back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Para sempre seu

Para sempre seu

Maria_Sousa

4.9
Comentário(s)
27.7K
Leituras
71
Capítulo

  Após a traição que abala a relação de Lucas e Bia. Ela toma a maior decisão de sua vida, deixando todo seu passado para trás.    7 anos depois, já adulta e formada. Bianca não é a mesma adolescente, agora, uma agente muito bem requisitada do FBI. Ela é convocada para investigar uma máfia Inglesa que anda traficando drogas ilegais para os Estados Unidos.    Mas, ela só não contava que o principal suspeito de ser o chefe dessa máfia, era seu amor de adolescencia. Lucas Carter. Livro 1 - My Fake boyfriend, disponível exclusivamente aqui no Lera.

Capítulo 1
Prólogo

As vezes muitas coisas acontecem na nossa vida, para nos tornarmos mais fortes. Para amadurecer. Nenhum sofrimento é em vão, é aprendizagem.

Mas Bianca preferia não ter aprendido. Ela preferia ter passado a vida inteira sem experimentar a sensação de se sentir incapaz, abandonada, rejeitada e tão substituível.

Ela estava chorando, mas não de tristeza, de raiva enquanto fazia as malas para ir embora daquele apartamento naquela mesma noite.

Assim que terminou as malas, deixando no closet apenas os presentes e tudo que poderia lembrar de seu tão triste e desastroso relacionamento, ela sai do apartamento diretamente para o elevador. Pega seu carro e dirige por uma hora até chegar em frente a casa de seus pais.

- Bianca, o que faz aqui a essa hora? - Francis, seu pai, atende a porta atordoado.

- Pai eu... - Ela não consegue terminar a frase e desaba a chorar. E mesmo sem entender, o mais velho a abraça.

- Tudo bem, tudo bem, eu estou aqui. Entra.

Ainda abraçado nela, ele entra na casa com a garota e não a larga do abraço.

- Mas o que está aconte... - Joanne a vê e para de falar imediatamente. - Dios mío, Bianca. O que houve?

Bia não conseguia responder, apenas chorava abraçada no pai.

Os dois entendem que ela não se sentia confortável naquele momento em falar.

- Vou fazer um chá. - Joanne diz e fecha a porta da frente, que ainda estava aberta, em seguida segue para a cozinha.

- Posso dormir aqui essa noite? - Ela pergunta com a voz abafada.

- Claro querida, claro que sim. - Francis responde e beija o topo de sua cabeça.

- Também queria saber se... Amanhã poderia me levar para Boston, não quero ficar aqui pai. Por favor...

- Tudo bem, certo. Agora vamos tomar o chá que Joanne fez pra você, e suba para o seu quarto então descanse. Se quiser conversar, pode chamar. - Ele diz e ela assente.

Os dois seguem até a cozinha e ela toma o chá de camomila, todos estavam em silêncio e o casal não teve coragem de perguntar a filha o que havia acontecido. Mas o olhar de Joanne para o marido, já dizia tudo.

Bianca não apareceria ali no meio da madrugada, chorando e tão desamparada por nada. O problema havia nome e sobrenome, e eles sabiam bem de quem se tratava, então nenhuma palavra precisava ser dita.

Após aquele momento, eles foram deitar. Novamente em seu antigo quartinho, Bia estava deitada na cama olhando para o teto do quarto. Não conseguia dormir.

Sua mente a estava traindo, já que os flashs da briga passavam na sua cabeça, sem a deixar dormir.

"- Não despeje todas as coisas como se eu fosse o único causador disso. Você estava me sufocando com seu ciúmes idiotas! - Argumenta com o rosto vermelho de irritação, enquanto me olha com raiva.

- Eu estava sufocando você? Você acabou com o que tínhamos e agora a culpa é minha? - As lágrimas evaporam dando lugar a mais raiva.

- Você sempre quer ser a vítima, é incrível. Quer saber Bianca... Eu cansei. - Diz suspirando e se encosta na parede. - Eu cansei dessa droga toda, eu cansei desse namoro que pelo visto não vai para lugar nenhum. Eu cansei de brigar, eu cansei de você!

- Eu acho melhor você parar de falar, antes que diga mais alguma merda que vai se arrepender. - Falo me aproximando dele.

- Não vou me arrepender de nada, cansei de você Bianca. Helena estava certa, Marilyn estava certa... Eu não sei o que ainda estou fazendo com você... - Grita e dou um tapa com tanta força que o barulho ecoa na cozinha.

-- Eu odeio você! Eu odeio você com todas as forças que existem em mim! - Grito pra ele que continua com a mesma expressão de raiva.

- Ótimo, pode me odiar eu não ligo. - Fala andando a passos pesados até a porta da saída.

Quando ele abre a porta então digo.

- Lucas, eu vou te dizer uma coisa e quero que preste atenção. Se você passar por essa porta, pode esquecer que um dia me conheceu, esqueça tudo que um dia aconteceu entre a gente e finja que eu não existo. - Falo sentindo a respiração ficar ofegante.

Ele só dá uma risada sarcástica.

- Se você sair por essa porta, é definitivo. Sem voltas. - Digo tentando recuperar a respiração normal e ele me olha.

- Você sabe que a gente sempre volta. Não vou dormir em casa. - Diz por fim e sai batendo a porta."

Lembrar machucava mais ainda, era como se Lucas tivesse cravado uma faca afiada bem no meio do peito dela, e as lembranças servissem para cutucar a ferida, a fazendo doer mais.

Bia virou de lado na cama, e pegou o celular. Logo no protetor de tela viu uma foto sua com ele, então tratou rapidamente de apagar tudo, inclusive seu número. Rapidamente ela também enviou uma mensagem para Tunner.

Já que na noite passada a garota havia prometido a ele que iria o apresentar a cidade de Londres, mas não seria possível, já que agora seu plano era fugir para longe o mais rápido possível. Tunner quando vê sua mensagem, liga para ela.

- Você não precisa voltar para os Estados Unidos mais tarde, só por minha causa. Afinal, nem faz um dia que você está aqui. E você planejou essa viagem há muito tempo.

- Bia, eu poderei voltar outras vezes. Você é minha amiga, e eu não vou deixar você passar por essa barra sozinha, eu estou aqui para te apoiar. Amanhã eu volto para Boston junto com você, e aproveito para te dar dicas para o primeiro dia na faculdade. Ser caloura em Harvard não é nada fácil. - Ele fala a última frase descontraído.

- Se é assim que você quer, então tudo bem. Vou tentar dormir agora, e assim que desligarmos eu irei quebrar esse chip. Pela manhã compro um novo e te ligo por ele, e também te digo que horas iremos pegar o voo.

- Certo, não se preocupe comigo, só se cuide e por favor durma. Lucas é um idiota.

- Eu sei, boa noite Tunner.

- Boa noite, Bia.

Assim que desligaram a ligação, Bianca fez exatamente o que havia dito. Quebrou o chip, e então foi tentar dormir.

A manhã logo chegaria e seria um novo dia. Ela deitou tentando concentrar seus pensamentos no que aconteceria daqui para frente.

Ela ganhou uma bolsa em Harvard e está indo para lá, e apesar do coração partido, ela tem um futuro incrível e isso que importa. A partir daquele momento, Bianca prometeu enterrar Lucas no fundo de suas piores memórias, prometeu que o esqueceria para sempre e todo o sentimento de amor que um dia ela sentiu, havia se convertido em ódio.

Ele não merecia as lágrimas dela, não merecia que ela estivesse triste. Como o próprio disse, ele cansou dela, então estava tudo bem. Ela também havia cansado dele... Então era recíproco.

Baixar livro