icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Capítulo 9
O sequestro
Palavras: 1180    |    Lançado em: 17/03/2022

Alice ficara no antigo quarto de Rachel por muito tempo. Apesar de já ter pedido às empregadas que jogassem todos os pertences de Alice no lixo, o cômodo ainda precisava de uma boa faxina antes de poder ser ocupado. Sendo assim, Rachel decidiu tirar uma soneca no quarto de hóspedes.

Quando acordou, já eram três da tarde.

Ela abriu os olhos bem devagar, e os murmúrios em sua mente foram pouco a pouco se dissipando.

Rachel sentou-se e colocou a mão na testa. Gotas de suor molharam seus dedos.

Pelo jeito, havia sonhado.

Na verdade, não fora só um sonho. Durante o sono, uma voz continuamente chamava por ela.

Era um brado rouco e melancólico, que enunciava seu nome. Ondas de emoções conflitantes lhe açoitavam o coração partido, inundando seu peito quase a ponto de afogá-la.

Rachel sabia bem que tais sentimentos pertenciam à proprietária original deste corpo. Porém, ficou com a pulga atrás da orelha. Por que será que esse sentimentos eram tão fortes?

As sensações eram desconfortavelmente avassaladoras.

Será que a alma da antiga dona desta compleição física ainda a habitava?

Assim que o pensamento lhe ocorreu, Rachel instintivamente observou as palmas de suas mãos e depois a si mesma. Não havia nada de estranho ocorrendo com sua constituição física, era óbvio. Nada além da tristeza que permanecia à espreita em seu coração.

"Senhorita Bennet." A voz de Andy irrompeu do outro lado da porta, despertando Rachel de suas reflexões.

Ela levantou-se e foi de pronto atender, optando por deixar suas inibições de lado por hora.

Quando viu a pilha de documentos que Andy portava, Rachel ergueu as sobrancelhas. "Vamos conversar no meu escritório."

Ele assentiu com a cabeça e a seguiu até lá. Assim que Rachel se sentou, Andy dispôs a papelada sobre a escrivanhinha diante dela. Dentre o amontoado de papel, encontrava-se a certidão de propriedade.

"Aqui está o contrato de cessão de quotas. E aqui o formulário de transferência de propriedade e a certidão da casa", Andy declarou.

Raquel sorriu. "É só isso?"

"Na verdade, não. Ainda tem alguns registros de faturamento e outros relatórios anuais referentes ao Grupo Bennet", Andy acrescentou. "A partir de agora, você é dona do Grupo Bennet."

Rachel folheou os documentos casualmente, e então voltou sua atenção para Andy. Ao notar o constrangimento em seu rosto, ela fechou o arquivo e indagou: "Há algo mais que você queira me dizer?"

"É que..."

"Blam!"

De supetão, dois bombadões arrombaram a porta com um chute. Uma criada veio atrás deles, com pânico nos olhos. "Senhorita Bennet, eu tentei impedi-los, mas eles invadiram sem minha permissão. Não consegui detê-los."

"Quem são vocês?" Andy encarou os intrusos.

"Senhorita Bennet, por favor nos acompanhe", um deles proferiu. Tão logo ele terminou de falar, eles avançaram em direção a Rachel a fim de capturá-la.

Por sorte, ela conseguiu evadi-los. A julgar pela aparência deles, os invasores era ágeis e fortes. Rachel não seria páreo para eles, pois não sabia lutar bem e óbviamente não seria capaz de dissuadi-los.

Andy pôs-se de imediato diante dela, como um escudo. "O que é que vocês estão tramando?", ele inquiriu.

"Não se intrometa", o intruso o advertiu.

"Isso é invasão domiciliar. É um crime! Se vocês não...", Antes que Andy pudesse concluir, sentiu um cano frio e metálico sendo pressionado contra sua testa.

Era uma arma de fogo.

Seu coração disparou. Ele ficou branco como um fantasma e gotas de suor começaram a brotar de sua testa.

A luz do sol emergia sobre as cortinas, refletindo um brilho metálico sobre a pistola.

Os olhos de Rachel se arregalaram. "Não o machuque! Eu me entrego!"

Andy fitou os perpetradores trajados de preto e pronunciou: "Senhorita Bennet..."

Ela compreendia sua preocupação, então desferiu-lhe um aceno reconfortante de cabeça. "Não se preocupe comigo. Vai ficar tudo bem. Eles não vão me machucar."

Após dizer isso, os olhos de Rachel caíram sobre broches no peito dos invasores.

Eram gemas em forma de lágrima feitas de obsidiana. O símbolo da agência de segurança do Grupo Sullivan.

Victor era o único homem capaz de estar por trás daquilo.

O cano continuava contra o crânio de Andy. Todavia, diante da compostura de Rachel, ele decidiu deixar seus temores de lado e depositar confiança incondicional nela. Poucos segundos depois, os invasores partiram com Rachel.

Havia um Rolls-Royce negro estacionado do lado de fora do portão. Rachel sentou-se no banco de trás sem hesitar.

Os homens de preto tomaram o banco do motorista e o do passageiro, respectivamente.

Lentamente, o veículo se foi. Rachel silenciosamente pôs-se a observar a paisagem em movimento pela janela.

De repente, um telefone começou a tocar.

O homem no banco do passageiro atendeu, com a voz estoica mas respeitosa.

"Senhor Ivan. Já capturamos a senhorita Rachel."

"Ótimo. Bom trabalho."

'Senhor. Ivan?'

Ela mal podia acreditar.

De fato, suas suspeitas se confirmaram. Era Victor que estava por trás daquela presepada.

'Mas o que é que ele quer comigo? Ele não me odeia? Será que já não bastou a humilhação daquele dia?

Por isso que ele me raptou? Para me espancar novamente?'

Rachel batucava com a ponta dos dedos na coxa, matutando um plano de como se defender das agressões de Victor mais tarde.

Então, vasculhou em sua mente todo o passado de Victor e da Rachel de verdade nos dois anos de matrimônio deles em busca de uma solução para aquele dilema.

Porém, antes que Rachel chegasse a alguma conclusão, eles chegaram ao destino.

Um dos homens de preto desceu do carro, abriu a porta traseira e lhe disse: "Chegamos."

Ela saiu do veículo e olhou para cima.

Em seus olhos, uma breve pontada de horror se manifestou, entretanto ela logo deu conta de retomar a compostura antes que alguém pudesse notar.

Não estavam na mansão de Victor.

Era um edifício independente de três andares com um estilo clássico de arquitetura nórdica.

Logo, Rachel se recordou do local.

Era Gardenia, o salão de beleza mais badalado da alta sociedade.

Pelo que se lembrava, não era a primeira vez que ela o visitava.

Um dos motivos pelo qual as socialites amavam este lugar, era porque os melhores estilistas trabalhavam lá. Além do mais, recebiam só um cliente por dia.

A primeira visita de Rachel fora há dois anos, no dia de seu casamento.

Se bem que talvez nem contasse como um casamento de verdade. Foi só uma refeiçãozinha básica de fachada para a avó de Victor, com as famílias presentes.

Momentos depois, alguém deixou o prédio.

"Olá, senhorita Bennet. Eu serei sua estilista para hoje. Meu nome é Eva Myers." A mulher trajava um vestido branco. Seu cabelo estava preso e ela estava sorrindo para Rachel.

Rachel estava se perguntando que tipo de problema Victor estava tentando lhe causar.

Ela fitou Eva, mas permaneceu calada.

Felizmente, Eva não se importou com sua frieza. "Acompanhe-me, por favor."

Ela gesticulou para que Rachel entrasse. Seria difícil saber o que estava se passando na cabeça de Rachel só por sua expressão.

Nem um minuto depois, ela caminhou em direção ao prédio. Eva então a ultrapassou e pôs-se a guiá-la.

Reclame seu bônus no App

Abrir
1 Capítulo 1 Renascimento e divórcio2 Capítulo 2 Alice enchendo o saco3 Capítulo 3 Vou te assombrar para sempre4 Capítulo 4 Vontade e testamento5 Capítulo 5 De volta à família Bennet6 Capítulo 6 Chamando a polícia7 Capítulo 7 Invasão domiciliar8 Capítulo 8 Rachel é a dona da mansão9 Capítulo 9 O sequestro10 Capítulo 10 Troca de casal11 Capítulo 11 Você vai se arrepender12 Capítulo 12 Ela deve pagar13 Capítulo 13 Os culpados devem se ajoelhar para serem perdoados14 Capítulo 14 Os servos se foram15 Capítulo 15 De uma mulher rica para uma mulher endividada16 Capítulo 16 O colapso do Grupo Bennet17 Capítulo 17 Uma dívida de 9.99 milhões de dólares18 Capítulo 18 Implorou a Victor19 Capítulo 19 A provocação de Alice20 Capítulo 20 O que não te pertence nunca será seu21 Capítulo 21 Proteja a família Bennet e o Grupo Bennet22 Capítulo 22 Emboscada no estacionamento subterrâneo23 Capítulo 23 Uma proposta para comprar o Grupo Bennet24 Capítulo 24 Se eu não fosse uma puta, não teria me casado com você25 Capítulo 25 A condição de Victor26 Capítulo 26 O estranho gerente de projeto27 Capítulo 27 Rei de Copas28 Capítulo 28 Quintin, o subordinado29 Capítulo 29 Eu nunca duvidei de você30 Capítulo 30 Você não pode confiar em mim ao menos uma vez31 Capítulo 31 Proibida a entrada de animais e Rachel32 Capítulo 32 É a sua vez de cumprir sua parte do trato33 Capítulo 33 A entrevista da Zé ruela34 Capítulo 34 Minha misericórdia deu bons frutos - Gabaritando a prova e calando a boca de Alice35 Capítulo 35 Pura sorte36 Capítulo 36 Pague o preço37 Capítulo 37 A decisão cabe a mim38 Capítulo 38 O almoxarifado e o bullying39 Capítulo 39 Constrangimento e preocupação40 Capítulo 40 Abby foi forçada a se ajoelhar e pedir desculpas41 Capítulo 41 Recue e você se encontrará à beira de um precipício42 Capítulo 42 Rachel contra-ataca43 Capítulo 43 O pedido de desculpas44 Capítulo 44 A real intenção de Alice45 Capítulo 45 Rachel, você não é capaz de ficar sozinha46 Capítulo 46 Não te faz de santa47 Capítulo 47 Você está grávida 48 Capítulo 48 Rachel estava doente49 Capítulo 49 Grávida de quatro semanas50 Capítulo 50 A hospitalidade de Rachel51 Capítulo 51 Sabe quem eu vi hoje 52 Capítulo 52 Vou ter o bebê53 Capítulo 53 Eu quero ter este bebê54 Capítulo 54 A demissão de Ivy55 Capítulo 55 Um check-up dois meses mais cedo56 Capítulo 56 A viagem e a festa de aniversário57 Capítulo 57 Quem mais estará na festa 58 Capítulo 58 Você quer que eu o seduza59 Capítulo 59 Sou a ex-mulher de Victor60 Capítulo 60 O homem que desejava ser o próximo companheiro de Rachel61 Capítulo 61 Você me concederia a graça de dançar comigo 62 Capítulo 62 Me provoque e veja se eu não me atreveria63 Capítulo 63 Criancice64 Capítulo 64 O plano de Caroline65 Capítulo 65 Defendendo Abby66 Capítulo 66 Papai está aguardando uma visita minha67 Capítulo 67 Traficantes no quarto 120668 Capítulo 68 Artéria femoral69 Capítulo 69 Carregando um filho70 Capítulo 70 Como você se atreve 71 Capítulo 71 Então ela poderia descer e fazer companhia para o seu bebê72 Capítulo 72 Confinamento no hospital73 Capítulo 73 De volta ao Sue Garden74 Capítulo 74 Só por você, pequenino75 Capítulo 75 Victor decidiu manter o bebê76 Capítulo 76 Você não pode sair se não comer77 Capítulo 77 O acordo78 Capítulo 78 Eu assino, mas tenho três condições79 Capítulo 79 Só pela treta80 Capítulo 80 Uma putinha sem-vergonha que fica se engraçando com o marido das outras81 Capítulo 81 A esposa82 Capítulo 82 Você deveria me agradecer83 Capítulo 83 Reputação manchada84 Capítulo 84 Ele está guardando rancor85 Capítulo 85 A visita de Jack86 Capítulo 86 A dívida87 Capítulo 87 Ajoelhem-se diante do túmulo de minha mãe e implorem por seu perdão88 Capítulo 88 A fofoca das empregadas89 Capítulo 89 A mãe do sucessor do Grupo Sullivan90 Capítulo 90 Lukas deixou Sue Garden91 Capítulo 91 Pega no flagra comendo escondida92 Capítulo 92 A ameaça de Victor93 Capítulo 93 O retorno de Roger94 Capítulo 94 O segredo de Clara95 Capítulo 95 Houve um tempo em que Roger amava Rachel96 Capítulo 96 Ficar doente não faz bem para o bebê97 Capítulo 97 A progênie dos Jimenez98 Capítulo 98 Um homem sangue-frio procurando por alguém na chuva99 Capítulo 99 Calúnia100 Capítulo 100 Roubo no Sue Garden