icon 0
icon Loja
rightIcon
icon Histórico
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Imersa em seu amor profundo

Imersa em seu amor profundo

Vency

5.0
Comentário(s)
5.7M
Leituras
614
Capítulo

A madrasta de Natalie a enganou para que se casasse com Jarvis, um homem desfigurado e deficiente. Ela conseguiu escapar, mas acabou se apaixonando por ele pouco tempo depois. Jarvis fingia ser um homem pobre, e não achava que se apaixonaria por essa mulher. Tudo parecia normal até que um dia Natalie descobriu o segredinho dele. "Ei? Como você pode ter bilhões de dólares em ativos?", ela perguntou incrédula. Jarvis não sabia como responder. Encarando o homem calado, ela cerrou os dentes com raiva: "Eles disseram que você não podia andar, mas pelo que vi, você é forte o suficiente para correr uma maratona." Ele permaneceu em silêncio. Natalie continuou: "Eles até disseram que você só tinha alguns anos de vida. Também é mentira?" Finalmente, Jarvis abriu a boca: "Querida, é só um mal-entendido, por favor, acalme-se e pense no bebê." "Jarvis Braxton!" O homem imediatamente se ajoelhou.

Capítulo 1 O plano da madrasta

O céu escureceu.

As irmãs Rivera estavam prestes a se casar no mesmo dia.

Natalie Rivera estava usando um vestido de renda branca e observando seu reflexo no espelho. Ela usava uma maquiagem delicada e seus olhos brilhavam de felicidade.

Ela iria se casar com Rowley O'Brien naquele dia.

Eles estavam apaixonados há um ano e finalmente estavam prestes a se casar.

"Natalie, você é tão sortuda. Você vai se casar com alguém da família O'Brien, parte da aristocracia de Bloridge."

Alisha Rivera falou de maneira sarcástica, usando um vestido de noiva exatamente igual ao da irmã.

Alisha ficou verde de inveja ao ver como sua irmã estava linda. Como ela gostaria de poder esfolar aquele rostinho lindo de Natalie!

A expressão no rosto de Natalie se endureceu. "Quero te dar os parabéns, Alisha. Você em breve será a quarta esposa de Jarvis Braxton. A propósito, ouvi dizer que ele ficou gravemente ferido em um acidente de carro e que não conseguia andar. É provável que ele morra daqui a alguns anos. Se você se casar com ele, logo ficará viúva."

"Natalie Rivera!"

O rosto de Alisha ficou roxo de raiva. A ideia de que ela iria se casar com um homem deficiente enquanto Natalie se casaria com alguém da família O'Brien fez com que ela cerrasse os punhos de raiva.

"Natalie, você não pode prever o que o futuro nos reserva. Você realmente acha que será a senhora O'Brien para sempre?"

"Natalie, Alisha, encontrei vocês!" Flora Kennedy entrou no quarto com duas xícaras de café nas mãos e um sorriso no rosto. "Coloquem um pouco de cafeína para dentro primeiro. Os carros dos noivos ainda não chegaram."

O sorriso hipócrita no rosto de sua madrasta fez com que Natalie franzisse o cenho. Elas viveram juntas por mais de uma década. Como ela poderia não conhecer que tipo de pessoa Flora era?

O consolo de Natalie era saber que logo sairia de casa e não teria mais que ver Flora e sua filha, então ela aceitou a xícara de café de maneira hesitante.

"Obrigada." Natalie tomou apenas uma golada.

"De nada, querida." Ao ver que Natalie bebeu um pouco, Flora suspirou aliviada. "Embora você não seja minha filha biológica, sempre tratei você como se fosse minha filha. Fico triste de ver você nos deixar."

Os olhos de Flora se encheram de lágrimas ao falar.

Natalie resistiu ao impulso de revirar os olhos. Não foi à toa que aquela mulher ganhou o título de Melhor Atriz, pois ela realmente sabia atuar muito bem.

A mãe de Natalie faleceu quando ela tinha oito anos de idade. Menos de um mês depois, seu pai trouxe Flora e Alisha para morar com eles. Alisha era apenas um mês mais nova que Natalie. Foi apenas naquele momento que Natalie descobriu que seu pai vinha traindo sua mãe há muito tempo.

"Senhora, o carro da família O'Brien chegou", uma criada bateu na porta para informar Flora.

"Ah!" Flora abriu um sorriso. Ela piscou para a criada e ordenou: "Elva, leve a Natalie para o carro."

Ao ouvir isso, Natalie ficou de pé, mas de repente se sentiu um pouco tonta. Ela sentiu sua visão ficar turva, então não teve opção a não ser deixar que a criada a guiasse.

Havia um carro preto parado no portão. A criada, que se chamava Elva, colocou Natalie no banco de trás.

Da sacada, Flora observou enquanto o carro se afastava. Seu sorriso se tornou maior.

"Mãe, tem certeza que seu plano vai dar certo? E se a Natalie descobrir que há algo errado?", Alisha perguntou, mexendo em seu vestido de maneira ansiosa.

"Não precisa se preocupar, minha querida. Eu cuidei de todos os detalhes. Ela assumirá seu lugar e se casará com alguém da família Braxton."

A verdade era que o carro preto pertencia à família Braxton e não à família O'Brien.

Alisha não estava segura daquilo. "Mas como eu vou conseguir enganar Rowley hoje à noite?"

Flora cautelosamente lembrou Alisha do plano das duas: "Se você tiver relações sexuais com Rowley esta noite, a família O'Brien não poderá fazer nada a respeito. Lembre-se, você não pode deixar que eles vejam seu rosto."

"Tá bem, mamãe." A expressão no rosto de Alisha escureceu, seus olhos cheios de ódio e ciúme. "Mãe, eu quero infernizar a vida da Natalie. Só assim ela vai entender o que acontece com quem tenta roubar o meu homem."

Flora soltou uma risada zombeteira. "Duvido que a Natalie passe dessa noite. Você sabe o que aconteceu com as ex-esposas de Jarvis? Todos elas desapareceram misteriosamente."

……

Natalie se sentou no banco de trás do carro, ainda se sentindo extremamente tonta. A temperatura de seu corpo continuou a subir e suas bochechas ficaram coradas.

Ela se lembrou do café que Flora lhe dera e sentiu um aperto no coração. Foi apenas naquele momento que ela percebeu que havia caído na armadilha de Flora.

Flora tinha provavelmente batizado o café com algum tipo de droga.

Ao olhar pela janela, Natalie notou que eles não estavam indo na direção da residência da família O'Brien. Ela imediatamente ficou alerta e entrou em pânico.

"Pare o carro! Pare esse carro imediatamente!" Natalie gritou para o motorista de maneira desesperada. "Quem é você? Para onde você está me levando?"

Ao ouvir isso, o motorista olhou para ela pelo espelho retrovisor de maneira visivelmente confusa. "Senhorita Rivera, eu sou o motorista da família Braxton. Me mandaram buscar a noiva do senhor Braxton."

"O quê? Motorista da família Braxton?"

De repente, Natalie entendeu o que estava acontecendo.

O plano de Flora era fazer com que ela tomasse o lugar de Alisha e se casasse com Jarvis!

"Pare o carro agora! Eu vou me casar com alguém da família O'Brien! Você está enganado!"

Ela não queria se casar com ninguém da família Braxton, e se recusava a deixar que Flora e Alisha conseguissem o que queriam.

No entanto, o efeito da droga em seu corpo estava fazendo com que ela ficasse extremamente desconfortável. Flora claramente não queria que ela apenas se casasse com alguém da família Braxton, mas também queria destruir sua vida completamente.

"Pare o carro agora!", Natalie exclamou em vox baixa, fazendo o possível para manter sua consciência limpa.

"Senhorita Rivera, estamos quase chegando. O que você está tentando fazer?"

O motorista ficou em choque ao ver Natalie subitamente abrir a porta e saltar do carro.

Ela rolou no chão várias vezes até parar. Aquela dor intensa fez com que ela ficasse imediatamente sóbria.

"Senhorita Rivera, por favor, volte para dentro do carro!"

Ao ver que motorista parou e desceu do carro para correr atrás dela, Natalie cerrou os dentes e saiu mancando, tolerando a dor absurda.

Era justamente a dor que mantinha sua mente sóbria.

Natalie estava se sentindo ansiosa. Ela sabia que, se fosse pega, as consequências seriam terríveis.

"Senhorita Rivera, por favor, não fuja! Volte para o carro comigo!"

Ao ouvir os gritos do motorista atrás dela, Natalie começou a correr ainda mais rápido. Ela estava tão nervosa que quase começou a chorar. Ela não queria se casar com Jarvis.

Já estava tarde e o mundo estava envolto em escuridão. Natalie percebeu que o motorista estava rapidamente se aproximando dela. Além disso, a tontura que ela sentia era quase insuportável.

Natalie estava tão desesperada que não sabia para onde correr. De repente, ela viu um carro preto estacionado não muito longe dali. Um homem de terno casual estava encostado no veículo, falando ao telefone.

Quando o homem estava prestes a entrar no carro e ir embora, Natalie usou o resto de suas forças para mancar até o veículo. Ela implorou: "Por favor, me ajude. Me ajude..."

Os olhos profundos do homem encararam Natalie de maneira atordoada.

Naquele momento, o homem do outro lado da linha gritou de maneira ansiosa: "Sua noiva está chegando. Por que você ainda não está aqui?"

"Silêncio!" O homem desligou o telefone sem dar ao interlocutor uma oportunidade de responder, seu rosto sem expressão.

Naquela hora, o motorista correu até eles. Natalie não teve tempo para refletir. Ela abriu a porta e entrou no carro, em seguida, apertou as palmas de suas mãos e implorou: "Por favor, me ajude! Eu te imploro!"

O motorista se aproximou do carro. "Senhorita Rivera, por favor, saia do carro. Já estamos bem atrasados."

O motorista ficou chocado ao ver o rosto do homem com clareza.

Antes que pudesse dizer mais alguma coisa, o homem lhe olhou de maneira fria e gritou: "Se manda daqui!"

Continuar lendo

Você deve gostar

Capítulo
Ler agora
Baixar livro