back
Baixar App Lera
icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
4.9
Comentário(s)
2.4K
Leituras
4
Capítulo

O maior sonho de uma mulher é sentir todos os prazeres da vida,inclusive ser mãe.

Capítulo 1
Ser mãe

Na cidade não muito conhecida, é não muito populosa,morava uma família com seus 10 filhos 6 meninas,é 4 meninos sendo que a mais

velha Ana, cuidava de seus irmãos mais novos, junto com sua irmã que era apenas uns meses mais nova que ela Raque, enquanto seus pais trabalhavam no roçado.

Ana sempre cuidou de seus irmão com muito Amor enquanto Raquel sempre reclamava que eles eram muito bagunceiros ,comiloes e chorões .Ana tinha 16 anos cursava o 2 ano do ensino médio pela tarde,porque de manhã era Raquel quem ia á escola enquanto Ana ficava com os irmãos durante o turno da manhã.Raquel cursava o mesmo grau de escolaridade que Ana porque durante uns meses do ano elas tinha a mesma idade.Ana nunca namorou na vida,já Raquel fingiu pra irmã que já havia ficado com alguém.

Após dois anos de estudos, elas concluíram o ensino médio e a mãe delas dona Maria liberaram elas pra elas irem procurar trabalho na cidade grande, pra conseguir mais condições financeiras para fazer uma faculdade.Sairam da cidadezinha Com 18 anos.Ana logo conseguiu um empregos de cuidadora de uma creche,mais Raquel queria distância de crianças. Raquel demorou mais a encontra trabalho, nenhum era o que ela queria.Raquel gostava muito de dançar,cantar e interpretar, vivia tocando um violão velho do pai dela,tinha uma voz de dar inveja.Passando pela calçada próximo do quartinho onde elas duas moravam Raquel viu uma moça tocando com um violão uma musica que ela adorava cantar.Ela se aproximou e ficou observando que ninguém parava pra auscultar e nem deixar dinheiro na mochila do violão. Raquel se aproximou e começou a cantar do lado da moça,em pouco tempo as pessoas começaram a parar e esculta as duas que estavam cantando.Ao terminar de cantar a dupla foram aplaudidas com muitos assobios,todos os que estavam lá gravaram em seus celulares a dupla cantando.

Raquel ficou muito feliz por ver todos a aplaudindo.Raquel se aproximou da moça é pediu desculpas por se meter no meio da sua apresentação.A moça se apresentou por flora, agradeceu a Raquel por ajudar ela a angariar dinheiro para o orfanato que ela foi criada e ainda morava por caridades dos fundadores do orfanatos.

A Raquel logo se sentiu feliz por ajudar não só a uma pessoa mais a várias.Flora ficou tão agradecida que convidou Raquel pra ir com ela até o orfanato fazer uma festinha para as crianças que são portadores de deficiência. Raquel ficou meia sem jeito pós tava indo pra uma entrevista de emprego, e não queria recusar o convite.Ela aceitou o convite,efoi junto com flora esquecendo a entrevista,em uma loja de roupa.Ao chegar no orfanato Raquel,ficou instaguinada,pós havia saído de casa pra ficar bem longe de crianças,Mais não esperava ficar tão apaixonada por aquelas crianças que vinham ao encontro de flora a abraçando com se ela fosse sua mãe.

Raquel ficou parada observando a cena,sem perceber que estava sendo observada por alguém.Foi quando ele se aproximou e a cumprimentou,e se apresentou como Diogo,o responsável pelo orfanato.Raquel ficou quase sem fala, pós ficou embasbacada,com tanta beleza;olhos azuis,cabelos claros rosto quadrado e um corpo bem definido que até os gominhos davam pra contar por cima da blusa, media uns dois metros. Ele refes novamente as apresentações quando percebeu que Raquel não respondeu nada.Eu logo percebei que estava em transe com tanta beleza.Logo eu saiu do transe e voltou a realidade,e me apresento com um aperto de mãos e falou meu nome pra ele, e ele sorri pra ela,com aquele sorriso que deixaria dodas mulheres aos seus pés.Logo Flora se aproximou e falou pra Diogo que eu iria cantar com ela pra criança especiais.Diogo ficou tão surpresos que queria ver a dupla se apresentar.Chegando na ala das crianças especiais, fui direcionada pra um pauco que ficava no meio do pátio, nunca havia entrado antes em um orfanato mais fiquei empresionada com o tamanho e a quantidade de funcionários que lá trabalhavam. Havia criançasde todo jeito lá:Em cadeiras de rodas umas sem braços,outras sem pernas e assim por diante. Subie no palco junto com flora e fiquei empresionada quando Diogo também subiu junto com nós,mais empresionada ainda fiquei quando vie um piano no cantinho do pauco.Flora cumprimentou todos ali com uma única saudação pelo o microfone me apresentou e disse que iríamos cantar a musicado "carrossel encantado",ainda bem que eu assistir ao carrossel na tv.

Flora começou a tocar e logo em seguida Diogo, no piano, fiquei mais empresionada por ele. Em seguida soltei a voz, cantei com a leveza que estava sentindo a partir do momento que solbe que eu havia ajudado Flora a angariar dinheiro pra um orfanato,a mesma leveza que sentir ao desistir de ir a entrevista, pós eu não gostava muito de moda.

Ao terminar de cantar "carrossel encantado" Diogo logo começou a tocar uma melodia que eu não conhecia.Fui até ele é pedir desculpas pós eu não conhecia a melodia.Ele parou de tocar se virou pra mim e perguntou de onde eu vinha que não conhecia essa melodia tão popular.Ela abaixou a cabeça e disse que vinha de um interior muito longe daqui, e que não tinha muito tempo de se socializar com muitas pessoas de lá pós cuidava junto com sua irmã mais velha de oito irmãos de um, dois,quatro,seis,sete,oito,nove e dez e não tinha tempo pra muita coisa, o tempo livre era estudar e nos finas de semana ir pra rosa com a família toda tipo fazer um piquiniqui.Diogo abril um sorriso com se eu houvesse dito um piada. Ele perguntou qual musica infantil eu sabia cantar?E eu falei da barata da borboletinha e da dona aranha.Ele logo perguntou se meus irmãos dormiam escutando essas melodias? É eu respondi que eles só dormiam se eu cantasse pra eles.Ele voltou a tocar e começou com a da barata, Raquel cantou tam divinamente que até entreter as crianças ela conseguiu com sua animação e entusiasmo.No final das musica já era onze horas, hora do almoço das crianças. Já tava rumo a saída quando sinto uma mão pesada no meu ombro, me fazendo parar. Virei pra trás e era Diogo,me pediu pra se juntar a eles para o almoço. Pedir desculpas e fui saindo novamente quando ouso Flora gritar meu nome.Viro e floro estar logo á trás de mim. Tentando me convencer a almoçar com ela, também recursei, pós disse a ela que por eu ter vindo com ela para o orfanato perdi a entrevista e agora tenho que procurar outra.Flora ficou tam animada que fiquei assustada, achando que ela estava feliz pelo meu desemprego.

Ela me disse que tinha uma vaga pra cuidadora no orfanato e lá eles assinava a carteira davam dois dias de folga por semana e era um salário mais vale transporte e alimentação.Fiquei muito desorientada pós recursei trabalhar do lado de minha irmã e iria aceitar esse, que é a mesma coisa que dá minha irmã, só que bem melhor financeiramente. Perguntei com quem eu falaria pra ser contratada? E ela respondeu com o proprietário.Ela me levou até a um escritório deu duas batidinhas na porta e não escuto nada então,pegou em meu braço e me puxou pelo um corredor que foi parar na cozinha. Lá eu vie muitas pessoas que eu não conhecia e outras que eu tinha acabado de conhecer inclusive Diogo,que ao me ver erguel a sobrancelha direita. Flora se aproximou de Diogo e falou algo em seu ouvido e logo ele olhou pra mim de um jeito de dúvidas. Fiquei sem entender pós um sei quem é o proprietario e porque Flora estar falando com Diogo. Logo ele se levanta e sai a minha frente indo na mesma direção que vinhamos eu e flora.Quando chegamos no escritório do proprietário Diogo de senta por trás da mesa e pergunta porque eu me acho adequada a essa vaga?.

Respondo que se eu que cuidei de 8 irmãos não for adequada pra cuidar de crianças quem seria?.Ele dá um sorriso de sabichao e fome encara.E em seguida me da a vaga, dizendo pra eu comparecer a manhã pela manhã com carteira de trabalho e todos os outros documentos pra contratar. Fiquei embasbacada por acreditar que por ironia do destino vou voltar a cuidar de crianças que nem são meus irmãos.

Baixar livro