icon 0
icon Loja
rightIcon
icon História
rightIcon
icon Sair
rightIcon
icon Baixar App
rightIcon
Capítulo 12
Telmo ainda era o mesmo
Palavras: 1001    |    Lançado em: 12/08/2022

Anabela olhou para a aveia que Maria havia feito para ela e ficou comovida com tanta generosidade. A emoção foi tão grande que ela não conseguiu evitar o choro. Lágrimas brotaram de seus olhos e escorreram por seu rosto.

"Senhora Carolina, aproveite seu café da manhã. Você não comeu nada na noite passada e ainda está doente. Pode descansar em paz, pois acabei de receber a notícia de que o senhor José não voltará para casa hoje", disse Maria, com um sorriso encorajador, e depois voltou para a cozinha.

Após o café da manhã, Anabela vestiu um casaco branco e saiu para o jardim. Sentada em um banco, ela olhou ao redor para contemplar o jardim. Ele realmente era lindo, porém, ela não conseguiu admirá-lo. Com tanta tristeza em seu coração, era impossível se concentrar na beleza.

Anabela ficou em casa o dia todo, mas sabia que isso não duraria para sempre. No dia seguinte, ela se arrumou e foi para a escola. Na hora do intervalo, se dirigiu ao banco que ficava perto da escola, suas economias estavam guardadas lá.

Esse dinheiro foi acumulado graças aos seus empregos de meio período. Não era muito, mas ela poderia trabalhar e economizaria ainda mais.

Anabela deu de ombros, sacou o dinheiro e deixou o banco, dirigindo-se para a escola novamente. Ela havia sido adotada pela família Rabelo, no entanto, nunca pensou que acabaria assim.

"Anabela." Anabela hesitou ao ouvir aquele apelido tão íntimo. Na verdade, ela pensou que nunca mais o escutaria novamente. Aquela voz conhecida fez seu coração bater mais forte, e a moça se perguntou se não tinha ouvido coisas.

No entanto, a dúvida diminuiu quando uma figura esguia se aproximou, parando em sua frente. "Sou eu, Anabela, você não se lembra mais de mim?"

Anabela levantou a cabeça para encarar o homem à sua frente. Ele ainda era tão atraente e gentil como antes. O par de óculos com armação dourada que usava naquele dia, deixava-o ainda mais charmoso.

Ele finalmente estava ali, seu Telmo. O homem que Anabela esperaria por cinco anos, e que amava e confiava.

"Anabela, como você está? Eu voltei." Telmo se aproximou e gentilmente pegou as mãos dela, colocando-as entre as suas. Sua voz era tão terna e doce que o coração dela estremeceu.

Anabela assentiu com a cabeça enquanto seus olhos lacrimejavam. "Fico feliz em ver que está de volta, Telmo", declarou a menina, finalmente.

Anabela nunca imaginou que seu reencontro, depois de cinco anos, seria assim.

Ela não conseguia expressar emoção, nem expectativa, nem entusiasmo. Se fosse como nos velhos tempos, Anabela teria pulado em seus braços, chorando e contando tudo o que havia acontecido com ela desde sua partida, e o quanto ela ainda o amava. A moça teria contado tudo.

"Você não está feliz em me ver?", perguntou Telmo, observando-a de perto. Anabela havia mudado muito nesses cinco anos, mas para ele, ela ainda era a mesma. A garota sempre teve um lugar muito especial em seu coração, ele nunca a esqueceu.

Para fazê-la feliz, ele havia trabalhado muito duro todos esses anos, a fim de lhe oferecer a melhor vida possível. Mas, infelizmente, a vida não foi tão fácil. Ele se tornou o diretor executivo do Grupo Silva, mas em troca disso, ele teve que noivar com a filha do proprietário da empresa, Julia Silva.

Telmo tomou essa difícil decisão pelo bem de sua Anabela, pois não teria tido sucesso se ele não tivesse proteção.

"Estou muito feliz que meu Telmo está de volta", disse a moça engasgando com os soluços. Anabela achava que ela não tinha mais lágrimas, mas estava muito errada. Ela não se conteve ao vê-lo em sua frente.

Telmo estendeu a mão e a envolveu em seus braços. O calor desse abraço a entristeceu ainda mais. "Me perdoe, Anabela. Eu sinto muito por ter ficado longe de você por tanto tempo, mas você não precisa mais se preocupar. Agora que estou de volta, não vou permitir que você sofra mais", disse Telmo, com ternura.

Embora a consolasse falando sobre o futuro, ele não tinha certeza se ainda ficariam juntos. Anabela também sabia que seria impossível, pois Crespo a vendeu para José. Além disso, Telmo tinha uma linda mulher ao seu lado.

Ela sentiu-se traída. E fez o possível para evitar o choro, mas não conseguiu. Naquele momento, ela desabou em prantos.

Telmo pensou que seu choro fosse devido a saudade que havia sentido com todos esses anos; ela sentiu tanto a sua falta que não conseguiu conter as lágrimas.

"Tá bom, você pode chorar o quanto quiser agora, mas não vou deixá-la chorar de novo no futuro. Gosto mais quando você sorri, Anabela. Seu sorriso é tão lindo", acrescentou Telmo, acariciando suas costas. Depois de um tempo, Anabela deu um passo para trás.

Aí Telmo a convidou para tomar um café. Chegando lá, eles se sentaram frente a frente.

"Telmo, quando você voltou? Como tem passado todos esses anos?", perguntou Anabela, com curiosidade.

Percebendo sua roupa de marca, Anabela concluiu que estava levando uma vida boa. E no fundo ela estava feliz por ele.

"Eu estou bem, minha querida Anabela, como você está? Por que você está mais magra do que antes?", perguntou Telmo, empurrando as sobremesas para a garota. "Anabela, essas não são suas favoritas? Vai, come!"

Anabela o encarou, Telmo sempre era muito gentil com ela. No passado, ele a mimava com pratos deliciosos o tempo todo e, naquele dia, ele continuou a tratá-la da mesma forma.

"Você deveria comer também, Telmo", respondeu a menina, empurrando o prato para o meio da mesa para eles comerem juntos.

Enquanto isso, Ana e José se dirigiram para o café próximo, para uma reunião. O local foi sugerido pela sua cliente. Assim que os dois entraram, os olhos de José imediatamente se dirigiram para a garota sentada perto da janela com um homem.

Aquela mulher estava mentindo para ele todo esse tempo. Se ele não a tivesse visto com os próprios olhos, ela nunca teria admitido.

Reclame seu bônus no App

Abrir
1 Capítulo 1 Ela era apenas uma substituta2 Capítulo 2 Ele odiava sua hipocrisia3 Capítulo 3 Ela não tinha escolha4 Capítulo 4 Comprometida5 Capítulo 5 Prometendo a ele6 Capítulo 6 Dando uma chance7 Capítulo 7 Deixando-o com raiva sem querer8 Capítulo 8 Seu belo rosto é a sua força9 Capítulo 9 Só ela podia ficar com raiva10 Capítulo 10 Ele tinha outra mulher11 Capítulo 11 Provocação descarada12 Capítulo 12 Telmo ainda era o mesmo13 Capítulo 13 Mantendo a dignidade14 Capítulo 14 Tentando compensá-lo a seu modo15 Capítulo 15 Ele é comprometido16 Capítulo 16 Sua liberdade17 Capítulo 17 Ela se curvou mais uma vez18 Capítulo 18 Ele queria conhecê-la melhor19 Capítulo 19 Ele fez o seu melhor esforço para vê-la20 Capítulo 20 Fingindo que nada aconteceu21 Capítulo 21 Pagando o preço22 Capítulo 22 Elas eram pessoas completamente diferentes23 Capítulo 23 Ela é minha esposa24 Capítulo 24 Sua vida pertencia a ele25 Capítulo 25 Não chore mais26 Capítulo 26 Ele era o seu pesadelo27 Capítulo 27 O que mais ela poderia esperar 28 Capítulo 28 Ela não tinha para onde ir29 Capítulo 29 Por favor, preciso de ajuda30 Capítulo 30 Ela estava disposta a fazer isso31 Capítulo 31 Pare de torturá-la32 Capítulo 32 O dever de esposa33 Capítulo 33 Só tenho desprezo34 Capítulo 34 Eu não posso recusar35 Capítulo 35 Perdeu o direito de amá-lo36 Capítulo 36 Tomar essa decisão por Anabela37 Capítulo 37 Não há escapatória38 Capítulo 38 Não quer ter um filho39 Capítulo 39 Passar maus bocados40 Capítulo 40 Legítima noiva41 Capítulo 41 Sentir pena por ela42 Capítulo 42 Ele age conforme seu humor43 Capítulo 43 Se ela não estiver feliz, ele também não44 Capítulo 44 Apaixonar-se por mim será sua ruína45 Capítulo 45 O convite de casamento46 Capítulo 46 Comparecer ao casamento de Telmo47 Capítulo 47 Escondendo-se48 Capítulo 48 No clube49 Capítulo 49 Incapaz de pagar a dívida50 Capítulo 50 Você está com febre 51 Capítulo 51 Não fará uma exceção52 Capítulo 52 Ele não odiava aquela mudança53 Capítulo 53 Como sua verdadeira esposa54 Capítulo 54 Ele nunca permitiria que seus desejos se tornassem realidade55 Capítulo 55 Se esqueça dele56 Capítulo 56 Grávida57 Capítulo 57 Você mentiu58 Capítulo 58 Você está grávida 59 Capítulo 59 Deixe-me ficar com o bebê60 Capítulo 60 Último recurso61 Capítulo 61 Volte para ele62 Capítulo 62 Concordo com o aborto63 Capítulo 63 Ela quer morrer64 Capítulo 64 Ainda estou viva 65 Capítulo 65 Tudo deveria ter acabado66 Capítulo 66 Eu não mereço ser mãe67 Capítulo 67 Morta em vida68 Capítulo 68 Não queria estar ao seu lado69 Capítulo 69 Ficar bêbada para parar de sentir dor70 Capítulo 70 Situações difíceis71 Capítulo 71 Não me interessa nem um pouco72 Capítulo 72 Seu coração frio e adormecido73 Capítulo 73 Desta vez, ela se comportou74 Capítulo 74 A atitude presunçosa de Ana75 Capítulo 75 Tramando alguma coisa76 Capítulo 76 Um copo de leite com pílulas para dormir77 Capítulo 77 Encontrar-se com Luciano por acaso de novo78 Capítulo 78 Esqueceu de sua promessa79 Capítulo 79 Por que você é tão teimosa 80 Capítulo 80 Armação ou mera coincidência 81 Capítulo 81 Confissão de amor82 Capítulo 82 Você é o próprio diabo!83 Capítulo 83 Ferido por Anabela84 Capítulo 84 Não será fácil morrer85 Capítulo 85 Anabela desapareceu86 Capítulo 86 Anabela, como um peão87 Capítulo 87 Outro problema88 Capítulo 88 Será difícil para você sobreviver89 Capítulo 89 Ela não queria ser sua fraqueza90 Capítulo 90 Deus estava brincando com ela 91 Capítulo 91 Ela pagou com a própria vida92 Capítulo 92 É tudo culpa sua!93 Capítulo 93 Você pode seguir sua vida94 Capítulo 94 Longa separação95 Capítulo 95 Ele era inesquecível para ela96 Capítulo 96 Amor incondicional97 Capítulo 97 Não quero vê-lo agora98 Capítulo 98 Sou paciente e posso esperar99 Capítulo 99 É impossível que seja Anabela100 Capítulo 100 Encontro inesperado