back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
SALADA DE POESIA
4.8
Comentário(s)
862
Leituras
9
Capítulo

SALADA DE POESIA REÚNE VÁRIOS GÊNEROS COMO: CORDÉIS, SONETOS E POESIAS EM VERSOS LIVRES. ESTA MISTURA DE GÊNEROS, TEM O OBJETIVO DE AGRADAR A TODOS E DAR UM POUCO MAIS DE VALOR A LIBERDADE DE EXPRESSÃO LITERÁRIA. ENTENDO QUE, POESIA, NÃO DEVE SER CHATA NEM MASSANTE E DEVE CHEGAR AO SEU PÚBLICO, COM UMA VARIEDADE DE OPÇÕES. AQUI VOCÊ VAI ENCONTRAR, UMA MISTURA BEM ORGANIZADA DE: LITERATURA DE CORDEL, SONETOS E VERSOS LIVRES EM UMA DINÂMICA LITERÁRIA, BEM AGRADÁVEL DE SE LER. DIVIRTA-SE. ENTÃO... APROVEITE E DIVIRTA-SE!

Capítulo 1
SALADA DE POESIA

SALADA DE POESIA

Carlos Mambucaba

2ª edição, Fevereiro de 2021.

Índice

Um cordel de amor ....................................04

Merda na cabeça..........................................06

O mundo da feira livre...............................09

Flores a Mambucaba..................................13

A nave da vida..............................................16

Instinto............................................................18

O gênio da lâmpada...................................21

O início de tudo...........................................23

Minhas raízes................................................26

Um novo homem........................................29

A busca da imortalidade..........................31

Mineirinha espevitada..............................33

Parabéns pra você.....................................35

Merecido reconhecimento.....................37

Homenagem merecida............................39

A profecia......................................................41

Minha vã filosofia.......................................44

Ironia do meu destino..............................46

A rapariga.....................................................49

Balas perdidas.............................................51

A vaca do fazendeiro...............................54

A fuga do burro.........................................57

Pedido de casamento..............................61

A aposta macabra.....................................67

Palavras ao vento......................................74

A magia do verão......................................75

Lição de amor.............................................76

Amor de fé...................................................77

Humildade é a chave...............................78

Declaração de amor.................................79

Auto crítico..................................................80

Uma incógnita............................................82

Soneto à Trindade....................................83

O beijo..........................................................84

A companheira caneta............................85

Sublime vocação.......................................86

Causa e efeito----------------- -------87

O galinha.....................................................88

Polêmico......................................................89

Um romântico carente...........................90

Raízes do amor.........................................91

Amor na relva...........................................92

Me arrisco a pedir...................................93

Labirinto dos meus sonhos..................94

Recanto do amor.....................................95

Cuidado com a TPM!..............................96

Vestígios dos Deuses.............................97

A confusão da vírgula............................98

Muita pressão...........................................99

Evolução...................................................100

Fetiche.......................................................101

Cumplicidade..........................................102

Uma dura verdade................................103

Fantasia de amante..............................107

Liberdade!................................................109

Registrado na história.........................111

Polêmica cumplicidade.......................113

Frações de segundos...........................117

Este livro: ( SALADA DE POESIA) Reúne vários gêneros como: cordéis, sonetos e poesias em versos livres.

Tudo isso para valorizar e dar um pouco mais de liberdade de expressão, afinal, a arte literária tem que ter liberdade em seus diversos seguimentos e chegar ao seu público, com uma variedade de opções.

Então... Aproveite e divirta-se!

UM CORDEL DE AMOR

Vejo-me aqui de novo,

Com liberdade de expressão,

Vaidades e verdades,

A poesia no coração.

A árvore da prosperidade,

Com intensa capacidade,

Destino da evolução.

Uso então a caneta,

E também a inspiração,

E é assim que almejo,

Poética provocação.

Terabyte de mensagens,

Modificam as paisagens,

Sempre não a traição.

Falo de amor com clareza,

Na língua, não tenho papa,

Aponto essa direção,

Se precisar, faço um mapa.

É meu tema de destaque,

Já estou

ficando craque,

Com a assinatura na capa. 04

Objetivo e direto,

Concreto ou abstrato,

A importância do amor,

Na influência de um fato.

Um tema que dá prazer,

À relevância de um ser,

É sempre o primeiro ato.

Cada um tem sua verdade,

A visão do certo ou errado,

Mas os caminhos se encontram,

Presente, futuro e passado.

É deveras e muito polêmico,

Antigo e acadêmico,

Mesmo assim, atualizado.

Se pra alguns não faz sentido,

Pra muitos, primordial!

É a caixa de pandora,

Essência do bem e do mal.

O amor é a resposta,

A dimensão da proposta,

É de cunho universal!

05

MERDA NA CABEÇA

Numa fila de um banco,

O meu vicio começou,

No meu bolso, só papel,

E um simples lápis de cor.

Paciência, já me faltava,

A grande fila não andava,

Fazia muito calor.

Ali,desde de bem cedo,

Eu precisava do Dinheiro,

Do fundo de garantia,

Mas aquele desespero...

Eu sentia dor de barriga,

Cansaço, suor e fadiga,

E bem longe de um banheiro!

Acho que foi um milagre,

Um choque me estremeceu,

Senti na minha careca,

Algo quente que desceu.

Foi um pombo que voava,

Sua merda que largava,

E o escolhido fui eu... 06

Olha só a natureza...

Aí tudo mudou!

Limpei a minha careca,

Minha agonia passou.

Todos acharam graça,

Uma comédia na praça,

Minha disposição voltou.

Comecei a escrever,

De repente, um poema!

percebi o meu talento,

Com métrica, gênero e tema.

Rápido, a fila andou,

Vários versos de amor,

E eu já não via problemas.

Então chegou a minha vez,

Parei na frente do caixa,

A moça então me chamou,

E eu com a cabeça baixa.

Já era a décima poesia,

Fruto de um longo dia,

Onde a vida se encaixa. 07

Agora sou um poeta,

Sou feliz em afirmar,

Eu cumpri a minha meta,

Estou aqui pra amar.

Fazer muitos amigos,

Escrever muitos artigos,

E um pombo, eu vou criar...

08

O MUNDO DA FEIRA LIVRE

Vou falar do que passei,

Quando criança, na feira,

E do meu grande facínio,

A minha vida inteira.

Oito anos de idade,

Já enxergava verdades,

E em diversas maneiras.

Um moleque muito esperto,

Sempre fui, quando pequeno,

Dinâmico e sonhador,

Mas um garoto sereno.

Atento, eu observava,

Olhos abertos, eu ficava,

Pra nunca usar veneno.

A prática da feira livre,

É de certo, muita antiga,

Os gritos dos vendedores,

Gente como formigas.

O vai e vem de caixotes,

Frutas, em dúzias e lotes,

Quase não se via brigas. 09

No meio daquilo tudo,

Minha cabeça fervilhava,

Um jeito de ganhar dinheiro,

Vendia-se ou se comprava.

Então veio a ideia,

Como mel na colmeia,

A coisa, já se encaixava.

Entrei no ramo do transporte,

E construí um carrinho,

Destes, de rolimã,

Com a ajuda do vizinho.

Com madeiras de sucatas,

De enfeites, algumas latas,

Feito com muito carinho.

Pra entrar na concorrência,

Eu tive que me informar,

Se era preciso licença,

Onde podia ficar,

Aí, fui bem recebido,

E com meu jeito atrevido,

Comecei a trabalhar. 10

Em um estilo cativante,

Alegre e comprometido,

Fregueses não me faltavam,

Meu dia não era comprido.

Já seis horas da manhã,

Laranja, banana e maçã,

Os frutos já eram vendidos.

A melancia e o abacaxi,

A tangerina e o morango,

De tudo tinha na feira,

Legume, verdura e o frango.

À tarde, na hora da xepa,

Começava a promoção,

O preço de tudo baixava,

Era a hora do povão,

E eu que não era besta,

Nem precisava de cesta,

Tinha um carrinho nas mãos...

Todo sábado e domingo,

Nossa feira garantida,

E eu tinha muito orgulho,

Como se missão cumprida.

Na semana, eu estudava, 11

No final, eu trabalhava,

Não foi infância perdida.

Minha família formada,

Com esposa e dois filhos,

Continuo um sonhador,

Mas com a vida nos trilhos.

Faço letras com amor,

Sempre peço, por favor,

No olhar, o mesmo brilho!

12

FLORES A MAMBUCABA

Na conquista eminente,

Os índios perderam espaço,

Na luta, sobreviventes,

Sob a força do branco aço.

Nessa intensa inconstância,

Foi marcada a distância,

Entre quem manda e quem obedece.

Definiu-se assim o destino,

Nas unhas de um bravo felino,

O mais fraco, sempre padece.

Os escravos, na labuta,

Com suor, deixaram marcas,

Em uma intensa disputa,

Entre o tronco e a chibata.

As riquezas afloraram,

Pela força, cá deixaram,

Vestígios de dores e glórias.

Em uma luta constante,

Veteranos e principiantes,

Compartilharam as vitórias. 13

Baixar livro