icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Capítulo 5
O gigolô
Palavras: 1620    |    Lançado em: 21/06/2022

"Me ajude!"

Maurice encarou a mulher bêbada em seus braços. Ela agarrou as mangas de sua blusa como se ele fosse um salva-vidas em meio a um oceano agitado.

Ao estudar o rosto da mulher com os olhos, ele sentiu que ela lhe parecia um pouco familiar.

Mas ele não teve tempo para pensar sobre isso. Antwan apareceu de repente, e encontrou Eliana nos braços de outro homem. Com seu rosto gordo roxo de raiva, ele rugiu: "Você vem comigo!"

Maurice lançou ao homem um olhar de indiferença.

Neste momento, Antwan recuou um pouco. Embora este homem fosse apenas um estranho, algo sobre ele o fazia parecer perigoso. Sua postura imponente deixou Antwan em pânico.

"Saia", ordenou Maurice rispidamente.

"Quem você pensa que é para me dizer o que fazer? Como você ousa colocar as mãos na minha mulher? Você me conhece? Passe ela para cá!" Antwan tentou estufar o peito, fazendo parecer que ele era um macho alfa agressivo. "Caso contrário, não vou deixar que você saia do Clube Imperial Golden!"

Wyatt, que estava bebendo enquanto assistia a essa cena se desenrolar diante dele, não conseguiu segurar a gargalhada.

'Que interessante! Este gorducho teve a coragem de ameaçar o Maurice. Como ele ousa desafiá-lo?'

"Bem, já que você tem dificuldade para conseguir uma mulher, deixe que eu te ajudo." Wyatt pôs-se de pé, e piscou para Maurice. Em seguida, ele caminhou até o gorducho. Subitamente, ele levantou o pé e chutou Antwan no estômago, fazendo-o cambalear alguns passos para trás. Logo depois, Wyatt saiu da sala e bateu a porta com brutalidade.

"Levem ele daqui", Wyatt ordenou aos guarda-costas.

Os dois guarda-costas rapidamente entraram em ação. Eles arrastaram Antwan até a saída do clube e o jogaram no meio da rua.

As pessoas que passavam por ali, olhavam para Antwan com curiosidade. Em toda a sua vida, ele nunca havia sido tão humilhado.

Ainda na sala, Eliana continuava pendurada nas roupas de Maurice.

Impaciente, ele tentou se esquivar das mãos teimosas da mulher.

Mas ela o impediu, colocando seus braços em volta de seu pescoço e pressionando seu corpo contra o dele. "Eu conheço estes olhos..."

O hálito quente da mulher cheirava levemente a álcool, sua respiração batia contra a pele de Maurice como uma leve brisa. Eliana mordeu o lábio inferior sedutoramente, e seus olhos lacrimejantes chamaram a atenção de Maurice.

No segundo seguinte, era como se ela já não fosse mais uma estranha. As memórias do passado vieram à tona na cabeça de Maurice, vívidas e claras. Nessa lembrança específica, ele estava beijando uma mulher e acabou passando a noite com a mesma.

Logo, ele se deu conta de que essa mesma mulher estava agora pendurada em seu pescoço.

Uma expressão sombria invadiu o rosto de Maurice. "É você."

Eliana fechou os olhos, se sentindo tonta por causa do álcool. Uma dor percorreu o seu corpo, isso a fez apoiar a cabeça no ombro dele, cansada.

Consequentemente, seus lábios carnudos e macios roçaram a pele exposta de Maurice, causando-lhe arrepios. O homem sentiu um desejo inexplicável preencher cada célula de seu corpo.

Na tentativa de reprimir aquela tensão sexual, ele zombou: "Você realmente acha que eu vou cair no mesmo truque duas vezes?"

O acontecimento de cinco anos atrás começava a se repetir. Seus inimigos estariam tentando armar para ele novamente?

Seria ridículo. No mínimo, eles deveriam ter escolhido outra mulher para seduzi-lo. Será que eles o achavam tão idiota?

"Oi? Não, tudo o que eu quero é ir para casa. Adrian e Aileen estão esperando por mim", Eliana murmurou, seu tom era quase inaudível. Tentando ficar de pé sozinha, ela perdeu momentaneamente o equilíbrio e pressionou as mãos contra o peito de Maurice para não cair no chão. "Uau, que corpo!", ela comentou surpresa.

Tomada pelo efeito do álcool, seus dedos vagaram ao redor do corpo do homem. Os músculos de Maurice eram firmes e definidos. Além do mais, ele tinha ombros largos e um abdômen esculpido. Ele era um verdadeiro deus.

Maurice franziu o cenho, segurando as mãos dela para impedi-la de apalpá-lo.

Com os olhos queimando em desejo, Eliana inclinou a cabeça e olhou nos olhos de Maurice. De repente, um sorriso estampou seu rosto. Ela estava prestes a fazer um palpite sobre a identidade dele. "Espere! Eu te conheço!"

Maurice arqueou as sobrancelhas ao ouvir aquela afirmação. "É mesmo? Então quem eu sou?"

"Você é... Você é aquele tipo de homem."

Maurice franziu o cenho mais uma vez, e perguntou pacientemente: "Que tipo de homem?"

Os lábios vermelhos de Eliana se abriram e ela deixou escapar: "Um gigolô."

Os olhos de Maurice foram tingidos pela raiva ao ouvir aquela resposta inesperada. Reprimindo sua raiva, ele cerrou os dentes e perguntou: "Você disse 'gigolô'? Nesse caso, deixe-me prestar meus serviços a você esta noite."

A este ponto, Maurice estava curioso para ver até onde iriam os limites daquela mulher.

"Ai!"

Eliana sentiu-se repentinamente tonta e ergueu uma das mãos, massageando suas têmporas. Quando voltou a si, Eliana encontrou-se sentada no sofá.

Sob a luz fraca e quente da sala, o homem se inclinou para perto dela, envolvendo os braços fortes ao redor de sua cintura. Quando Eliana tentou estudar a situação, isso só a fez se sentir mais tonta.

Segundos depois, a mulher sentiu os lábios de Maurice pressionados contra os dela.

O homem beijava seus lábios apaixonada e loucamente, como se quisesse fundir seus corpos.

O calor repentino tomou o corpo de Eliana. Ela agarrou a camisa do homem com força e murmurou entre o beijo: "Espere, espere..."

Será que ela estava prestes a voltar aos seus sentidos?

Maurice a encarou friamente. "O que foi?"

"Eu... É que eu não tenho nenhum dinheiro aqui", disse ela com uma voz arrastada. Embriagada, tudo era um borrão aos olhos de Eliana naquele momento.

'Então, ela insiste em continuar atuando. Tudo bem. Vou entrar no jogo', Maurice pensou consigo mesmo.

Sem a intenção de parar por ali, ele se inclinou para frente novamente, mas desta vez, ele depositou um beijo no lóbulo da orelha de Eliana, e gentilmente o lambeu. Em seguida, ele sussurrou em seu ouvido: "Eu não preciso que você me pague hoje. Satisfeita?"

O corpo de Eliana se estremecia por inteiro sob seu toque. Ela mal conseguia pensar direito.

Maurice desabotoou lentamente a camisa, revelando seus músculos tonificados. Eliana ficou em estado de transe ao encarar a figura semidespida de Maurice.

Neste momento, seus olhos pousaram na cicatriz saliente no peito do homem.

Por que aquela cicatriz parecia tão familiar?

Atordoada por um momento, ela balançou a cabeça em negação para voltar a si.

Foi então que, em um acesso de raiva, ela empurrou o homem de cima dela. Durante todos esses anos, Eliana havia alimentado uma raiva enorme por não saber a identidade do homem com quem havia dormido há cinco anos atrás. Agora, tudo estava ficando mais claro.

"É... é você! Você! Você é o homem de cinco anos atrás!" O fato de não conseguir formular uma frase coerente estava irritando a mulher.

Maurice ajeitou a camisa, enquanto a encarava com as sobrancelhas arqueadas. "Eu?"

"Você é o gigolô que conheci há cinco anos! Você tem ideia de quantos problemas você me causou?! Achei que você fosse o melhor gigolô, mas seu serviço foi tão ruim!"

'Que tipo de truque esta maldita mulher está usando?', o homem se perguntou mentalmente.

Maurice estreitou os olhos e franziu o cenho, infeliz e confuso. "O que você quer dizer com isso?"

"Exatamente o que eu disse", Eliana disparou, apontando o dedo no rosto dele. "Vou reclamar com o seu gerente!"

O homem nem sequer se deu ao trabalho de usar preservativo na época.

Embora ela fosse mãe de dois filhos lindos agora, ela nunca esqueceria o desespero e o desamparo que este homem trouxe-lhe!

Maurice permaneceu encarando a mulher friamente, a raiva crescia dentro dele violentamente.

Primeiro, ela o tratou como um gigolô, o que já era um insulto por si só. Agora, ela teve a audácia de afirmar que ele era péssimo no que fazia!

Sem pensar mais, Maurice se aproximou dela, encurralando-a no sofá.

Indignada, Eliana tentou recuar instintivamente. No entanto, antes que ela tivesse a chance de escapar, o homem já havia colocado os braços ao redor de sua cintura.

"O que você pensa que está fazendo? Me solte!" Eliana se debatia nos braços dele, estava em pânico. Mesmo assim, ela já estava fraca de tanto beber, então não teve forças para sair de seu abraço.

O homem descansou sua testa contra a dela e, em seguida, tomou seus lábios num beijo quente e profundo.

Maurice segurou sua nuca com uma mão, e sua cintura com a outra. Ele pressionou a língua contra os lábios de Eliana, forçando sua boca a se abrir e a beijou violentamente.

A mulher tentou afastá-lo, mas falhou miseravelmente. Ela não teve escolha a não ser se entregar ao beijo.

O desejo sexual de ambos enchia a sala.

Mentalmente, Eliana estava convencida de que deveria afastar este homem dela. Por outro lado, uma pequena parte dela desejava beijá-lo de volta. Eventualmente, ela desistiu de lutar e se dedicou ao beijo.

Mas o álcool ainda corria em suas veias e, gradualmente, foi tomando conta. Isso fez com que ela desmaiasse de embriaguez.

Maurice a soltou gentilmente no sofá. Seus olhos percorreram a figura da mulher adormecida.

No momento seguinte, a porta da sala privada foi fechada.

Maurice havia saído, o batom vermelho estava espalhado pelos seus lábios, denunciando o que acabara de acontecer.

Os garçons que passavam pelo corredor não ousavam olhar diretamente para ele. Todos inclinaram a cabeça em respeito.

Maurice apontou para a sala privada e gritou uma ordem. "Não quero ninguém perto dessa sala."

Reclame seu bônus no App

Abrir
1 Capítulo 1 Caindo no mar2 Capítulo 2 Reencontro3 Capítulo 3 Um bom homem4 Capítulo 4 Um rosto estranho5 Capítulo 5 O gigolô6 Capítulo 6 Ela não vai embora7 Capítulo 7 Que mulher volúvel8 Capítulo 8 Que atuação!9 Capítulo 9 Um anel valioso10 Capítulo 10 A punição11 Capítulo 11 O peitoral de Maurice12 Capítulo 12 Perseguido por caras malvados13 Capítulo 13 Este garoto não me é estranho14 Capítulo 14 Seria ele o gigolô 15 Capítulo 15 Um incidente pequeno16 Capítulo 16 Não está apto para ser meu tio17 Capítulo 17 Sua sugar mommy tem tratado você bem 18 Capítulo 18 Defendê-lo sem hesitação19 Capítulo 19 O cafetão mais forte20 Capítulo 20 Papai!21 Capítulo 21 O tio diabo22 Capítulo 22 Um sonho erótico23 Capítulo 23 O que você estava olhando 24 Capítulo 24 Intimidade em público25 Capítulo 25 Demitida26 Capítulo 26 Saciar suas necessidades27 Capítulo 27 O desejo de aniversário28 Capítulo 28 Vá sonhando!29 Capítulo 29 Eu já vi esse anel antes30 Capítulo 30 O brutal senhor Moran31 Capítulo 31 Um assassinato32 Capítulo 32 O perigo me segue33 Capítulo 33 Quando não está roubando homens, está roubando roupas34 Capítulo 34 Ele também tinha uma cicatriz 35 Capítulo 35 Vá para a festa36 Capítulo 36 Não está fácil para ninguém37 Capítulo 37 Um escudo38 Capítulo 38 Um amor verdadeiro39 Capítulo 39 O beijo porvir40 Capítulo 40 Frio e calor extremos41 Capítulo 41 A grande noite42 Capítulo 42 Assuma a responsabilidade por ela43 Capítulo 43 O tratamento exclusivo para o melhor gigolô44 Capítulo 44 Aquele CEO desgraçado45 Capítulo 45 Uma nova neta46 Capítulo 46 Um homem mesquinho47 Capítulo 47 Fazendo uma cena na creche48 Capítulo 48 Uma figura poderosa49 Capítulo 49 Faça o que for preciso50 Capítulo 50 Você se aproveitou de mim51 Capítulo 51 O anel apareceu outra vez52 Capítulo 52 O acordo53 Capítulo 53 Quem é esse homem 54 Capítulo 54 Um grande cliente55 Capítulo 55 Não consigo entender esse homem56 Capítulo 56 Um diamante Argyle rosa57 Capítulo 57 É melhor não prender seu cabelo58 Capítulo 58 Nana voltou59 Capítulo 59 Não precisa mentir para mim60 Capítulo 60 Pagamento extra61 Capítulo 61 Por que você está tão brava 62 Capítulo 62 O pertence de sua mãe63 Capítulo 63 O anel estava em suas mãos64 Capítulo 64 Dois copos de café65 Capítulo 65 Taxa de serviço66 Capítulo 66 Uma coincidência67 Capítulo 67 Uma armadilha68 Capítulo 68 Ciúme69 Capítulo 69 Ferimento70 Capítulo 70 A preocupação dela71 Capítulo 71 A mulher que era valiosa para ele72 Capítulo 72 Eu sei onde ele vai estar73 Capítulo 73 Eu sabia que você viria74 Capítulo 74 Vontade de ser sugada para dentro75 Capítulo 75 Você tem medo de mim 76 Capítulo 76 Uma grande coincidência77 Capítulo 77 A chance de se vingar78 Capítulo 78 Ela tinha as garras em Maurice79 Capítulo 79 Negociação80 Capítulo 80 Confiaria nela incondicionalmente81 Capítulo 81 Cuide do seu próprio umbigo82 Capítulo 82 Eu sou tão bonita83 Capítulo 83 Algo estranho com o cachorrinho84 Capítulo 84 Nosso reencontro só pode ser obra do destino85 Capítulo 85 Você é próxima do senhor Moran 86 Capítulo 86 Apenas duas opções87 Capítulo 87 Você gosta da Eliana 88 Capítulo 88 Maurice estava dificultando sua vida89 Capítulo 89 O ar de superioridade de Evelynn90 Capítulo 90 A dupla de mãe e filha91 Capítulo 91 Um passado triste92 Capítulo 92 Sua afeição por ela93 Capítulo 93 A parceria com a família Jarvis se encerra aqui94 Capítulo 94 Beijando-se na rua95 Capítulo 95 Uma mulher estúpida me irritou96 Capítulo 96 Maurice foi injustiçado97 Capítulo 97 O pai das crianças98 Capítulo 98 O passado de Nana99 Capítulo 99 O que há de errado com o Bowling 100 Capítulo 100 Estou apaixonada