icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Capítulo 3
A entrega
Palavras: 1562    |    Lançado em: 30/04/2021

_Dança comigo. _ ele pediu, tomando sua mão na dele e guiando-a para a pista de dança improvisada, sem esperar por sua resposta.

Darla abriu a boca para protestar, mas no instante seguinte se via arrastada para perto dos casais que dançavam, seus braços envolvendo sua cintura enquanto a puxava para junto dele.

Ela não sabia como reagir.

Pousou as mãos em seu peito largo, sem jeito.

Ele era alto. Muito alto, ela observou agora que estavam mais perto.

O cheiro amadeirado do perfume dele penetrava em suas narinas, fazendo-a fechar os olhos por alguns segundos, inebriada pelo perfume e pelo calor do corpo dele junto ao seu.

Ele pousou as palmas das mãos em sua cintura fina, e ela pôde sentir o calor de suas palmas através do tecido fino do vestido.

O cheiro dos cabelos dela penetrava-lhe as narinas, fazendo seu desejo acender imediatamente.

André apertou seu corpo ao dela um pouco mais, fazendo com que ela sentisse o que sua proximidade provocava em seu corpo.

Seu sexo pressionava o zíper das calças, completamente ansioso por experimentar o calor do corpo dela, de seu interior.

Darla sentiu como se uma onda de eletricidade a atravessasse por inteiro, concentrando em um único ponto do seu corpo.

Jamais sentira nada parecido por ninguém, nem mesmo por aquele que era seu noivo.

Por isso ele a chamara de rainha de gelo, como se ela não fosse capaz de sentir desejo...

Mas naquela noite era diferente.

Ela não sabia se era pelo efeito do vinho que corria em suas veias ou pela aura de sensualidade que emanava daquele homem.

Ela sentiu algo que jamais sentira nos braços de Samuel.

A constatação veio em seguida, de que ele estivera errado esse tempo todo.

Ela não era frígida.

Era capaz de sentir, como qualquer outra pessoa…

Só que ele não fora capaz de provocar essa reação em seu corpo, como aquele estranho fazia.

De repente ela se sentiu confiante.

Uma confiança que Samuel quebrara naquela tarde antes que ela tomasse a decisão de partir e não olhar para trás.

O que acha de continuarmos nossa bebida em outro lugar, mais tranquilo? _ ela ouviu ele murmurar em seu ouvido, causando-lhe arrepios por todo o seu corpo.

Sua voz soava rouca e pelo visto ele sentia exatamente o mesmo que ela estava sentindo naquele momento.

Excluindo o fato de que estava completamente nervosa e insegura com o que se seguiria.

Aquela era uma situação completamente nova para ela e não sabia ao certo como agir.

Talvez aquela noite fosse única ela pensou.

Quando que um homem daqueles se sentiria atraído por alguém como ela?

Era sua única oportunidade de provar a si mesma que não era frígida como Samuel insinuara, usando aquilo como desculpa par justificar sua traição.

Sua mente ordenava que corresse para bem longe daquele homem, enquanto seu corpo pedia o contrário.

Sentindo sua indecisão, André deslizou a mão em sua cintura, acariciando a pele exposta em suas costas, sentindo o suspiro trêmulo saindo de seus lábios entreabertos.

_ Você escolhe para aonde ir. _ ele disse, imaginando que aquilo seria o suficiente para deixá-la mais relaxada.

Darla encarou aquele homem nos olhos.

Não conseguia pensar em nada para dizer naquele momento, então ela apenas assentiu, adrenalina tomando conta de seus sentidos enquanto observava o brilho faminto e satisfeito no olhar dele.

Sempre fora muita controlada com tudo que fazia.

Isso fez com que chegasse até onde estava, antes de ser demitida de seu emprego atual porque seu chefe não conseguira segurara as pontas e manter as portas abertas.

Mas hoje seria diferente.

Ela precisava se sentir livre, mesmo que para isso fosse preciso se livrar de seus próprios princípios.

E quando assentiu, ela sentiu como se estivesse sendo liberta de qualquer coisa que a prendia.

Aquela noite seria sua libertação.

Um pequeno sorriso satisfeito se formou nos lábios de André, que tomou suas mãos na dele e a guiou para a entrada que levava ao saguão do hotel em que estavam.

O recepcionista o cumprimentou com um aceno respeitoso, olhando rapidamente para a bela moça ao lado dele antes de lhe entregar as chaves do quarto.

Nenhuma palavra foi necessária e no instante seguinte estavam dentro do elevador, um silêncio tenso tomando conta do ambiente antes da luz do painel se acender e as portas se abrirem.

Quando adentraram o quarto luxuoso, André pegou o telefone e pediu que uma garrafa de vinho e duas taças fossem enviadas para o quarto.

Então seu olhar se voltou para a bela mulher a sua frente, que olhava tudo ao seu redor com curiosidade, como se jamais tivesse frequentado um lugar requintado como aquele.

Darla julgou que ele deveria receber muito bem no trabalho para se hospedar naquele hotel e ainda por cima pedir uma garrafa de vinho tão cara.

Por um momento temeu que estivessem invadindo o quarto de alguém e ficou ainda mais insegura.

Ela olhou em volta, surpresa.

O lugar era magnífico.

Um quarto daquele deveria custar muito mais do que o seu salário anterior poderia pagar, pensou, admirada.

André afrouxou a gravata e o terno, ficando mais a vontade.

_Fique a vontade. _ ele disse logo atrás dela, assustando-a e tirando-a do transe em que se encontrava.

Isso o deixou ainda mais curioso a seu respeito.

_ Ah! … _ Ela murmurou, colocando a bolsa em cima da mesinha de centro no meio da sala._ Obrigado.

Um suave som da campainha os fez olhar para a porta.

Atendimento rápido! Ele pensou, satisfeito, enquanto se afastava para atender.

_ É o nosso vinho. _ ele disse.

O funcionário do hotel entrou com o carrinho de bebidas. Abriu o vinho e serviu em ambas as taças antes de se retirar levando o carrinho deixando a garrafa.

Quando estavam a sós novamente, André se voltou para Darla, que permanecia em silêncio.

_ Venha. _ ele chamou e seguiu até ele como se no piloto automático.

Pegou a taça que ele lhe oferecia e bebeu um pouco do vinho, fitando-o sobre a borda do copo.

Ele era tão sério! Ela pensou, desviando o olhar e caminhando até a enorme janela que ia do chão ao teto.

Ela precisava de um espaço para se acalmar...

Lá fora, a escuridão era quase total, quebrada apenas pelas luzes dos prédios em volta.

Dava para ver boa parte da cidade ali de cima, pensou ela enquanto admirava a vista e conseguia relaxar um pouco.

_ Gostou da vista? _ ele murmurou, muito perto do seu ouvido, fazendo o coração de Darla falhar uma batida.

Ele estava tão perto...

André parou atrás dela.

Tomou a taça de suas mãos e a colocou ao lado bancada próximo à janela.

Pousou as mãos suavemente em seus ombros, deslizando-as pelos braços de dela lentamente.

Ouviu o suspiro trêmulo que escapou de seus lábios e pelo reflexo da janela viu que ela cerrava os olhos.

Ela estava nervosa, pensou ele com surpresa.

Estava acostumado com mulheres sedutoras e experientes, que sabiam exatamente o que fazer.

Era sempre elas a dar o primeiro passo para tentar seduzi-lo.

Mas com Darla era diferente...

Ela parecia não saber o que fazer e isso só fazia aumentar sua curiosidade a seu respeito e seu desejo por ela.

Aspirou o perfume dos cabelos negros que o enfeitiçavam, agora mais próximos dele do que quando estavam na pista de dança.

Enquanto deslizava as mãos por seus braços, ele percebeu o quanto era pequena se comparado a ele, mesmo usando saltos.

Delicada e frágil...

Mas ele ainda a queria, em sua cama, gemendo seu nome enquanto a fazia gozar em volta dele...

_ André… _ Darla murmurou baixinho, tentando se afastar dele, mas ele não permitiu, mantendo-a exatamente onde estava.

_ Xiii. _ ele murmurou perto do seu ouvido, puxando-a para junto do seu corpo novamente.

Darla se sentia encurralada enquanto as batidas de seu coração se aceleravam dentro do peito.

Devia se afastar agora e ir embora.

Aquilo fora um erro, pensou ela, sentindo o medo tentando oprimir o desejo que sentia.

Mas seu corpo, ao invés de se mover para longe dele, ansiava por colar-se ao dele e sentir o peito forte contra suas costas; o seu volume pressionando suas nádegas...

André mordiscou o lóbulo de sua orelha, arrancando um gemido profundo de sua garganta e provocando arrepios por todo o corpo de Darla, deixando-a com as pernas trêmulas.

Ele sorriu, satisfeito, enquanto a sustentava contra seu corpo.

Pegou-a nos braços e levou-a para o quarto, pousando-a delicadamente no centro da cama e observou fascinado o que tanto fantasiara mais cedo assim que a vira.

Os fios longos e negros de seus cabelos estavam espalhados em seus travesseiros, os olhos cor de amêndoas semi abertos olhando para ele om luxúria.

Seus lábios se abriram ligeiramente, formavam um O quando sentiu o tecido frio do lençol da cama contra suas costas nuas. Sua respiração estava ofegante e entrecortada e o observou com um misto de desejo e insegurança.

A onda de eletricidade atravessou seu corpo novamente, aumentando sua ansiedade.

André precisava penetrar em seu corpo curvilíneo e sensual.

Precisava sentir sua umidade e seu calor em volta dele enquanto a penetrasse fundo, antes até que ela pulsasse ao seu redor e saciasse o seu desejo.

Pensando nisso, ele desabotoou a blusa social, sem desviar os olhos dos dela nem por um segundo.

Reclame seu bônus no App

Abrir
1 Capítulo 1 Uma noite e para sempre2 Capítulo 2 O encontro3 Capítulo 3 A entrega4 Capítulo 4 O que eu fiz !5 Capítulo 5 Darla6 Capítulo 6 Encontre ela!7 Capítulo 7 A entrevista8 Capítulo 8 Reencontro9 Capítulo 9 Sem opção 10 Capítulo 10 Você está me seguindo!11 Capítulo 11 Ele é louco!12 Capítulo 12 Conhecendo a sogra13 Capítulo 13 Os planos do CEO14 Capítulo 14 Na empresa Lord 15 Capítulo 15 Tentação 16 Capítulo 16 Incontrolável 17 Capítulo 17 Você é um idiota!18 Capítulo 18 Tensão pós sexo19 Capítulo 19 Contrariando o CEO20 Capítulo 20 Ela não está disponível!21 Capítulo 21 Essa mulher é fogo!22 Capítulo 22 Prova de desempenho23 Capítulo 23 Promessa é dívida!24 Capítulo 24 Atendendo seu pedido25 Capítulo 25 O silêncio de Darla26 Capítulo 26 Noticia inesperada27 Capítulo 27 Passeio com a sogra28 Capítulo 28 Dia do exame29 Capítulo 29 Mudança repentina30 Capítulo 30 Vamos nos casar!31 Capítulo 31 Sedução parte 132 Capítulo 32 Por água à baixo33 Capítulo 33 Mudando de Tática 34 Capítulo 34 Sedução parte 235 Capítulo 35 Ciúmes 36 Capítulo 36 O acordo37 Capítulo 37 Uma noite a dois38 Capítulo 38 De volta ao trabalho39 Capítulo 39 Quebrando as regras 40 Capítulo 40 Desejo reprimido 41 Capítulo 41 Viagem ao paraiso42 Capítulo 42 Ela é minha!43 Capítulo 43 Revelando seus planos44 Capítulo 44 Baixando a guarda 45 Capítulo 45 Jogo de sedução 46 Capítulo 46 A volta para casa.47 Capítulo 47 Visita inesperada48 Capítulo 48 Ela não é ninguém 49 Capítulo 49 Eu me casarei com você 50 Capítulo 50 Antes que ela mude de ideia51 Capítulo 51 Notícia bombástica 52 Capítulo 52 Eu ainda não te esqueci53 Capítulo 53 Sra. Lord está grávida!54 Capítulo 54 Diana55 Capítulo 55 _Fique longe dela!56 Capítulo 56 Foi tudo planejado57 Capítulo 57 Declaração de amor58 Capítulo 58 Visita surpresa59 Capítulo 59 Não era o que eu esperava60 Capítulo 60 Menina mimada61 Capítulo 61 Jantar a quatro62 Capítulo 62 Quero pedir um favor...63 Capítulo 63 A volta de Ella64 Capítulo 64 Vestido de casamento65 Capítulo 65 Encontro de casais66 Capítulo 66 O grande dia67 Capítulo 67 Não tem mais volta 68 Capítulo 68 Onde ela está 69 Capítulo 69 Amor doentio.70 Capítulo 70 Jogue o lixo fora!71 Capítulo 71 Clima tenso72 Capítulo 72 Onde está meu marido 73 Capítulo 73 Posso ir com você 74 Capítulo 74 Em desespero75 Capítulo 75 Duas semanas76 Capítulo 76 Seu lugar é ao meu lado77 Capítulo 77 Eu te amo78 Capítulo 78 Lua de Mel 79 Capítulo 79 Troca de noivos 80 Capítulo 80 Poço de felicidade 81 Capítulo 81 Louco por Ella