icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Capítulo 6
Dando uma chance
Palavras: 1100    |    Lançado em: 12/08/2022

Quando a comida foi servida, José olhou para os pratos e se deu conta de que não era o que Maria costumava cozinhar, então deduziu que ela não os tinha preparado sozinha. Vendo que ele não estava comendo e se limitava a olhar fixamente para o prato, Maria informou: "O almoço de hoje foi preparado pela senhora Carolina."

José levantou uma sobrancelha ao dirigir o olhar para Anabela e perguntou: "Você sabe mesmo cozinhar?"

"Apenas alguns pratos mais simples", respondeu Anabela com toda a sinceridade, enquanto suas bochechas ficavam coradas, embora soubesse que o homem perguntava com desdém. Aparentemente, ela havia feito algo desnecessário.

José, no entanto, se esquivou de seu olhar e começou a comer devagar, saboreando a comida. Em pé, ao lado dele, Anabela o mirava, sentindo-se desconfortável. Ela temia que ele não gostasse da comida e que fosse repreendê-la de novo.

Depois de terminar de comer, José finalmente deixou os pauzinhos de lado e se voltou para olhar para ela. "Já que você sabe cozinhar, posso presumir que não terá nenhum problema em cozinhar para o seu marido. Eu quero que você prepare todas as minhas refeições a partir de agora, mas cada prato deve ser diferente."

Ele falou isso de propósito. Devido a Anabela ter preparado a comida para ele de forma voluntária, ele queria ver por quanto tempo ela poderia manter sua atuação de boa menina.

Anabela ficou surpresa em vê-lo saboreando a comida que havia preparado. Embora José tivesse confiado a ela uma tarefa um tanto difícil, ela deu um suspiro de alívio porque pelo menos ele não parecia estar com raiva dela.

Na manhã seguinte, como havia prometido, José disponibilizou um carro para Anabela ir para a faculdade.

"Leonel, pode me deixar aqui." Anabela pediu ao motorista que parasse um quarteirão antes da universidade.

"Senhora Carolina, o senhor José me ordenou estritamente que eu te deixasse no portão do campus." O motorista, Leonel, não lhe deu ouvidos e continuou dirigindo em direção à universidade.

Anabela sabia que era inútil dizer qualquer coisa depois do que o motorista havia contado. Ela tinha certeza de que José faria algo assim, mas não gostava.

Ela tinha recém começado a faculdade e não conhecia muita gente. Na verdade, ela não gostaria de viver assim pelo resto da vida.

"Obrigada, Leonel." Quando chegaram à entrada do campus, Anabela desceu do carro depois de agradecer ao motorista.

Leonel esperou até que a garota tivesse passado pela porta. Depois de se certificar de que já estava dentro da universidade, ele pegou o telefone e ligou para José. "Senhor José, ela já está dentro da universidade."

"Observe-a", José ordenou secamente em pé, em frente à janela. Seus olhos estavam cheios de desconfiança e frieza, pois ele ainda não conseguia entender por que Carolina estava tão ansiosa para ir para a faculdade.

Júlio apareceu um pouco depois. "Senhor José."

"Júlio, afinal você chegou. Sente-se." José pediu que ele se sentasse no sofá enquanto se sentava ao lado dele.

Depois de se acomodar, Júlio olhou em volta e perguntou: "Onde ela está?" José percebeu que Júlio estava perguntando sobre Carolina.

"Você veio aqui para vê-la?" José perguntou enquanto o olhava de soslaio. Júlio poucas vezes ia visitá-lo. Agora que ele finalmente havia vindo, perguntava pelo paradeiro de Carolina.

Júlio sorriu envergonhado. "Claro que não." Ele não estava interessado naquela mulher, que parecia ser uma virgem por fora, mas por dentro, escondia uma personalidade sensual.

"Então, por que você veio aqui?" José perguntou, enquanto acendia um cigarro.

"Crespo se mudou para outra cidade." Essa era a razão pela qual Júlio havia perguntado se Carolina estava lá.

"Ele está tentando fugir." José já suspeitava que Crespo o faria, então não se surpreendeu. Talvez ele tivesse deixado a filha com José para que pudesse escapar com mais facilidade.

"Então, senhor José, você acredita que a senhora Carolina também vai fugir?" Júlio temia que houvesse uma grande probabilidade de isso acontecer. Afinal, Crespo era um homem esperto e talvez tivesse planejado todos os acontecimentos desde o início.

José deu uma tragada no cigarro, sorriu de leve e disse: "Ela não pode escapar, e ele tampouco. Não importa aonde ele vá, não poderá escapar de mim."

José só permitiu que Carolina saísse da villa, porque tinha espiões por toda parte, então sabia que não poderia ser enganado com facilidade.

"Senhor José, como pode estar tão seguro? Aquela mulher é muito astuta." Júlio estava preocupado que os encantos da mulher seduzissem José, o que poderia trazer problemas sérios.

"Você está certo, ela realmente é astuta", assentiu José. Na verdade, ele estava surpreso por ela estar se comportando de maneira tão gentil e obediente.

"Vamos lá! Venha comigo para inspecionar o andamento do trabalho nas sucursais." O Grupo Fernandes era proprietário de negócios imobiliários e hoteleiros, bem como de vários locais de entretenimento. Também tinha muitos outros negócios com companhias de crédito globais.

"Senhor José, me alegra ver que você está bem." Júlio estava preocupado com José, mas ao vê-lo calmo e sereno como sempre, sentiu-se aliviado.

Enquanto isso, Anabela foi para seu quarto arrumar suas coisas depois da aula. Ela não tinha muita bagagem, apenas uma mala pequena.

Hoje ela havia estado muito ocupada na escola. Depois de assistir a muitas aulas, ela foi à biblioteca estudar e fazer anotações.

De volta ao dormitório, algumas de suas amigas vieram falar com ela, e ela as cumprimentou com um sorriso.

"Ouvi dizer que você chegou num carro de luxo esta manhã. É verdade?", perguntou uma de suas amigas, curiosa.

Anabela ficou um pouco surpresa, pois não esperava aquela pergunta. Porém, ela não confirmou, nem contestou.

"É verdade. Eu vi com meus próprios olhos", respondeu outra amiga em seu lugar. "Anabela, você conseguiu um homem rico? Mas claro, você é muito bonita. Qualquer ricaço ficaria interessado em você."

Suas amigas tinham certeza absoluta de que Anabela havia encontrado um homem endinheirado sem contar a elas. Esse devia ser o motivo pelo qual ela estava deixando o dormitório da faculdade. No entanto, ninguém sabia a verdade sobre os aborrecimentos aos quais ela havia sido submetida, e talvez ela nunca mais pudesse recuperar sua liberdade pelo resto da vida.

"Uau! Quantos anos ele tem? Ele é um velho careca?" Suas amigas tinham muita curiosidade em saber. Fizeram piadas a respeito, ansiosas por saber a verdade. Ninguém poderia imaginar que Anabela na verdade se casara com um homem jovem, bonito e milionário que não a amava.

Todo mundo sabia que Anabela não era o tipo de garota que andava atrás de homens ricos. Então, como poderiam sequer imaginar a verdade do que realmente aconteceu?

Reclame seu bônus no App

Abrir
1 Capítulo 1 Ela era apenas uma substituta2 Capítulo 2 Ele odiava sua hipocrisia3 Capítulo 3 Ela não tinha escolha4 Capítulo 4 Comprometida5 Capítulo 5 Prometendo a ele6 Capítulo 6 Dando uma chance7 Capítulo 7 Deixando-o com raiva sem querer8 Capítulo 8 Seu belo rosto é a sua força9 Capítulo 9 Só ela podia ficar com raiva10 Capítulo 10 Ele tinha outra mulher11 Capítulo 11 Provocação descarada12 Capítulo 12 Telmo ainda era o mesmo13 Capítulo 13 Mantendo a dignidade14 Capítulo 14 Tentando compensá-lo a seu modo15 Capítulo 15 Ele é comprometido16 Capítulo 16 Sua liberdade17 Capítulo 17 Ela se curvou mais uma vez18 Capítulo 18 Ele queria conhecê-la melhor19 Capítulo 19 Ele fez o seu melhor esforço para vê-la20 Capítulo 20 Fingindo que nada aconteceu21 Capítulo 21 Pagando o preço22 Capítulo 22 Elas eram pessoas completamente diferentes23 Capítulo 23 Ela é minha esposa24 Capítulo 24 Sua vida pertencia a ele25 Capítulo 25 Não chore mais26 Capítulo 26 Ele era o seu pesadelo27 Capítulo 27 O que mais ela poderia esperar 28 Capítulo 28 Ela não tinha para onde ir29 Capítulo 29 Por favor, preciso de ajuda30 Capítulo 30 Ela estava disposta a fazer isso31 Capítulo 31 Pare de torturá-la32 Capítulo 32 O dever de esposa33 Capítulo 33 Só tenho desprezo34 Capítulo 34 Eu não posso recusar35 Capítulo 35 Perdeu o direito de amá-lo36 Capítulo 36 Tomar essa decisão por Anabela37 Capítulo 37 Não há escapatória38 Capítulo 38 Não quer ter um filho39 Capítulo 39 Passar maus bocados40 Capítulo 40 Legítima noiva41 Capítulo 41 Sentir pena por ela42 Capítulo 42 Ele age conforme seu humor43 Capítulo 43 Se ela não estiver feliz, ele também não44 Capítulo 44 Apaixonar-se por mim será sua ruína45 Capítulo 45 O convite de casamento46 Capítulo 46 Comparecer ao casamento de Telmo47 Capítulo 47 Escondendo-se48 Capítulo 48 No clube49 Capítulo 49 Incapaz de pagar a dívida50 Capítulo 50 Você está com febre 51 Capítulo 51 Não fará uma exceção52 Capítulo 52 Ele não odiava aquela mudança53 Capítulo 53 Como sua verdadeira esposa54 Capítulo 54 Ele nunca permitiria que seus desejos se tornassem realidade55 Capítulo 55 Se esqueça dele56 Capítulo 56 Grávida57 Capítulo 57 Você mentiu58 Capítulo 58 Você está grávida 59 Capítulo 59 Deixe-me ficar com o bebê60 Capítulo 60 Último recurso61 Capítulo 61 Volte para ele62 Capítulo 62 Concordo com o aborto63 Capítulo 63 Ela quer morrer64 Capítulo 64 Ainda estou viva 65 Capítulo 65 Tudo deveria ter acabado66 Capítulo 66 Eu não mereço ser mãe67 Capítulo 67 Morta em vida68 Capítulo 68 Não queria estar ao seu lado69 Capítulo 69 Ficar bêbada para parar de sentir dor70 Capítulo 70 Situações difíceis71 Capítulo 71 Não me interessa nem um pouco72 Capítulo 72 Seu coração frio e adormecido73 Capítulo 73 Desta vez, ela se comportou74 Capítulo 74 A atitude presunçosa de Ana75 Capítulo 75 Tramando alguma coisa76 Capítulo 76 Um copo de leite com pílulas para dormir77 Capítulo 77 Encontrar-se com Luciano por acaso de novo78 Capítulo 78 Esqueceu de sua promessa79 Capítulo 79 Por que você é tão teimosa 80 Capítulo 80 Armação ou mera coincidência 81 Capítulo 81 Confissão de amor82 Capítulo 82 Você é o próprio diabo!83 Capítulo 83 Ferido por Anabela84 Capítulo 84 Não será fácil morrer85 Capítulo 85 Anabela desapareceu86 Capítulo 86 Anabela, como um peão87 Capítulo 87 Outro problema88 Capítulo 88 Será difícil para você sobreviver89 Capítulo 89 Ela não queria ser sua fraqueza90 Capítulo 90 Deus estava brincando com ela 91 Capítulo 91 Ela pagou com a própria vida92 Capítulo 92 É tudo culpa sua!93 Capítulo 93 Você pode seguir sua vida94 Capítulo 94 Longa separação95 Capítulo 95 Ele era inesquecível para ela96 Capítulo 96 Amor incondicional97 Capítulo 97 Não quero vê-lo agora98 Capítulo 98 Sou paciente e posso esperar99 Capítulo 99 É impossível que seja Anabela100 Capítulo 100 Encontro inesperado