Login to Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon Histórico
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Me tornei um trilionário da noite para o dia

Me tornei um trilionário da noite para o dia

KIFAH CHINEN

5.0
Comentário(s)
3.2M
Leituras
580
Capítulo

"Saia, pobre coitado! Não sei o que eu estava pensando quando concordei em namorar você. Não apareça na minha frente de novo. Tudo acabou entre nós!" A namorada de Brian gritou. Brian acabou de vê-la flertando com outro rapaz, mas em vez de se desculpar, ela o humilhou na frente de todos. Os pobres eram indignos de respeito? Absurdo! Não aceitando tudo isso, Brian jurou trabalhar duro e se vingar um dia. No mesmo dia, ele recebeu uma ligação de um empregado da família. "Parabéns, senhor Tennant! Seu teste terminou, você não precisa mais levar uma vida miserável. O dinheiro para suas despesas diárias deste ano já foi depositado no Citibank, vá e verifique." Brian pensou que o dinheiro em questão era apenas alguns milhares de dólares, afinal, até onde ele sabia, o negócio de sua família valia apenas cerca de dez milhões de dólares. Mas quando ele abriu o cofre do banco que lhe foi atribuído, percebeu que estava totalmente errado. Havia muito dinheiro, ouro e joias! Ele finalmente descobriu que sua família tinha um império de negócios de trilhões de dólares! Agora, ele podia começar sua vingança!

Protagonista

: Brian Tennant

Capítulo 1 Você é um perdedor

Brian Tennant estava trabalhando em meio período no refeitório da Everin University, limpando as mesas.

Usando um avental e luvas de borracha, itens que agora eram parte das exigências do trabalho, ele recolheu as garrafas de água sobre a mesa e as colocou em um grande saco plástico.

"Só faltam mais dez garrafas para completar o saco. Então, poderei vendê-las por uns dólares! Com esse dinheiro, finalmente conseguirei comprar comida amanhã. Ótimo!" Animado, Brian conversou com si mesmo e olhou entusiasmado para o saco quase completo.

Não muito distante dali, Jeanne Hall franziu a testa ao ver o que Brian estava fazendo.

Olhando para frente, ela perguntou com nojo para Kim Percival: "Kim, você sabe quem é aquele homem? Como ele pode ser tão pobre?"

Kim, que era uma pessoa popular, estava estudando finanças e vinha de uma família rica. As pessoas comentaram que o capital da família já tinha passado dos dez milhões de dólares.

"Pobre? Nunca julgue o livro por sua capa. Você sabe quem é Rosy Stevens, não é? Ela namora com ele. Todos os meses, ela recebe uma mesada de três mil dólares dele." Enquanto falava, Kim olhou de maneira amarga para Brian.

Jeanne pensou um pouco. Descrente sobre o que havia escutado, ela olhou na direção do homem que estava trabalhando como escravo limpando as mesas e perguntou: "Isso é brincadeira, não é? Como é possível Rosy namorar com ele?"

Com desdém, Kim franziu o nariz e bufou: "Porque ele é um bajulador na frente dela."

Vendo a confusão no rosto de Jeanne, Kim sorriu ardilosamente. "Aqui, veja isso."

De maneira proposital, ele se levantou para espalhar o resto da sua comida no chão. E então, ele gritou para Brian: "Ei, você aí! Venha já aqui e limpe isso."

Sem pensar duas vezes, Brian rapidamente foi até ele e se abaixou para limpar a sujeira. De repente, ele sentiu um líquido gelado descendo por seu cabelo.

Em choque, ele olhou para cima e percebeu que Kim tinha derramado sua bebida propositalmente nele.

Brian levantou-se rapidamente. Com raiva, ele cerrou os punhos e olhou para Kim com as veias saltadas na testa.

Kim revirou os olhos lentamente. Ao invés de sentir medo, ele deu um tapinha no rosto de Brian e debochou: "Qual é o problema? Vai querer me bater?"

Os olhos de Brian estavam repletos de fúria. Porém, no mesmo segundo, ele pensou nele mesmo e em sua situação antes de bater em Kim.

Na verdade, ele se esforçou muito para conseguir esse emprego no refeitório. Fora o salário que recebia, ele ainda podia juntar as garrafas para conseguir vendê-las depois e ter um dinheiro extra.

Se ele batesse em Kim, certamente, iria perder seu emprego. Com isso, ele não conseguiria pagar sua mensalidade e nem mesmo as contas médicas da mãe de Rosy.

Brian respirou fundo e tentou se acalmar.

Cerrando os dentes, ele sorriu forçadamente. "Não... Não irei bater em você."

"Ha! Ha!" Kim e Jeanne caíram na gargalhada ao escutar aquilo.

"Você é um perdedor miserável! Tome isso e vá comprar um bilhete de loteria para mim. O troco fica para você como pagamento. E depois, entregue este pacote no Hotel Galaxy, quarto 1024, entendeu?"

Dizendo isso, Kim pegou uma nota de cem dólares e jogou na direção de Brian. Logo em seguida, ele abraçou Jeanne pela cintura e os dois saíram rindo do refeitório.

Brian pegou o pacote deixado por Kim e recolheu a nota do chão. Ele achou melhor entregar primeiro o pacote no hotel antes de comprar o bilhete de loteria para Kim.

Ao pensar no troco que receberia pela compra do bilhete, toda insatisfação que Brian sentia desapareceu em um piscar de olhos.

Ele foi animado para o quarto 1024 do hotel. Quando estava prestes a bater na porta, ele ouviu gemidos de prazer de uma mulher vindo de dentro do quarto.

A mão erguida de Brian parou no meio do caminho. Seu rosto ficou vermelho de vergonha. Porém, ele logo notou que havia algo errado.

Por qual motivo a mulher dentro do quarto o lembrou de Rosy?

Ele se sentia mais angustiado cada vez que pensava nisso. Então, ele ergueu o braço novamente e bateu na porta enquanto gritava: "Abra essa porta!"

"Quem é esse? Que coisa chata!", a garota dentro do quarto reclamava em voz alta.

"Não se preocupe com isso, meu amor. Acredito que seja apenas o entregador. Eu pedi para Kim comprar alguns brinquedos sexuais para mim. Irei te recompensar mais tarde."

A porta foi aberta poucos segundos depois.

Os olhos de Brian se arregalaram ao olhar para dentro do quarto, enquanto sua mente ficou completamente vazia.

Que diabos Rosy estava fazendo lá?

Continuar lendo

Você deve gostar

Capítulo
Ler agora
Baixar livro