icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Capítulo 4
Vontade e testamento
Palavras: 1402    |    Lançado em: 17/03/2022

As unhas de Alice cravaram nas palmas de sua mão devido à força com que fechava os punhos e seu peito arfava forte por conta da raiva que sentia.

De repente, ela puxou Rachel para perto e deu um tapa na cara dela.

O rosto da garota ficou marcado pela sua mão.

Um fino fio de sangue escorreu do canto da sua boca. Obviamente, Alice não parou apenas no tapa.

Rangendo seus dentes, ela gritou para os servos: "Vocês dois, segurem ela!"

A visão de Rachel ficou turva por causa da força com que foi atingida. Os servos não se demoraram nem um segundo, imediatamente cumprindo com a ordem de Alice. Cada um deles segurou um dos braços de Rachel para mantê-la no lugar.

Com um olhar assassino em seu rosto, Alice agarrou o queixo de Rachel e a forçou a levantar a cabeça.

A marca da sua mão aberta ficou bem marcada no lado direito do rosto dela, todo vermelho e inchado. Mais uma vez, Alice levantou a mão e grunhiu: "Você tem uma boca bem grande, não é mesmo? Vamos, fale algo agora, duvido!"

"Alice, sabe qual é o lema da minha vida?", Rachel perguntou enquanto cuspia sangue e se esforçava para manter a consciência. Seus olhos amendoados pareciam frios como o gelo. Era uma mirada forte o suficiente para intimidar qualquer pessoa.

"Dez olhos por um olho, dez dentes por um dente", Rachel rosnou de volta. "Enquanto eu respirar, perseguirei você até os confins do universo e a farei pagar por todo o sofrimento que me causou hoje!"

Por um momento, Alice se assustou com a ferocidade dela, mas logo retomou a compostura.

"Não tente me intimidar com suas ameças! Acha mesmo que uma perdedora que nem você vai me amedrontar?", ela falou entre dentes.

Logo depois, Alice bateu em Rachel até desfigurar seu rosto.

Sua raiva finalmente foi saciada quando ficou cansada de tanto bater. Ela encarou Rachel e disse para seus servos: "Vocês não escutaram o senhor Sullivan antes?"

"Sim, senhora. Ele nos mandou tirar a roupa dela e jogá-la longe daqui", um deles falou, baixando a cabeça.

Alice massageou o pulso dolorido de tanto espancar a outra e saiu da sala com um sorriso de satisfação no rosto.

Pouco depois, Rachel foi completamente despida, ficando apenas com duas peças de roupa íntima de seda cobrindo seu corpo nu.

Sem ter como resistir, Rachel apenas fechou os olhos e desistiu de lutar. Deixou que fizessem o que queriam.

Ela sabia muito bem que sua sobrevivência era o mais importante nesse momento.

Duas servas a carregaram de cada lado enquanto caminhavam na direção da porta.

Afinal, Rachel foi a esposa de Victor certa vez. Por mais que os servos a detestassem, ainda assim não queriam presenciar seu constrangimento. Ao longo do caminho, ela não viu mais ninguém além das empregadas que a escoltavam.

Nesse meio tempo, o mordomo bateu na porta do escritório.

"Entre", chamou Victor.

O mordomo entrou e anunciou: "Senhor Sullivan, a senho... senhorita Bennet foi colocada para fora como instruído."

Victor estava lendo um contrato nesse momento, por isso não levantou a cabeça para ouvi-lo, optando por perguntar: "E ela disse alguma coisa?"

"Não", disse o mordomo.

Bufando, Victor pensou nas palavras dela antes. Seus olhos se amarguraram com a raiva que transbordava no seu peito e ele ordenou: "Diga para jogarem ela o mais longe possível, não quero essa desgraça ambulante batendo na minha porta."

O mordomo ficou chocado ao ouvi-lo. "Está bem, senhor", ele respondeu com certa relutância.

Em algum porão imundo e apertado na zona sul da cidade...

"Não!", Rachel acordou gritando e se sentando imediatamente. Sua respiração estava pesada e olhava ao redor horrorizada

Nesse momento, alguém empurrou a porta do lado de fora para entrar. Ao vê-la acordada, o homem deixou a caixa de remédios que havia preparado de lado e caminhou até a cama.

"Senhorita Bennet, finalmente você acordou", ele suspirou preocupado.

Rachel procurou encará-lo de volta vigilante, se acalmando de imediato. Tentou se lembrar do nome dele, porque ele parecia familiar. No entanto, não conseguia se lembrar quem ele era nesse momento.

Ela olhou para seu próprio corpo e lembrou como foi expulsa da casa de Victor: seminua e praticamente morta. Contudo, agora aqui estava ela, viva e usando uma roupa floral bagaceira que combinava com suas calças.

"Quem é você?", foi a primeira coisa que perguntou. Sua voz estava rouca e parecia desconfiada do homem na sala.

"Já nos conhecemos uma vez, mas naquela época você era apenas uma criança. É natural que não se lembre de mim. Meu nome é Andy Torres, advogado particular de sua mãe", após falar isso, o homem abriu um grande sorriso.

'Andy? O advogado da mamãe?', ela ficou pensando nas coisas que Andy disse.

Rachel lembrava-se que sua mãe tinha um advogado. "Você me salvou?", perguntou.

"Sim. Quando liguei para você, uma pessoa que estava passando atendeu e me informou que você estava desmaiada. Mas não se preocupe, não vi nada seu. O homem que encontrou você a cobriu com um casaco e levei você até o carro para voltarmos para casa", Andy explicou.

"Então como estou com essas roupas?", a garota indagou.

"Ah, pedi para que uma senhora aqui as trocasse para você."

Rachel suspirou aliviada, mas ainda tinha o queixo franzido. "Você disse que me ligou, o que queria?"

Sua mãe havia morrido quando ela tinha 13 anos de idade. Andy alegou ser o advogado dela, mas fazia anos que ele e Rachel não se viam. Sua atitude de aparecer assim sem aviso prévio era muito suspeita.

Andy se levantou e caminhou para fora da sala. Pouco depois, voltou com um documento em mãos e o entregou para Rachel.

"Esta é a última vontade e testamento de sua mãe", explicou.

"O testamento da minha mãe?", Rachel repetiu com a dúvida estampada nos olhos. Se lembrava corretamente, sua mãe havia partido tão de repente desse mundo que não teve tempo de elaborar esse documento.

Caso contrário, o inútil do seu pai e a sua amante não teriam agido de maneira tão imprudente e dispendiosa.

"Sim, ela pediu para que eu fosse a testemunha do seu testamento enquanto ainda vivia. Me instruiu a registrar este documento em cartório e dá-lo para você no seu aniversário de 24 anos."

Agora que Andy havia mencionado, Rachel se lembrou que seu aniversário foi no mesmo dia que o seu divórcio.

"Está explícito no testamento que você deve herdar todos os bens da sua mãe, incluindo 15 das ações do Grupo Bennet e a mansão em que ela morou antes de morrer", Andy prosseguiu.

Rachel folheou o documento até a última página e viu o nome "Elisa Bennet", escrito no canto direito do papel.

"Senhor Torres, fiquei quanto tempo inconsciente?", perguntou Rachel.

"Três dias", o advogado respondeu.

A garota guardou o testamento e se levantou da cama. "Nesse caso, eles viveram confortavelmente por mais três dias. Já é o suficiente na minha opinião."

Após dizer isso, Rachel caminhou em direção à porta.

"Senhorita Bennet, para onde você está indo?", questionou Andy.

Rachel estancou no lugar e olhou para o testamento em suas mãos. Arqueando uma sobrancelha, abriu um amplo sorriso.

"Pra onde mais? Pretendo voltar para casa e chutar a bunda do meu pai, da vagabunda da sua amante e da minha irmã." Após dizer isso, a garota abriu a porta e saiu.

Andy ficou chocado com as palavras dela por um breve momento. De alguma forma, teve um vislumbre de Elisa ao assistir àquela cena.

Enquanto via Rachel seguir falando, ele botou o casaco e seguiu seus passos apertados.

Na casa da família Bennet, dentro do distrito de Riverside Villa no norte da cidade...

Rachel e Andy pararam junto à porta. Já haviam tocado a campainha uma dezena de vezes, mas ninguém vinha atender.

Irritada com aquele toque incessante, finalmente a governanta escancarou as portas para gritar: "Parem com isso! Quem está aí? É cobrança de dívida ou algo assim? Parem de tocar na campainha! Estão me deixando louca!"

Assim que terminou de falar, a mulher abriu a porta lateral da mansão para olhar os visitantes, e sua testa franziu de imediato. Estava surpresa de vê-los ali.

Rachel deu um sorriso irônico e malicioso, falando: "Bem, nós viemos cobrar uma dívida."

"Vocês... é você!" a governanta exclamou, ficando subitamente pálida enquanto sentia um calafrio percorrer sua espinha ao ver o rosto intimidante da garota.

Reclame seu bônus no App

Abrir
1 Capítulo 1 Renascimento e divórcio2 Capítulo 2 Alice enchendo o saco3 Capítulo 3 Vou te assombrar para sempre4 Capítulo 4 Vontade e testamento5 Capítulo 5 De volta à família Bennet6 Capítulo 6 Chamando a polícia7 Capítulo 7 Invasão domiciliar8 Capítulo 8 Rachel é a dona da mansão9 Capítulo 9 O sequestro10 Capítulo 10 Troca de casal11 Capítulo 11 Você vai se arrepender12 Capítulo 12 Ela deve pagar13 Capítulo 13 Os culpados devem se ajoelhar para serem perdoados14 Capítulo 14 Os servos se foram15 Capítulo 15 De uma mulher rica para uma mulher endividada16 Capítulo 16 O colapso do Grupo Bennet17 Capítulo 17 Uma dívida de 9.99 milhões de dólares18 Capítulo 18 Implorou a Victor19 Capítulo 19 A provocação de Alice20 Capítulo 20 O que não te pertence nunca será seu21 Capítulo 21 Proteja a família Bennet e o Grupo Bennet22 Capítulo 22 Emboscada no estacionamento subterrâneo23 Capítulo 23 Uma proposta para comprar o Grupo Bennet24 Capítulo 24 Se eu não fosse uma puta, não teria me casado com você25 Capítulo 25 A condição de Victor26 Capítulo 26 O estranho gerente de projeto27 Capítulo 27 Rei de Copas28 Capítulo 28 Quintin, o subordinado29 Capítulo 29 Eu nunca duvidei de você30 Capítulo 30 Você não pode confiar em mim ao menos uma vez31 Capítulo 31 Proibida a entrada de animais e Rachel32 Capítulo 32 É a sua vez de cumprir sua parte do trato33 Capítulo 33 A entrevista da Zé ruela34 Capítulo 34 Minha misericórdia deu bons frutos - Gabaritando a prova e calando a boca de Alice35 Capítulo 35 Pura sorte36 Capítulo 36 Pague o preço37 Capítulo 37 A decisão cabe a mim38 Capítulo 38 O almoxarifado e o bullying39 Capítulo 39 Constrangimento e preocupação40 Capítulo 40 Abby foi forçada a se ajoelhar e pedir desculpas41 Capítulo 41 Recue e você se encontrará à beira de um precipício42 Capítulo 42 Rachel contra-ataca43 Capítulo 43 O pedido de desculpas44 Capítulo 44 A real intenção de Alice45 Capítulo 45 Rachel, você não é capaz de ficar sozinha46 Capítulo 46 Não te faz de santa47 Capítulo 47 Você está grávida 48 Capítulo 48 Rachel estava doente49 Capítulo 49 Grávida de quatro semanas50 Capítulo 50 A hospitalidade de Rachel51 Capítulo 51 Sabe quem eu vi hoje 52 Capítulo 52 Vou ter o bebê53 Capítulo 53 Eu quero ter este bebê54 Capítulo 54 A demissão de Ivy55 Capítulo 55 Um check-up dois meses mais cedo56 Capítulo 56 A viagem e a festa de aniversário57 Capítulo 57 Quem mais estará na festa 58 Capítulo 58 Você quer que eu o seduza59 Capítulo 59 Sou a ex-mulher de Victor60 Capítulo 60 O homem que desejava ser o próximo companheiro de Rachel61 Capítulo 61 Você me concederia a graça de dançar comigo 62 Capítulo 62 Me provoque e veja se eu não me atreveria63 Capítulo 63 Criancice64 Capítulo 64 O plano de Caroline65 Capítulo 65 Defendendo Abby66 Capítulo 66 Papai está aguardando uma visita minha67 Capítulo 67 Traficantes no quarto 120668 Capítulo 68 Artéria femoral69 Capítulo 69 Carregando um filho70 Capítulo 70 Como você se atreve 71 Capítulo 71 Então ela poderia descer e fazer companhia para o seu bebê72 Capítulo 72 Confinamento no hospital73 Capítulo 73 De volta ao Sue Garden74 Capítulo 74 Só por você, pequenino75 Capítulo 75 Victor decidiu manter o bebê76 Capítulo 76 Você não pode sair se não comer77 Capítulo 77 O acordo78 Capítulo 78 Eu assino, mas tenho três condições79 Capítulo 79 Só pela treta80 Capítulo 80 Uma putinha sem-vergonha que fica se engraçando com o marido das outras81 Capítulo 81 A esposa82 Capítulo 82 Você deveria me agradecer83 Capítulo 83 Reputação manchada84 Capítulo 84 Ele está guardando rancor85 Capítulo 85 A visita de Jack86 Capítulo 86 A dívida87 Capítulo 87 Ajoelhem-se diante do túmulo de minha mãe e implorem por seu perdão88 Capítulo 88 A fofoca das empregadas89 Capítulo 89 A mãe do sucessor do Grupo Sullivan90 Capítulo 90 Lukas deixou Sue Garden91 Capítulo 91 Pega no flagra comendo escondida92 Capítulo 92 A ameaça de Victor93 Capítulo 93 O retorno de Roger94 Capítulo 94 O segredo de Clara95 Capítulo 95 Houve um tempo em que Roger amava Rachel96 Capítulo 96 Ficar doente não faz bem para o bebê97 Capítulo 97 A progênie dos Jimenez98 Capítulo 98 Um homem sangue-frio procurando por alguém na chuva99 Capítulo 99 Calúnia100 Capítulo 100 Roubo no Sue Garden