrar algum vestígio de alívio, mas ela agarrou meu pulso.

"Você tem que suportar a dor, sua puta." Ela cuspiu e este foi o ato final.

Eu tirei a mão dela numa torção rápida, fazendo-a tropeçar.

A garota definitivamente não poderia lutar com minha força.

Sem lhe dar mais um olhar, corri diretamente para a cozinha. Eu rapidamente abri a torneira e joguei água fria no meu rosto.

Ele esfriou um pouco, mas ainda assim, estava doendo como o inferno.

Eu não pude suportar a queimação e as lágrimas começaram a fluir incontrolavelmente.

Mas então eu senti uma dor aguda em meus pés do nada.

Eu olhei na minha frente apenas para encontrar a namorada de Lucas com um sorriso malicioso. Seu salto agulha cravou em meus pés e havia sangue escorrendo do ferimento.

Isto foi o suficiente para mim. Eu já estava com dor e agora seu ato havia ultrapassado todos os limites. A raiva percorreu meu corpo.

Eu não consegui controlar meu ódio e dei um tapa forte, a garota caiu no chão com um baque.

Reclame seu bônus no App

Abrir
1 Capítulo 1 Um2 Capítulo 2 Dois3 Capítulo 3 Três4 Capítulo 4 Quatro5 Capítulo 5 Cinco6 Capítulo 6 Seis7 Capítulo 7 Sete8 Capítulo 8 Oito9 Capítulo 9 Nove10 Capítulo 10 Dez11 Capítulo 11 Onze12 Capítulo 12 Doze13 Capítulo 13 Treze14 Capítulo 14 Quatorze15 Capítulo 15 No.1516 Capítulo 16 Dezesseis17 Capítulo 17 Dezessete18 Capítulo 18 Dezoito19 Capítulo 19 Dezenove20 Capítulo 20 Vinte21 Capítulo 21 Vinte e um22 Capítulo 22 Vinte e dois23 Capítulo 23 Vinte e três24 Capítulo 24 Vinte e quatro25 Capítulo 25 Vinte e cinco26 Capítulo 26 Vinte e seis27 Capítulo 27 Vinte e sete28 Capítulo 28 Vinte e oito29 Capítulo 29 Vinte e nove30 Capítulo 30 Trinta31 Capítulo 31 Trinta e um32 Capítulo 32 Trinta e dois33 Capítulo 33 Trinta e três34 Capítulo 34 Trinta e quatro35 Capítulo 35 Trinta e cinco36 Capítulo 36 Trinta e seis37 Capítulo 37 Trinta e sete38 Capítulo 38 Trinta e oito39 Capítulo 39 Trinta e nove40 Capítulo 40 Quarenta41 Capítulo 41 Quarenta e um42 Capítulo 42 Quarenta e dois43 Capítulo 43 Quarenta e três44 Capítulo 44 Quarenta e quatro45 Capítulo 45 Quarenta e cinco46 Capítulo 46 Quarenta e seis47 Capítulo 47 Quarenta e sete48 Capítulo 48 Quarenta e oito49 Capítulo 49 Quarenta e nove50 Capítulo 50 Cinquenta51 Capítulo 51 Cinquenta e um52 Capítulo 52 Epílogo53 Capítulo 53 Primeiro dia54 Capítulo 54 Consequências55 Capítulo 55 Um amigo56 Capítulo 56 Conversinha57 Capítulo 57 Sentimentos58 Capítulo 58 Reencontro inesperado de amigos59 Capítulo 59 Confusa60 Capítulo 60 Segredos61 Capítulo 61 Medo62 Capítulo 62 O primeiro beijo63 Capítulo 63 Flagrando o beijo64 Capítulo 64 Apenas um valentão65 Capítulo 65 Confissão66 Capítulo 66 Fim da amizade67 Capítulo 67 Um pequeno vislumbre do passado.68 Capítulo 68 Punição69 Capítulo 69 Surpresa70 Capítulo 70 Manhã71 Capítulo 71 Desculpe72 Capítulo 72 Helga, a vadia73 Capítulo 73 Ações74 Capítulo 74 Melhor orgasmo75 Capítulo 75 Ficando louca76 Capítulo 76 Amor 77 Capítulo 77 Nervoso78 Capítulo 78 O clube79 Capítulo 79 Dançando80 Capítulo 80 A amo81 Capítulo 81 Um outro lado dele82 Capítulo 82 Boquete83 Capítulo 83 Decisão84 Capítulo 84 A ex está de volta85 Capítulo 85 A promessa e a animação86 Capítulo 86 Na praia87 Capítulo 87 Você me completa88 Capítulo 88 Eu te amo89 Capítulo 89 O passado dele90 Capítulo 90 Noite especial91 Capítulo 91 Perfeito92 Capítulo 92 Um dia com ele93 Capítulo 93 Surpresa94 Capítulo 94 Primeira vez95 Capítulo 95 Chuva96 Capítulo 96 Sexo embaixo do chuveiro97 Capítulo 97 Que bela manhã98 Capítulo 98 Feroz99 Capítulo 99 Planos100 Capítulo 100 Bento